publicidade

Professores completam 4 dias acampados em frente à prefeitura de São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/06/2014 18:55

Agência Brasil

Profissionais da educação municipal, em greve há 40 dias, completaram hoje (02) quatro dias acampados em frente à Prefeitura de São Paulo. Eles reivindicam aumento de salário, melhor atenção à saúde, segurança nas escolas e redução do número de alunos por sala de aula.

Presidente do Sindicato dos Profissionais de Educação Municipal de São Paulo, Cláudio Fonseca, disse que a prefeitura ofereceu um abono complementar ao piso salarial, que eleva em 15,38% o salário de 16 mil dos 94 mil profissionais do município. Os grevistas querem 30,76% ou que o abono seja incorporado a todos os salários.

“A prefeitura não deu resposta sobre a redução da quantidade de alunos por turma, a garantia de 15 minutos de intervalo para professores de educação infantil e ações efetivas na segurança”, reclamou Cláudio.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que atendeu às duas principais reivindicações da categoria. “A administração municipal concedeu um reajuste de 13,43% para todos os profissionais da educação neste ano, incluindo aposentados. Com isso, desde 2013, o reajuste salarial da categoria soma 26%”.

Além disso, a prefeitura apresentou um projeto de lei à Câmara Municipal que oferece um abono salarial para todos os funcionários do quadro dos profissionais de educação que não recebem o piso. O projeto foi aprovado pela Câmara na primeira votação e elevará para R$ 3 mil o salário dos professores com jornada de 40 horas semanais e dos professores de educação infantil”, diz a nota.

Os grevistas marcaram para amanhã (3) uma assembleia, às 15h, em frente à Câmara Municipal para decidir se continuam com a paralisação. De acordo com o sindicato, 70% profissionais permencem parados em período de assembleia, percentual que cai para 40% fora desse período.
Tags:

publicidade

publicidade