Trilhas da Educação

Professor desenvolve aplicativo que permite dar retorno sobre conteúdos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/03/2017 18:27 / atualizado em 31/03/2017 18:31

 

Professor de informática na Escola Técnica de Ceilândia (DF), Emílio Evaristo desenvolveu um aplicativo para promover a qualidade do ensino técnico. A ferramenta, que ele chamou de Coaula, permite que os alunos ofereçam aos professores uma resposta sobre o conteúdo, a didática ou qualquer outro aspecto da aula.

 

A ideia surgiu quando o professor fez sua tese de doutorado em ciências da informação, na Universidade de Brasília (UnB), há dois anos. “Percebi que as tecnologias disponíveis não causavam grande impacto no modo das pessoas interagirem e o professor recebia pouco retorno sobre o que ensinava”, explicou Emílio Evaristo. “Por meio do aplicativo, ele conta com as informações necessárias a respeito da evolução da turma, podendo intervir a qualquer momento, sem que precise esperar o resultado final, as notas.”

 

De acordo com o professor, foram identificadas cerca de 50 categorias de questões, e algumas foram escolhidas para serem apresentadas aos alunos de forma aleatória. As respostas geram um relatório em forma de gráfico colorido. “O aluno simplesmente escolhe o que vivencia dentro da sala de aula e acessa as alternativas de resposta que melhor se enquadram”, explicou Emílio Evaristo.

 

 A professora Mirian Neiva, da mesma escola, já tirou proveito da iniciativa para aprimorar suas aulas. “O professor tem todo o embasamento sobre a evolução da turma, então pode intervir em qualquer momento, não precisa esperar o resultado final, as notas.”

 

Emílio Evaristo é professor de informática na instituição de Ceilândia há mais de oito anos. Desde 2015, quando defendeu sua tese de doutorado, criou quatro projetos que conquistaram o prêmio Ideia, Desafio de Educação Tecnológica e Profissional, promovido pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação.

 

A experiência com o Coaula foi tão positiva que no ano passado Emílio Evaristo desenvolveu mais três projetos. Um deles propõe que o currículo escolar seja mais flexível, com base no interesse do aluno. Os outros dois tratam de empreendedorismo e educação a distância. Todos têm em comum o foco no setor técnico profissional.

 

O objetivo desses projetos, de acordo com o professor, é tentar solucionar ou minimizar alguns problemas crônicos do sistema educacional brasileiro – reduzindo a evasão escolar, fomentando o empreendedorismo e ampliando os cursos a distância no país. Juntos, eles garantiram à Escola Técnica de Ceilândia o primeiro lugar na categoria regional do prêmio Ideia – Desafio de Educação Tecnológica e Profissional, promovido pelo Ministério da Educação.

 

 

 

 

Portal MEC