SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Preparação

Aprenda a estudar

Existem até cursos que ensinam metodologias específicas para garantir a aprovação em concursos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/02/2013 12:14


Leandro e a mulher fizeram um curso para aprender técnicas de estudo. Agora, se dedicam às provas que estão por vir (Carlos Moura/CB/D.A Press ) 
Leandro e a mulher fizeram um curso para aprender técnicas de estudo. Agora, se dedicam às provas que estão por vir
Começou. Depois das festas de fim de ano e das férias, quem sonha em passar nos concursos das instituições públicas não tem mais desculpas para não voltar aos livros e começar a estudar. Segundo estimativa da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), em 2013, deverão ocorrer 78 concursos para instituições nacionais e 96 para órgãos estaduais. Aqueles que pretendem ingressar neste ano na vida de concurseiro devem aproveitar a fase inicial da preparação para definir qual área gostariam de seguir.

Para o psicólogo Erich Botelho, especialista em educação, antes de tudo, o iniciante deve ter certeza de que realmente quer ingressar no serviço público. “Não é uma meta simples. Quem tenta essa carreira precisa ter em mente que é um projeto que pode levar anos”, afirma. Depois disso, o primeiro passo é montar um plano eficiente. A dica do especialista Charles Dias, autor de 7 estratégias básicas para encarar um concurso público (Campus/Elsevier, 272 páginas, R$ 59,90), é manter o foco apenas em concursos para áreas de interesse do aluno. “Quem se prepara para todas as provas não consegue se preparar para nenhuma”, relata. Conhecer detalhes dos certames e as características de cada banca são outras sugestões importantes.

Uma solução para quem está em dúvida é procurar cursos que ensinam metodologias específicas. A coordenadora do curso A+, Áurea Bartoli, que dá aulas no curso Aprendendo a estudar para concursos, indica o uso de mapas mentais (veja a ilustração). Eles consistem em esquemas feitos à mão ou no computador que ligam assuntos relacionados ao tema central no formato que lembra uma árvore, com raiz, troncos e galhos. “A técnica esquematizada, com cores e desenhos escolhidos pelo próprio aluno, deixa o estudo mais compreensível e rápido, além de aumentar a memorização a longo prazo”, argumenta.

Além dos mapas mentais, Áurea cita a revisão inversa como outra forma eficaz de fixar o conteúdo. “Funciona como um teste aplicado pelo próprio estudante, que se senta em frente a uma folha em branco e escreve tudo aquilo que lembra sobre determinado assunto, para depois comparar com o que há no resumo ou no mapa mental”, explica. “É diferente da revisão direta, em que o aluno só lê e memoriza o que já está escrito”, completa.

Dedicação diária
A rotina de Leandro Marçal Vicente, 38 anos, teve de ser adaptada desde que ele ingressou no mundo dos concursos, na metade do ano passado. Ele e a mulher,  Márcia Regina de Jesus, que também pleiteia uma vaga na carreira pública ainda neste ano, fizeram o curso sobre técnicas de estudo ministrado pela professora Áurea.  Leandro divide a rotina de estudante de engenharia elétrica em uma faculdade particular da cidade com os cuidados dos dois filhos, de 2 e 6 anos. Para conquistar a vaga, ele estuda duas horas por dia e aplica os métodos de revisão inversa e mapas mentais. “Eles me ajudam a organizar o que devo estudar em cada matéria”, explica.

O estudante está de olho nos concursos de nível médio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), e da Telecomunicações Brasileiras (Telebras). Ele também considera os exames cujos editais ainda não foram lançados, como os dos ministérios da Fazenda, das Cidades e da Integração Nacional. “É preciso começar a estudar antes mesmo de anunciarem o que vai cair nas provas”, pondera.

Para Charles Dias, Leandro está no caminho certo ao iniciar a preparação cedo. “Enquanto a banca não divulga o edital, é tempo de estudar disciplinas mais gerais e comuns na maior parte dos concursos, como matemática, português e informática, além de direito constitucional e administrativo, no caso de concursos de nível superior”, sugere. Outra técnica indicada por Dias é a de simular o momento da prova da maneira mais realista possível. Locais com carteiras escolares desconfortáveis, outros concurseiros por perto, tempo cronometrado e sem possibilidade de consulta ajudam a imitar o ambiente do dia de exame.

Dieta saudável
Não basta cuidar dos estudos para se dar bem nos concursos públicos. A nutrição mantém o cérebro do estudante em funcionamento e afasta o cansaço. “Açúcar demais demora a ser metabolizado pelo organismo, que tem de trabalhar mais. Isso leva o candidato a se cansar mais rápido”, explica a nutricionista clínica Juliana Garcia. Mesmo quem fica muito tempo fora de casa deve evitar pular as refeições e precisa comer de três em três horas. “O estudante deve levar comida de casa para manter a rotina e ficar atento ao tempo que o alimento pode ficar fora da geladeira”, alerta.

