Jogo em rede social ajuda alunos na preparação para o Enem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/11/2012 19:49

Com a proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será neste fim de semana (3 e4 /11), revisões são indicadas por professores e especialistas para que os candidatos se saiam bem no teste nacional. Os estudantes fazem de tudo: grupos de estudo, revisão, respondem a questões de provas antigas e… jogam no Facebook. É isso mesmo, as redes sociais estão auxiliando mais de 115 mil estudantes a se prepararem para as provas do Enem de maneira criativa.

O professor do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Geber Ramalho explica que há dois tipos de aprendizagem: a de conteúdo e a de competências. A primeira é chata, seja onde for, na sala de aula ou em jogos. Já a segunda, vai ser a que garantirá o sucesso do candidato. “É preciso aprender competências, ou seja, resolver problemas a partir de hipóteses, montar estratégias, organizar informações e tomar decisões que acarretam em consequências. É o que ocorre no Enem, por isso as questões da prova são diferentes”, avalia.

O ponto de vista defendido pelo professor coloca as redes sociais como terrenos férteis para jogos que ensinarão competências e vão dar aos estudantes a possibilidade de aprender de forma diferente. É o caso do Saiba+Enem, game que funciona no Facebook e que tem auxiliado estudantes a relembrarem assuntos cobrados em provas do Exame.

“O Enem vem crescendo e atingiu neste ano o número recorde de inscritos, mais de 5,7 milhões de candidatos. Nós criamos o Saiba+Enem para motivar esses candidatos nos estudos que antecedem ao exame”, afirma Américo Amorim, Diretor Presidente da Daccord Educação, empresa responsável por criar o jogo, onde o candidato pode ter acesso a um banco de dados com mais de três mil perguntas no estilo do Enem. As perguntas são de provas antigas do exame e também exclusivas, elaboradas em parceria com cursos pré-vestibulares de diversos estados brasileiros. Elas são divididas nas áreas de linguagens, ciências naturais, matemática e ciências humanas.

“A demanda pelo jogo foi percebida depois de entrevistas com alunos e professores. A intenção foi criar uma tecnologia educacional superinterativa que ajudasse alunos e professores no ensino e na aprendizagem”, explica Amorim. A plataforma utilizada pelo jogo funciona como ambiente de interação entre os participantes. O estudante pode escolher jogar por área de conhecimento ou optar por responder de maneira aleatória. Além disso, ele também pode convidar amigos a fazer parte de seu jogo e competir em simulados que criarão listas de desempenho desses amigos e dos demais jogadores através de rankings.

Como funciona

Divulgação


Divulgação


Amorim explica que, ao jogar diariamente, o participante tem a possibilidade de ver como está cada uma das habilidades e competências pessoais pedidas pelo Enem. Lançado há um ano, o jogo já tem acessos em países como os Estados Unidos, México e Argentina. No Brasil, o estado que possui mais participantes é São Paulo, seguido do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Ceará, Pernambuco e Paraíba. Brasília está na 11ª colocação, com 1,6 mil jogadores.

Prática
Ao mexer em páginas on-line de amigos, José Lopes de Vasconcelos Júnior, o pernambucano Juninho, descobriu o Saiba+Enem e decidiu conhecer melhor o jogo. O estudante de 19 anos, formou-se no ensino médio e cursou um ano e meio de biomedicina. O curso não agradou, já que a expectativa do estudante era fazer medicina. “Tudo é uma forma de estudar, melhorar e aprender mais. Achei bem interessante responder às perguntas porque ele (o jogo) traz realmente o que a gente precisa. É bem completo e temático, por isso não cansa tanto”, explica José Lopes.

Ele vai usar as notas do Enem para se candidatar a vagas de vestibulares de universidades federais do país. Pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Juninho quer concorrer às federais do Alagoas e do Vale do São Francisco, em Pernambuco. Com o Programa Universidade para Todos (ProUni), ele quer entrar na federal de Campina Grande, na Paraíba, e na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

“Não me dou bem com as provas de Pernambuco, então, minhas maiores chances são fora daqui”, diz Juninho, que se prepara para a prova do Exame fazendo cursinhos, respondendo provas antigas, escrevendo redações e revisando o conteúdo das matérias. Ele ficou em primeiro lugar no terceiro simuladão do jogo e, como recompensa, ganhou um iPod. “Estou confiante. O jogo realmente ajudou. Se eu não consigo responder a alguma pergunta é esse o tema que vou estudar mais”, relata.
Tags: