SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Especialista em educação

Estatística, informática e legislação educacional são conteúdos presentes em todas as provas para quem vai concorrer a uma das 140 vagas de níveis médio e superior oferecidas pelo Inep

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2012 09:40 / atualizado em 22/10/2012 09:42

Marcelo Ferreira
Lidar diariamente com números e estatísticas sobre a educação no Brasil faz parte da rotina do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Autarquia federal ligada ao Ministério da Educação (MEC), o órgão abriu concurso público para 140 vagas de níveis médio e superior. O Inep tem sob sua responsabilidade a condução das principais avaliações educacionais do país, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). São 100 vagas para o cargo de pesquisador-tecnologista em informações e avaliações educacionais — que exige ensino superior completo — e 40 vagas para técnico em informações educacionais, de nível médio. Todas as oportunidades são para Brasília.

O certame consistirá em provas objetivas com 80 questões para ambos os cargos, com conhecimentos básicos e específicos sobre a área pretendida. Entre as matérias comuns a quase todas as ocupações estão português, inglês, noções de direito, informática e estatística. A prova de nível médio conta com uma redação, enquanto os candidatos com formação superior serão submetidos a uma prova discursiva de conhecimentos específicos para a área de concentração escolhida.

A universitária Bruna Reis, 20 anos, é candidata a uma das vagas para o cargo de nível médio. A jovem escolheu a carreira de técnico em informações educacionais. Depois de ter trabalhado como professora de educação infantil, Bruna acredita que a opção por um certame na área educacional foi natural. “É um ramo apaixonante, e o trabalho desenvolvido pelo Inep é muito interessante”, diz. A estudante do 6º semestre de comunicação organizacional na Universidade de Brasília (UnB) aproveitou o período de greve para colocar a preparação em dia e acredita que a maior dificuldade estará no conteúdo específico, como a parte de legislação educacional.

Esse é, de fato, um conteúdo pouco conhecido dos concurseiros, garante a professora da disciplina no curso preparatório Grancursos Fabiana Lagar. De acordo com ela, a matéria está diretamente ligada à função que será desempenhada pelos futuros servidores. “As questões vão cobrar o que está escrito na lei seca, contudo, são detalhadas, pela própria característica das leis abordadas, como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, que é bastante específica”, prevê. Ela recomenda que os estudantes façam, primeiramente, uma leitura geral das leis, para, depois, organizá-las por assuntos. A repetição de conteúdos é também um fator que merece a atenção. “Alguns conteúdos de legislação educacional se repetem tanto na prova de conhecimentos gerais quanto na de conhecimentos específicos, o que mostra que a probabilidade de serem cobrados é maior”, avalia.

Itens fundamentais
Aqueles que forem aprovados vão ter de lidar diariamente com os números e dados relacionados à área de educação. Não por acaso, a estatística — seja na forma de noções, ou como saber específico — é conteúdo obrigatório para todos os cargos. O professor da disciplina no curso preparatório IMP Vanderlan Marcelo destaca que, para o cargo de técnico, o edital está bem pequeno e objetivo. Ele afirma que a definição e o papel da estatística são conteúdos essenciais para se dar bem no concurso. Outro conselho de Marcelo é para que os candidatos não se preocupem com cálculos complexos, já que 75% do conteúdo descrito no edital é puramente teórico. “No restante, o concorrente pode esperar o trivial da estatística descritiva, aquela que é cobrada nos outros concursos, com tabelas, representações e cálculos básicos.” O professor diz que não existem muitas provas de estatística da banca IBFC e, portanto, recomenda o estudo por meio dos exames da Cesgranrio, que também têm um estilo mais objetivo.

Disciplina já conhecida daqueles que se preparam para concursos, o direito constitucional aparece como item de conhecimento comum para os dois cargos. Leo van Holthe, professor do tema no curso preparatório IGEPP, explica que as questões terão grau de dificuldade de médio a fácil. Para os cargos de nível médio, o direito constitucional está inserido no conteúdo de legislação educacional — na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e no Plano Nacional da Educação (PNE). “Acredito que sejam quatro questões de direito constitucional para o cargo técnico, portanto, todos os conteúdos presentes no edital devem ser cobrados, com uma pergunta para cada item.”

Holthe alerta para que os candidatos prestem atenção na literalidade dos artigos de 1º a 5° da Constituição. Além disso, ele afirma ser importante estudar o conteúdo que diz respeito à administração pública. Mas sempre com o olho na constituição, nada de interpretar. “Despreocupem-se com jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça, pois esse não é um concurso da área jurídica”, garante.

Noções de informática também é outro conteúdo comum a quase todos os cargos do certame. Segundo Thiago Fagury, professor de informática e tecnologia da informação do curso preparatório Pró-Cursos, a tendência da banca IBFC é não aprofundar em nenhum assunto da área. “Para fazer essa prova é importante que o candidato se familiarize com os botões do computador, com o que cada um faz, com os atalhos do teclado.” Para as questões de sistema básico de computadores e segurança, o professor aconselha fugir das apostilas e focar nas leituras específicas, como o livro Informática para concursos, do professor João Antônio (Editora Campus/Elsevier).

O que diz o edital

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
Cargos: pesquisador-tecnologista em informações e avaliações educacionais (nível superior) e técnico em informações educacionais (nível médio)
Vagas: 140
Remuneração: de R$ 3.253,81 a R$ 8.128,15
Taxas: R$ 50 e R$ 60
Inscrições: até 12 de novembro
Provas objetivas: 9 de dezembro
Edital: www.ibfc.org.br
Tags:

publicidade

publicidade