SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Projeto aulas magistrais debate a questão da progressão escolar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/10/2012 11:44 / atualizado em 05/10/2012 13:00

Embora tenha surgido nos anos 90 como alternativa para superar alguns dos problemas da educação, como a reprovação e a evasão escolar, as propostas de ciclos e progressão escolar não emplacaram no Brasil. De acordo com a professora Debora Cristina Jeffrey, chefe do Departamento de Políticas, Administração e Sistemas Educacionais (DEPASE) da Faculdade de Educação (FE) da Unicamp, 62% das matrículas efetuadas no país ainda seguem o sistema de seriação. Esses e outros dados foram discutidos na tarde de ontem (4) pela docente, que participou do projeto aulas magistrais¸ promovido pela Pró-Reitoria de Graduação.

De acordo com Debora Jeffrey, as discussões em torno dos ciclos e da progressão escolar não são novas no Brasil. Elas remontam à década de 20. Naquela época, porém, o principal objetivo dos defensores da ideia era reduzir os gastos com educação, por meio do combate à reprovação. Já nas décadas de 80 e 90, o conceito foi alterado, e passou a incorporar outras metas, como democratizar o ensino e ampliar as oportunidades educacionais.

Na visão de alguns autores, conforme a professora da FE, os ciclos e a progressão continuada ainda estão em construção. Em São Paulo, onde a medida passou a vigorar desde 1998, ainda há questões a serem discutidas e superadas. “Não se trata simplesmente de ser contra ou a favor dos ciclos e nem tampouco considerar que o sucesso ou o fracasso do aluno, por exemplo, pode ser avaliado em um ano letivo. É preciso pensar a educação de forma mais geral. Ela tem que ser o resultado de uma construção coletiva”, ponderou.

Ascom Unicamp/Divulgação
As pesquisas desenvolvidas por Debora Jeffrey em torno do regime de ciclos e progressão continuada renderam recentemente à docente o Prêmio Fundação Bunge 2012. No último dia 2 de outubro, ela recebeu das mãos do governador Geraldo Alckmin um diploma, uma medalha e um cheque de R$ 50 mil, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

O projeto Aulas Magistrais é realizado uma vez ao mês. Os convidados são docentes e pesquisadores com destacada produção acadêmica e intelectual. As conferências são gravadas e ficam disponíveis no site da PRG, neste link.

Ascom Unicamp
Tags:

publicidade

publicidade