SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Trabalho

Mil vagas na PM do DF

As oportunidades são para praças, em três cargos. Os salários iniciais chegam a R$ 4,3 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/12/2012 08:00 / atualizado em 13/12/2012 12:28

Lorena Pacheco

Bruno Peres
Os concurseiros da capital federal ganharam ontem uma boa notícia. O aguardado edital para a Polícia Militar do Distrito Federal foi, enfim, lançado. São ofertadas mil vagas de nível superior, em qualquer área de formação, para praças. Não estão previstas chances para pessoas com deficiência. O salário inicial durante o curso de formação é de R$ 3.322,51, mas, depois, chega a R$ 4.306,79, além de auxílio-alimentação de R$ 650. Os candidatos devem ter entre 18 e 30 anos (até o último dia de inscrição) e altura mínima de 1,65m (homens) ou de 1,60m (mulheres).

As oportunidades são divididas entre três cargos: soldado policial combatente (964 oportunidades, sendo 790 para homens e 174 mulheres), especialista corneteiro (24, para ambos os sexos) e especialista músico (12, também para candidatos dos dois gêneros). No último, pode-se escolher entre as especialidades em oboé/ corne inglês; clarineta alto Eb/ clarinete Bb; clarinete baixo Bb (clarone)/ clarinete Bb; saxofone alto/ saxofone soprano; trompa; trompete; trombone tenor; trombone baixo/ trombone tenor/ tuba; bateria; e percussão sinfônica.

As inscrições podem ser feitas pelo site www.universa.org.br, da Fundação Universa, organizadora do certame, de 7 de janeiro a 18 de fevereiro de 2013. A taxa é R$ 62. A seleção será dividida em cinco etapas. Haverá prova objetiva e discursiva, com aplicação prevista para 24 de março, teste de aptidão física, exames médicos, avaliação psicológica e sindicância de vida pregressa e investigação social. Os concorrentes às vagas de soldado corneteiro e músico farão ainda prova prático-instrumental.

Nos exames objetivos, serão 20 questões gerais de múltipla escolha sobre língua portuguesa, atualidades, raciocínio lógico e noções de informática. Além disso, haverá 40 itens de conhecimentos específicos sobre direitos administrativo, constitucional, penal, processual penal e penal militar, e legislação extravagante (estatutos do Desarmamento, da Criança e do Adolescente e de Juizados Especiais Criminais, entre outros).

Preparação
O defensor público e professor dos direitos penal e processual penal Vinícius Fernando sugere aos interessados nas novas oportunidades da PMDF intensificar os estudos nas matérias específicas militares. “Tópicos como a lei penal do tempo, o princípio da legalidade, crimes contra o patrimônio, prisão cautelar e inquérito policial são recorrentes em concursos, e devem se repetir na prova da Polícia Militar.”

Ele sugere, no entanto, que, como o tempo até as provas é curto, os candidatos recorram à legislação comentada para agilizar o entendimento. “Também não se pode deixar a preparação física para a última hora porque isso elimina muita gente. Sem falar que o exercício ajuda a assimilar melhor o conteúdo (teórico), por causa do aumento da oxigenação do cérebro, e aumenta a disposição”, argumenta.

ANS terá nova seleção A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, autorizou ontem nova seleção para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O edital do concurso deve ser lançado em um prazo máximo de seis meses. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União. Haverá 82 oportunidades para preenchimento imediato.

Do total de vagas, 31 serão para o cargo de analista administrativo e 26 para especialistas em regulação e saúde suplementar. Ambos exigem formação de nível superior. Além disso, 22 chances serão para técnicos administrativos e três para técnico em regulação e saúde suplementar. Atualmente, os analistas da ANS ganham R$ 9.263,20 e os especialistas, R$ 10.019,20. Os técnicos administrativos tem salário de R$ 4.760,18 e os técnicos em regulação, de R$ 4.984,98.

A última seleção promovida pela agência reguladora foi lançada em 2010, com a oferta de 89 vagas temporárias para cargos de nível superior. Sessenta foram para graduados em direito e 29, para as áreas de administração, economia e contabilidade. As remunerações variaram de R$ 3,8 mil a R$ 6,1 mil, para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. A Fundação Euclides da Cunha (FEC) foi a empresa organizadora do concurso, que contou apenas com provas objetivas aplicadas no Rio de Janeiro. (LP)

Tags:

publicidade

publicidade