SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Visitas pedagógicas

Em Pernambuco, professora usa saídas para unir teoria à prática

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/09/2012 11:48 / atualizado em 18/09/2012 11:50

No município de Caruaru, no Agreste pernambucano, a Escola Municipal Pedro de Souza promove saídas pedagógicas regulares com os estudantes. “O objetivo é mostrar de forma concreta o que é trabalhado em sala de aula”, explica a professora polivalente Daniele Fernanda e Silva, que leciona a turma do quinto ano do ensino fundamental.

Segundo a professora, as visitas possibilitam o contato concreto dos alunos com a temática desenvolvida em sala de aula. Outro benefício é o estímulo à observação e à atenção que as visitas despertam nos estudantes. Após os passeios, ela orienta a produção de textos e determina aos alunos a apresentação de relatórios ou realização de pesquisas e minisseminários.

Formada em pedagogia, há 13 anos no magistério, Daniele inclui as visitas ao Jardim Zoológico de Recife — Horto Dois Irmãos —, em 2010 e em 2011, entre as mais importantes que realizou com estudantes. Isso porque foi possível ver, de perto, animais até então conhecidos apenas por meio de livros ou da televisão.

As visitas são desenvolvidas em conjunto pelos professores. “Combinamos o local a ser visitado e, após o passeio, cada um trabalha aquilo que foi visto em sua área de atuação”, explica Daniele. Ela já programou nova visita ao zoológico para outubro próximo.

As saídas pedagógicas da escola estão inseridas no programa Mais Educação do Ministério da Educação. Na visão da diretora da escola, Caterine Esteves Xavier, o aluno aprende, com as atividades externas, o teórico por meio do concreto.

Leitura — A professora Roseli Vinhola Moraes, coordenadora da biblioteca da escola, participa de trabalho de incentivo à leitura, entre os estudantes, que inclui a realização de atividades externas. “É o projeto Brigada Leitora e da Cidadania, que tem o objetivo de formar cidadãos leitores críticos e conscientes de seus direitos e deveres”, salienta.

Os alunos são treinados para realizar atividades que incluem leitura de poesias e histórias, além de brincadeiras infantis. Formada em pedagogia, com especialização em supervisão escolar e gestão pedagógica, Roseli atende turmas de todos os anos do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos.

Entre as atividades realizadas pelos alunos da Brigada Leitora, algumas merecem destaque, como as visitas ao refúgio ecológico Charles Darwin, no município de Igarassu, em parceria com a professora de ciências, e ao Parque Ambiental de Caruaru, com os participantes da oficina de fotografia. No parque, os estudantes aproveitaram o encontro com a natureza para escrever haicais, enquanto os alunos da oficina de fotografia registravam tudo em imagens. O haicai é uma forma de poesia japonesa, surgida no século 16, composta de três versos, com cinco, sete e cinco sílabas, que tem como tema a natureza ou as estações do ano. No Brasil, é uma forma poética de métrica e acentuação adaptada do modelo japonês. “Como resultado desse trabalho, foi elaborado o livro Retratando Emoções: Haicais”, diz Roseli.

Outra saída importante foi a visita ao Quilombo do Castainho, em Garanhuns, em parceria com o professor de história. Além de conhecerem a comunidade quilombola, os estudantes participaram de festival de contos africanos com alunos do município.

 

Ascom MEC

Tags:

publicidade

publicidade