Universidade em evidência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/09/2012 11:24 / atualizado em 10/09/2012 11:26

Thaís Paranhos , Manoela Alcântara

O debate entre os candidatos à Reitoria da Universidade de Brasília (UnB) veiculado pela TV Brasília na madrugada de ontem colocou ainda mais em evidência a importância da instituição para o Distrito Federal. Além de apresentar as principais propostas, os professores do Instituto de Geociências Márcia Abrahão e da Faculdade de Tecnologia Ivan Camargo tiveram a oportunidade de discutir o papel da academia e expor as opiniões sobre o tema. O encontro foi comentado por telespectadores nas redes sociais.

Além da comunidade acadêmica, entre apoiadores dos candidatos, alunos e docentes, a sociedade também se manifestou sobre o debate. Em um dos textos que circularam nas redes sociais, um professor pediu mais sintonia entre a instituição e a sociedade. Em outra publicação, o autor parabenizava o grupo pela iniciativa. O debate foi ao ar a quatro dias do segundo turno das eleições. Nas próximas terça e quarta-feira, será realizada a consulta que definirá o nome do reitor da UnB.

Márcia e Ivan ficaram satisfeitos com o resultado do encontro. A professora do Instituto de Geociências e líder da chapa 80 — O amanhã fazemos juntos afirmou ter recebido manifestações parabenizando-a pela participação. Para ela, a iniciativa foi importante para mostrar as características de cada candidato e discutir a importância da universidade para a cidade e para o país. “Foi excelente, com perguntas excelentes. Gostei muito de participar. Foi uma oportunidade para mostrar as diferenças”, opinou.

Candidato pela chapa 86 — UnB somos nós, Ivan também comentou sobre a importância de um debate veiculado na televisão. O professor da Faculdade de Tecnologia explicou que integrar a sociedade e a academia é uma das preocupações na campanha e o encontro a tornou real. “As perguntas e a preocupação dos jornalistas estavam muito ligadas às preocupações de dentro da universidade. Isso mostra como as pessoas observam e têm interesse com o que ocorre na UnB”, avaliou.

Ex-candidato à Reitoria, o professor da Faculdade de Tecnologia Paulo César Marques, apoiador de Márcia Abrahão, aprovou a iniciativa. Para ele, a sociedade cobra abertura da universidade para a discussão dos problemas. “A ideia foi muito pertinente e é papel da imprensa acompanhar e cobrar o que a universidade é”, disse. A ex-candidata e apoiadora de Ivan Camargo na disputa, a professora Ana Valente, também elogiou a ideia do debate promovido pelo Correio e pela TV Brasília. “A UnB é importante para Brasília. Debates como esse são bons para que a comunidade saiba escolher”, disse.


Expansão
O atual reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Júnior, ressaltou que, após a implantação do programa de expansão, a universidade tem um papel ainda mais importante na cidade e o interesse sobre ela é maior. “O Correio Braziliense e a TV Brasília fazem uma ligação entre as candidaturas e esse interesse de Brasília. Mas achei que algumas questões podiam ser mais bem exploradas, como os outros câmpus”, disse. “Mas deu para perceber a diferença dos projetos e a concepção de sociedade e de universidade que está por trás do embate entre eles”, completou.

O coordenador-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Octávio Torres, aprovou a iniciativa. “É uma discussão ampla dentro e fora da universidade. Mas esperava um debate mais propositivo e menos acusatório. Queremos ouvir propostas e conhecer projetos sobre a assistência estudantil, falta de bolsas, de salas de aula e de professores”, criticou . “Mas todo debate não deixa de esclarecer algumas dúvidas e mostrar a fundo quem é cada candidato”, completou.

Fique atento

Veja o calendário do segundo turno:

Data da consulta: 11 e 12 de setembro

Resultado da votação: 13 de setembro

Reunião do Conselho Universitário (Consuni)
para decidir se vai adotar ou não o nome do eleito: 14 de setembro

Data para encaminhar lista tríplice ao
Ministério da Educação (MEC): até 17 de setembro

Data da posse: 18 de novembro

Baixa adesão de alunos
No primeiro turno das eleições, ainda com 10 candidatos, somente 9.125 pessoas, dos 39 mil eleitores em potencial, foram às urnas. O menor percentual foi de estudantes, que nem sequer chegou a 20% — em 2008, 31,90% dos alunos votaram. Em 22 e 23 de agosto deste ano, a Universidade de Brasília (UnB) acabava de voltar de uma greve com quase três meses de duração. Alguns professores chegaram a pedir o adiamento do pleito, mas a ideia foi descartada. Em um cenário diferente, espera-se que a quantidade de eleitores aumente no segundo turno. Os dois candidatos mais votados na primeira ocasião, Ivan Camargo e Márcia Abrahão, fizeram campanhas para incentivar estudantes, professores e servidores a ajudar na escolha do novo reitor.
Tags: