SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Piso dos professores esbarra na questão financeira, diz secretário

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/06/2012 08:00 / atualizado em 11/08/2012 13:00

Agência Câmara

O secretário de Educação de Santa Catarina e representante do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Eduardo Deschamps, afirmou há pouco que a principal dificuldade em aplicação do piso dos professores é a questão financeira. %u201CO Consed não é contra a lei do piso, mas precisamos criar as condições para viabilizar a lei%u201D, disse. Segundo estudo da entidade, o impacto da correção do piso nos estados em 2012 é de R$ 8,3 bilhões. Ele participa da audiência pública da Comissão de Educação e Cultura para discutir o cumprimento por estados e municípios do piso nacional dos professores do ensino básico, previsto na Lei 11.738/08 e fixado, hoje, em R$ 1.451. O debate, que tem o apoio da Frente Parlamentar em Defesa do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério Público, é uma iniciativa da deputada Fátima Bezerra (PT-RN). Deschamps também disse que o pagamento do piso com o reajuste atual inviabiliza outros investimentos na educação, como formação profissional e construção e melhoria de escolas. %u201CO salário do docente é importante, é um componente fundamental do processo, mas não é o único%u201D, afirmou o secretário. A audiência prossegue no plenário 10.
Tags:

publicidade

publicidade