SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

De olho no crescimento do país

No concurso do DNIT, candidatos a uma das vagas de nível superior terão que conhecer os fundamentos da economia brasileira contemporânea. Aqueles que buscam aprovação nas oportunidades de nível médio precisarão dominar o conteúdo de raciocínio lógico quantitativo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/11/2012 10:14 / atualizado em 19/11/2012 10:15


O professor de dança Gilson Cristóvão dos Santos dedica manhãs e tardes aos estudos para a seleção (Viola Junior/Esp. CB/D.A Press ) 
O professor de dança Gilson Cristóvão dos Santos dedica manhãs e tardes aos estudos para a seleção
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), autarquia vinculada ao Ministério dos Transportes, está com inscrições abertas no concurso que oferece 1,2 mil vagas em  todo o Brasil para dois cargos de níveis superior e médio. Só no Distrito Federal estão previstas 425 oportunidades, para trabalhar na sede do órgão. Os salários podem chegar a mais de R$ 7 mil. A dica dos especialistas para quem busca aprovação é ter disciplina e elaborar um plano de estudos rigoroso para ver todos os extensos conteúdos exigidos pelo edital antes de 20 de janeiro, data prevista para a aplicação das provas.

Os dois cargos de nível superior vão exigir conhecimentos em economia brasileira contemporânea. O concurso deve trazer questões sobre a conjuntura econômica
atual do país, uma vez que o crescimento econômico requer investimentos em transportes e estradas, função delegada ao DNIT. Embora esse assunto traga apenas cinco questões de peso um, os candidatos precisarão estudar 23 tópicos abrangentes. “Pela análise do edital é possível perceber que será levada em conta a realidade do país. Não é preciso ter medo, pensando que a prova vai conter termos técnicos de economia. O importante é entender a fase atual do nosso crescimento”, ressalta Wanderly Rodrigues, professor do curso preparatório Vestcon.

Ele aconselha que os candidatos dividam os tópicos em cinco grupos, o que pode facilitar os estudos. “Primeiro, deve-se entender qual o papel do Estado na sociedade e na economia. Em seguida, rever os assuntos sobre a atual crise econômica mundial. Outra parte importante é o desenvolvimento nacional, focado na questão da infraestrutura do país, que é de responsabilidade da autarquia. O quarto ponto diz respeito às características recentes da nossa sociedade e, por fim, o quinto e último tópico é voltado para a análise de projetos, formas de gestão e planejamento governamental”, explica. Outro conselho do professor é não deixar para estudar na última hora, pois a Escola de Administração Fazendária (Esaf), banca que organiza o concurso, costuma cobrar nas provas boa parte do que está previsto no edital. Como são muitos os assuntos a serem tratados, o melhor é começar o quanto antes.

Ainda para o nível superior, será cobrado nas provas de conhecimentos gerais para os dois cargos o conteúdo de direito financeiro. O professor do Pró Cursos e do Gran Cursos Gustavo Bicalho alerta que esse assunto é complexo, porque aborda temas relacionados a orçamento público e também a convênios e Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Como o candidato não terá tempo hábil para estudar completamente as matérias, é preciso dar prioridade aos estudos sobre convênios e transferências; tributação e retenção; princípios orçamentários; créditos adicionais; receita e despesa; aos Decretos nº 93.872 e nº 200; além da LRF”, orienta. Os dois decretos citados por Bicalho dispõem sobre a unificação dos recursos de caixa do Tesouro Nacional e a sobre a organização da Administração Federal, respectivamente. O professor reforça a importância de estudar o orçamento. A partir dessa matéria será possível entender com mais facilidade os demais temas de direito financeiro.

Cálculos
Quem pretende concorrer aos cargos de técnico de suporte em infraestrutura de transportes e técnico administrativo deve ficar atento ao que pode ser cobrado na prova de raciocínio lógico quantitativo. O professor do Instituto Processus Edcarlos Rodrigues explica que o fundamental é saber resolver problemas de matemática básica. “As questões devem ser divididas em exercícios de estruturas lógicas (argumentação, proposição e equivalências) e de raciocínio quantitativo. Vale lembrar que a Esaf sempre conta com uma questão de matrizes, envolvendo determinantes. Nesse concurso não deve ser diferente”, diz Rodrigues.

Para conseguir uma das 122 vagas na área administrativa, Gilson Cristóvão dos Santos, 37 anos, abriu mão das aulas de dança e começou a dedicar mais tempo aos estudos. “Sou professor de dança e tive que concentrar minhas aulas somente no período da noite. De manhã, estudo no cursinho e, à tarde, por conta própria”, relata.

Gilson acredita que a experiência adquirida em outros certames possa ajudá-lo na seleção do DNIT. Além de raciocínio lógico, ele vai se dedicar também aos estudo de língua portuguesa. “Esse conteúdo é o que geralmente me nivela para cima ou para baixo nas provas. Como já sei quais são as minhas dificuldades, vou focar nelas e garantir um resultado satisfatório”, afirma. O professor de dança também encontrou uma maneira divertida de estudar: ele grava paródias com os temas do concurso. Além disso, criou um ambiente especial em casa para ter mais conforto nas horas de leitura.

O que diz o edital
Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT)

Vagas: 1,2 mil
Taxas: R$ 50 a R$ 100
Inscrições: até 30 de novembro
Provas objetivas: 20 de janeiro de 2013
Edital: www.esaf.fazenda.gov.br/ concursos/concursos_selecoes/
DNIT-2012/index_DNIT.html
Tags:

publicidade

publicidade