SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Professores que aguardam nomeação para concurso fazem manifestação

Eles reclamam dos problemas nos concursos feitos em 2010 e em 2013 para cargos de magistério na educação básica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/08/2014 20:39 / atualizado em 18/08/2014 12:56

Ana Raíssa/D.A Press
Grupo de 16 docentes que aguardam no cadastro reserva ou foram aprovados em seleções públicas para o cargo de professor de magistério da Secretaria da Educação do Distrito Federal protestaram no Conic na tarde desta sexta-feira (15/8). Os professores reclamam da demora na contratação e afirmam que é preciso contratar funcionários efetivos e não mais temporários. O protesto teve início no Conic (no Setor de Diversões Sul) e terminou na sede da Secretaria de Educação (no Setor Bancário Norte), onde os manifestantes permaneceram por duas horas. Os manifestantes organizaram a mobilização por meio de uma rede social.

Os principais problemas apontados estão nos concursos de 2010 - Edital nº 1/2010 da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal e 2013 - Edital n° 1/2013 - SEAP/SEE da Secretaria de Educação e da Secretaria de Administração Pública. Os manifestantes dizem que as contratações feitas pela Secretaria de Educação não estão de acordo com a necessidade de professores porque a carência é muito grande e a quantidade de novos professores é baixa.

Longa espera

Álvaro Henrique Campos, 33, professor de música aprovado em 3º lugar no concurso de 2010 da Secretaria de Educação conta que, depois que fez a prova, passou em outro concurso para professor em Uberlândia, trabalhou como temporário, retornou à Brasília e até agora não foi nomeado. “Eu fiz o concurso em setembro de 2010 e fui homologado em outubro. O que eu acho mais estranho é que já chamaram até a 30ª colocação do concurso de 2013 e não chamaram 40 pessoas do concurso de 2010”, completa.

Alvário diz ainda que o Governo do Distrito Federal (GDF) possui uma carência imensa de professores da educação básica e que existem docentes temporários que trabalham desde 2011. “O concurso de 2010 vence em 31 de dezembro deste ano e tem cerca de 1,5 mil professores esperando a homologação. Por que não os chamam logo? ”, indaga.

Benedito Carvalho e Simone Peres , 26 anos e 34 anos, são professores de educação física, estão no cadastro reserva e aguardam a homologação do concurso de 2013. “No cadastro reserva, estão 710 pessoas. Até hoje, só chamaram 290 pessoas para educação física, para uma carência que existe desde 2008”, reclama Benedito.

Simone completa e diz que outro grande problema é que as aulas de educação física são dadas, na sua maioria, por pedagogos sem qualquer tipo de qualificação especializada na área.

Glauciane Santos, 37 anos, professora de espanhol conta que passou no cadastro reserva para o concurso feito em 2010, em 56º lugar, e que até hoje não foi chamada. “Eu mandei um email para a Secretaria de Educação e eles me disseram que existe uma carência de 10 vagas para professores efetivos com jornada de 40 horas. Mas em 14 de agosto deste ano, eles só chamaram cinco profissionais para a área de espanhol”, afirma.

Para Glauciane, outro ponto curioso é que “existem alguns professores que se inscreveram no concurso como Portadores de Necessidades Especiais (PNE), foram nomeados, estão trabalhando e um mês depois foram chamados novamente para vagas de ampla concorrência. Essas pessoas estão preocupadas e com medo de perder a vaga."

 

Jean Magali, 44 anos, professora de artes plásticas conta que fez o concurso de 2013 e que a Secretaria de Educação até agora não chamou os professores para nenhum turno. “A carência na área das artes é muito grande, toda hora eu vejo alguém anunciando no Facebook que precisa de professores. Eu estou no cadastro reserva, já fiz até o pedido de solicitação de vagas. Estou aguardando.”

Apoio de quem já passou pela situação

No meio de uma manifestação comandada por professores indignados com a atual posição da Secretaria de Educação, Francisco Oliveira, 37 anos, professor de química nomeado em 14 de agosto, foi ao protesto para oferecer suporte aos colegas. “Eu passei quatro anos na expectativa, eu não quero que eles passem o que eu passei. O governo veio com a proposta de aumentar os professores provisórios e de criar um novo concurso para temporários, mas nós temos que lutar contra isso. É preciso contratar professores efetivos e não temporários” completa.

O que diz a Secretaria?

Quando procurada, a Secretaria de Educação disse que a responsabilidade do concurso e das chamadas é da Secretaria de Administração Pública (Seap-DF) e informou que, de 2011 a 2014, foram nomeados 6.384 servidores da carreira de magistério e 1.758 profissionais da assistência, e que, em 2014, o GDF nomeou 3.073 professores e 201 técnicos e analistas. A Seap-DF, por sua vez, disse que a responsabilidade por convocar os professores é da Secretaria de Educação.

Tags:

publicidade

publicidade