SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Mestres dos ares

Para garantir uma das 135 vagas de nível médio oferecidas pela Aeronáutica será preciso dominar matemática, física e inglês

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2012 09:53 / atualizado em 15/10/2012 09:55

Gustavo Moreno
O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), que pertence à Aeronáutica, lançou edital com 135 vagas de nível médio para o cargo de controlador de tráfego aéreo. Os candidatos selecionados integrarão o Grupo de Defesa Aérea e Controle do Espaço Aéreo (Dacta), responsável pela regulação e orientação da aviação civil e pela proteção do espaço aéreo brasileiro. Aprovados, os futuros controladores passam cerca de um ano na escola de formação do grupo, em São Paulo. Voltado para quem tem afinidade com o setor da aviação, o certame tem oportunidades espalhadas por 21 cidades. Do total das vagas, 10 estão reservadas para Brasília.

Entusiasta das carreiras ligadas a Aeronáutica e à aviação, Francisco Isaac Meira de Lucena, 37 anos, sabe que ser controlador de tráfego aéreo não é uma tarefa simples. “Exige muita responsabilidade e atenção.” Bacharel em desenho industrial, hoje ele faz um curso técnico de despachante operacional de voo e, além de se preparar para o concurso do Decea, também tentará um posto na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Fluente em inglês, item essencial para a ocupação, ele se prepara de forma autônoma, e se surpreende com o fato de não haver a cobrança de conteúdos específicos na prova. “Deveria ao menos haver a exigência de que os candidatos tivessem noções de regulamento de tráfego aéreo, para que soubessem onde estão pisando”, comenta. Organizado pela Cesgranrio, o certame trará questões de língua portuguesa, língua inglesa, física, informática e matemática. E é essa última que causa maior preocupação em Francisco. “As questões demandam muita base teórica e o conteúdo é bem extenso.”

Segundo Bruno Villar, professor de matemática da Rede LFG e autor de livros sobre o tema, o candidato tem razão. Ele explica que a disciplina deve ser cobrada num grau avançado, especialmente a parte de geometria, uma vez que as três vertentes do assunto — plana, espacial e analítica — são avaliadas. Villar diz também que as questões de trigonometria serão aprofundadas, o que requer grande preparação dos candidatos, pois são matérias que não costumam ser de fácil domínio. “Cada um desses dois assuntos deve contar com três a quatro questões da prova, essenciais para o sucesso na seleção.”

As outras questões, de acordo com ele, recaem sobre a parte de álgebra, com funções, análise combinatória e matrizes lineares, sendo duas questões para cada. “Para esses tópicos, é possível estudar por meio de manuais de matemática para concursos”, recomenda. E o docente alerta: “Ao menos uma questão de matemática financeira estará presente, pois é um assunto que a Cesgranrio adora cobrar”.

A física é outro conteúdo que costuma preocupar os concorrentes. De acordo com o professor da disciplina no Grancursos Pablo Guimarães, o conteúdo programático é vasto, e compreende a quase totalidade de assuntos de física do ensino médio, com exceção de ótica, que ficou de fora do edital. Para ele, o segredo é o foco nos temas relacionados à mecânica, como velocidade, aceleração, força e energia. “São matérias básicas para o cargo, já que ele vai controlar voos, e deve entender de velocidade média, por exemplo”, avalia. Para Pablo, num segundo momento, a prova vai trabalhar também com a estrutura de ondas e de eletromagnetismo, pois a parte de ondulatória está particularmente relacionada aos radares, ao funcionamento dos sonares e dos objetos que o controlador vai utilizar ao longo do seu trabalho.

Peça-chave
O controlador de tráfego aéreo, afora dominar o uso de equipamentos de precisão, precisa também se comunicar com quem está voando. É nessa hora que o domínio do inglês é imprescindível. Não surpreende, portanto, que a disciplina corresponda — assim como a língua portuguesa — a um quarto dos pontos da prova. Gabriela Knoblauch, professora de língua inglesa do curso preparatório on-line Ponto dos Concursos, acredita que para se sair bem é importante conhecer as palavras cognatas (verdadeiras e falsas), bem como o vocabulário técnico da área.

Diferentemente de outros concursos de nível médio, que costumam utilizar a gramática de forma implícita, apenas como ferramenta para a correta interpretação dos textos, esse edital cobra a gramática explicitamente. “Mas creio que a banca optará pelo equilíbrio: a maior parte das questões sobre interpretação e algumas com foco gramatical”, afirma a professora. Gabriela lembra que certos tópicos são cruciais para a total interpretação do texto. Conjunções, marcadores do discurso, verbos modais e advérbios são, segundo ela, os que mais ajudam os candidatos nessa tarefa. A especialista aconselha os concorrentes a estudarem com foco nos pontos fracos. “Os alunos tendem a estudar as disciplinas com as quais mais têm afinidade. Agora é hora de suprir as deficiências.”

O que diz o edital
Grupo de Defesa Aérea e Controle do Espaço Aéreo (Dacta) — Aeronáutica
Cargo: Controlador de tráfego aéreo
Vagas: 135
Remuneração: R$ 4.018,82
Taxa: R$ 70
Inscrições: até 24 de outubro
Provas objetivas: 2 de dezembro
Edital: www.cesgranrio.org.br
Tags:

publicidade

publicidade