SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Jornal do Professor

Projeto escolar ajuda alunos a ampliar consciência crítica sobre economia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/03/2016 20:58 / atualizado em 28/03/2016 21:01

Portal MEC

 

Professora da Escola Municipal Eladir Skibinski, em Joinville, no nordeste catarinense, Carlas Pawluk classifica como um presente a oportunidade que teve de participar do projeto-piloto sobre educação financeira realizado em 2015 em 47 escolas da rede de ensino do município. “Possibilitar que os alunos recebam conhecimentos sobre educação financeira é despertar neles uma consciência crítica em relação ao consumismo e à sustentabilidade, à arrecadação de impostos e à justa aplicação dos recursos públicos para a melhoria da vida em comunidade”, ressalta Carlas.

 

A professora participou do piloto com uma turma de quinto ano do ensino fundamental. O trabalho, intitulado Matemática X Sustentabilidade: uma Conta que Dá Certo, baseou-se nas disciplinas de matemática, língua portuguesa e história. “Foi um projeto pedagógico interdisciplinar, tangenciando o tema transversal de ética e cidadania”, diz.

 

Carlas usou o material posto à disposição pelo Programa de Educação Financeira nas Escolas – vídeo e livro. “As atividades iam sendo aplicadas a cada etapa da leitura e elaboradas de acordo com a realidade e cotidiano dos alunos”, explica.

 

Segundo a professora, o projeto despertou o interesse dos estudantes e proporcionou muitos benefícios. “Eles puderam ser observados nas rodas de conversa, na realização das atividades propostas, na participação ativa nas pesquisas, no interesse pela arrecadação de notas e cupons fiscais e na proposta de ações que vieram a enriquecer o desenvolvimento do projeto”, revela. “São benefícios que trouxeram e trarão mudanças nas ações do dia a dia para uma vida financeira saudável e equilibrada.”

 

Carlas tem graduação em curso normal superior e pós-graduação em séries iniciais, educação infantil e gestão escolar.

 

Reflexão — Para a pedagoga Elhoni Salléte Fernandes, diretora da Escola Municipal Amador Aguiar, na mesma cidade, a reavaliação de objetivos pessoais, a valorização de pequenas quantias em dinheiro, mais reflexão e planejamento em longo prazo foram alguns dos principais benefícios verificados entre os estudantes após a realização do projeto-piloto. “É muito importante contribuir para que os alunos recebam conhecimentos sobre educação financeira”, analisa a diretora. “Isso possibilita que eles aprendam a utilizar adequadamente suas finanças desde os anos iniciais e compartilhem seus conhecimentos com a família e os adultos com os quais convivem, contribuindo para uma vivência cidadã mais consciente.”

 

No magistério desde 1988 e na direção desde 2013, Elhoni tem especialização em educação infantil.

 

De acordo com a coordenadora do programa de educação financeira na Secretaria de Educação de Joinville, Andreza Faria Malewschik, em 2016 serão atendidas as 83 escolas de ensino fundamental da rede municipal de ensino.

 

“O projeto-piloto beneficiou e muito a compreensão de vários aspectos financeiros”, salienta Andreza. Como exemplo, ela cita os cuidados com os gastos domésticos, a responsabilidade para com o cuidado e manutenção da escola, a compreensão dos conceitos de repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar, além de um aprendizado sobre a tomada de decisões corretas quanto a desejo ou necessidade.

 

Com licenciatura plena em matemática, pós-graduação em metodologia do ensino de matemática e mestrado em educação, Andreza também coordena as atividades do Grupo de Educação Fiscal na rede municipal de ensino.

publicidade

publicidade