SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Computador não diminui importância do professor na escola, diz especialista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/02/2013 15:40 / atualizado em 27/02/2013 15:43

Agência Câmara

Alexandra Martins / Câmara dos Deputados
Denis Mizne (diretor executivo da Fundação Lemann)
Mizne: a tecnologia, além de melhorar o ensino, otimiza o uso do tempo em sala de aula.

O diretor-executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne, afirmou, nesta quarta-feira (27), que a utilização de computadores em sala de aula não diminui a importância do professor. O especialista, a convite da Frente Parlamentar Mista da Educação e da Comissão de Educação e Cultura, ministrou palestra sobre o papel da gestão e da inovação na aprendizagem dos alunos brasileiros.

Atualmente, a fundação implementa um projeto com ferramentas de ensino individualizado, por meio do computador, a 6.000 alunos de 3º, 4º e 5º anos da rede pública de seis cidades de São Paulo e do Paraná. A iniciativa já traduziu para o português mais de mil vídeos da organização Khan Academy sobre tópicos de química, física, biologia e matemática – todos disponíveis pela internet.

Pelo método desenvolvido, os alunos fazem exercícios sobre as diferentes disciplinas no computador. Depois, um software, a partir dos erros mais comuns, apresenta vídeos explicativos a respeito dos itens mais problemáticos. Conforme Mizne, nesse processo, o docente deve atuar com um “maestro”, que identifica as potencialidades dos estudantes. “Alguns alunos reagem melhor ao game; outros ao método tradicional. Acho mais fácil imaginar que o professor vai aprender a ser esse maestro do que acreditar que ele precisa saber tudo, resolver todos os problemas e ter todo o peso da educação nas costas dele”, argumentou.

Otimizar o tempo Segundo Mizne, atualmente, 40% da duração das aulas são perdidas com chamada, atrasos e recados, e a tecnologia, além de melhorar o ensino, otimiza o uso do tempo. Ele ressaltou ainda que a Prova Brasil 2011, pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), indica evolução no ensino da matemática, mas os números ainda são muito baixos. Apenas 33% dos alunos concluem a quinta série sabendo o conteúdo. Para reverter esse quadro, apontou o estudioso, o uso da tecnologia pode ser um grande aliado.

O presidente da frente parlamentar, deputado Alex Canziani (PTB-PR), destacou a relevância da palestra para aprofundar os debates sobre o assunto no Congresso. “Certamente, essa explanação nos auxiliará na discussão de políticas públicas e na apresentação de projetos de lei”, ressaltou.

 

 

publicidade

publicidade