Alimentos como peixe, linhaça e azeite contêm ômega-3, nutriente ligado à melhora da memória e da capacidade de aprendizado.  “Outra boa opção é a castanha, que contém zinco, substância que ajuda o cérebro a trabalhar com mais rapidez”, afirma Juliana. Além disso, o candidato deve estar sempre bem hidratado: dois litros de água por dia são o mínimo.

A atividade física também não deve ser deixada de lado. De acordo com o psicólogo Erich Botelho, exercícios aeróbicos ajudam na concentração. “Caminhadas de meia hora, quatro vezes por semana, são o suficiente para motivar o estudante”, afirma. É importante também que o candidato tenha boas noites de sono, com oito horas diárias no mínimo.

Depoimento
Passei em seis certames


Sou analista de sistemas e comecei meus estudos para concurso público após uma imensa decepção na área privada. Por conta da minha boa qualificação e capacitação pensava ser insubstituível, até que fui demitido. A surpresa foi grande, fiquei muito chateado e, na mesma época, tive vários problemas de ordem familiar, o falecimento do meu avô paterno e uma cirurgia de alto risco da minha irmã. Apesar de toda a dificuldade e tristeza, encontrei forças para planejar uma mudança na minha vida, eu queria a tão sonhada estabilidade do serviço público. Iniciei minha preparação me matriculando numa turma para o concurso do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), presente da minha esposa, Pollyana.

O primeiro semestre de 2012 foi muito intenso, eu queria passar de qualquer jeito, estudava de 10 a 12 horas por dia, todos os dias, mal me alimentava. Isso me fez mal. Em maio, minha pressão quase explodiu. Passei a fazer exercícios físicos, me alimentar melhor, dormir direito e a dar mais qualidade aos meus estudos. No segundo semestre, estudava por volta de oito horas diárias, mas com uma diferença: comecei a trabalhar mais com a resolução de exercícios — fiz 16.823 itens. Além disso, adotei a seguinte estratégia: estava estudando para a Policia Federal, mas o concurso foi suspenso, então, decidi fazer provas da mesma banca, o Cespe. Assim, eu estudava para outras áreas com matérias afins, mas não deixava de estudar 80% do conteúdo da PF. A grande chave foi o foco, a disciplina e a resolução de exercícios.

Dediquei-me bastante, me afastei dos eventos sociais e familiares e da convivência com a minha filha Maria Giulia, de 4 anos. Foi dolorido, às vezes eu chorava de tristeza, mas não desisti, pois sabia que o resultado seria importante na minha vida e na dela também. Fui aprovado em seis concursos, todos dentro das vagas. Hoje, vejo que valeu a pena, não só pela sensação maravilhosa que é ser aprovado, mas pela oportunidade de poder sonhar com uma vida pessoal e profissional melhor.

André Fernandes,
32 anos, morador de Águas Claras


Próximas chances
Concursos previstos, autorizados e abertos em 2013
Órgão do DF     Vagas
Banco de Brasília (BRB)      10 mais cadastro de reserva
Conselho Regional de Química da 12ª Região (DF e TO)      84
Polícia Militar do DF      1 mil
Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios      110
Tribunal Regional do Trabalho      Cadastro de reserva
Órgãos nacionais     Vagas
Aeronáutica    434    
Ancine    62    
ANS    82    
Antaq    195    
ANTT    135    
Anvisa    165    
Banco Central    1.950    
BNDES    Cadastro de reserva (inscrições encerradas)
Cade    200    
CBTU    318    
CNJ    177 (inscrições encerradas)
Conif    4.683    
Correios    6.602    
Depen    134    
Dnocs    120    
Defensoria Pública da União    789    
Enap    45    
Fundação Nacional de Saúde    52    
Ibama    61    
IBC    71    
Incra    550    
INSS    500    
Instituto de Pesquisa do Jardim Botânico    18    
Justiça Federal do Rio de Janeiro    Cadastro de reserva    
Ministério do Desenvolvimento Agrário    341    
Ministério da Agricultura     2.922    
Ministério das Cidades    130    
Ministério da Cultura    83
Ministério da Educação    9.033    
Ministério da Fazenda    602    
Ministério da Justiça    100    
Ministério Público Militar    Não informado    
Ministério das Relações Exteriores    Não informado    
Ministério da Saúde    2,5 mil    
Ministério da Defesa    100    
Ministério do Planejamento    51    
Ministério do Trabalho    2.487    
Ministério do Previdência    1.080    
Ministério Público da União    2,2 mil    
Polícia Federal    1,2 mil    
Polícia Rodoviária Federal    1,5 mil    
Procuradoria Geral da Fazenda    2.590    
Receita Federal    4.850    
Supremo Tribunal Federal    Cadastro de reserva    
Superior Tribunal Militar    6 mais cadastro de reserva    
Secretaria da Receita Federal    2 mil    
Susep    112    
Telebras    200 mais cadastro de reserva
Termorio    40    
Tribunal Marítimo    2    
Universidade Federal de Ouro Preto    8    
Universidade Federal de Viçosa    11    
Universidade Federal do ABC    8    
Universidade de Brasília    306    
Universidade Federal do Paraná    75 
Tags:

publicidade

publicidade