SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Seleção

Reforço que vem de fora dos estádio

Terminam em 16 de fevereiro as inscrições para trabalhar como voluntário na Copa das Confederações. Governo federal vai chamar 11,9 mil candidatos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/02/2013 12:14


Caio, Igor e Rafaella querem reforçar a equipe: experiência importante para o currículo (Ed Alves/CB/D.A Press   ) 
Caio, Igor e Rafaella querem reforçar a equipe: experiência importante para o currículo

Os estudantes Caio Azevedo, Igor Queiroz e Rafaella Gonçalves, todos de 17 anos, querem, em 2013, ultrapassar as fronteiras da sala de aula. Em busca de experiência profissional, contato com pessoas de outros lugares do mundo e de aprendizado em idiomas diferentes, os três alunos do ensino médio em escolas públicas do Distrito Federal são candidatos a trabalhar como voluntários durante a Copa das Confederações, da Fifa. Eles se inscreveram no programa Brasil Voluntário, do governo federal, que vai selecionar 11,9 mil pessoas para reforçarem a equipe na recepção de delegações e torcedores durante as atividades deste ano. Os interessados que ainda não se cadastraram para participar devem preencher o formulário de inscrição disponível no portal do programa.


Igor não esconde a ansiedade de participar do campeonato como voluntário. Ele foi um dos alunos de destaque entre os de escolas públicas no DF em 2012: conseguiu ser selecionado para uma olimpíada de matemática na Índia e foi escolhido, entre todos os brasileiros participantes, como porta-voz oficial da equipe, por causa da fluência em inglês. Agora, Igor quer mais. “O trabalho como voluntário num evento como esse e o de 2014 me expõe a novas possibilidades. Espero que a experiência me ajude a fazer contatos e utilizá-los no futuro, quando eu estiver procurando um emprego de verdade”, conta.

Para garantir a vaga, o estudante e os colegas Caio e Rafaella participam de um projeto complementar de capacitação de voluntários oferecido a alunos e professores da rede pública de ensino nos Centros Interescolares de Línguas (CILs) do DF. O objetivo das atividades do Um gol de educação é treinar cerca de 800 pessoas para recepcionarem turistas, atletas e autoridades durante os campeonatos.

Caio quer ter a chance de praticar o inglês que aprendeu no CIL de Ceilândia enquanto trabalha e, assim, garantir no currículo a fluência na língua. “Quero aproveitar para, quem sabe, fazer amigos de fora”, revela o jovem. Já Rafaella aposta na própria simpatia, inteligência e, é claro, na presença maciça de estrangeiros e autoridades mundiais para conquistar os objetivos profissionais após as duas copas. “Imagine o tanto de gente diferente que vai passar por aqui? Essa é a minha chance de mostrar o que eu posso fazer.”

A jovem, que já trabalhou como voluntária em outros eventos em Brasília, descobriu na atividade voluntária uma maneira de participar de forma mais ativa da vida da cidade e do país. Ela também pretende acompanhar de perto a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e, por isso, se dedica todos os dias a estudar dois idiomas estrangeiros e, ainda, a conhecer mais sobre as cidades sedes dos dois campeonatos e pesquisar sobre os costumes e tradições dos países participantes. “Quero estar preparada para fazer uma recepção adequada. Eu não sabia nada de futebol, e já estou craque, pelo menos no vocabulário. Estou estudando o tema em inglês e francês”, afirma.

De braços abertos
“O momento é de garantir o sucesso desses eventos, para mantermos uma boa imagem do nosso país lá fora”, explica o chefe de gabinete do Ministério do Esporte, Vicente Neto. Para atender toda a demanda gerada, há dois programas oficiais de seleção e treinamento de voluntários. Além do recrutamento para o qual Caio, Igor e Rafaela se candidataram, há também um organizado pela Fifa, que já encerrou as inscrições para os torneios de 2013 e 2014.

Enquanto os 7 mil escolhidos pela instituição internacional vão trabalhar nos estádios e em eventos organizados pela entidade, o governo vai indicar também 7 mil para atuarem em lugares cuja administração é de responsabilidade do Brasil, como aeroportos e pontos onde há grande concentração de público. Outros 3,5 mil vão participar das apresentações artísticas nas cerimônias de abertura, em Brasília, e 1,4 mil da de encerramento, no Rio de Janeiro.

Vicente Neto explica a importância de os brasileiros se sentirem motivados a participar da realização dos dois torneios. “Os voluntários são os nossos verdadeiros porta-vozes. Eles vão ter contato direto com milhares de pessoas do mundo. Os estrangeiros desembarcarão no país com mais intensidade a partir de junho e precisamos recebê-los de braços abertos para não perdermos a imagem positiva que temos lá fora”, explica.

A ideia é aproveitar a disponibilidade e a disposição de 20 mil pessoas na Copa das Confederações, e de 75 mil durante o mundial, em 2014, que também deve contar com o apoio de voluntários estrangeiros. Desses, 15 mil serão selecionados pela Fifa e 50 mil pelo programa Brasil Voluntário. O governo anunciou o investimento de R$ 30 milhões para treinar e uniformizar todo esse contingente. Os interessados precisam ficar atentos para não perderem o prazo das inscrições, que devem ocorrer após a Copa das Confederações.

De acordo com Neto, o número de inscrições que os sistemas da Fifa e do governo federal registraram superou a expectativa de participação. “Conseguimos alcançar a meta de inscrições previstas, que era de 30 mil pessoas, no mesmo dia em que abrimos as oportunidades”, comemora. “Estamos todos muito felizes com a adesão. A mobilização ocorreu nas universidades, nas empresas, e até nas igrejas. Mas nunca é demais, por isso, pedimos para que os interessados não deixem de se inscrever”, pede o chefe de gabinete. O resultado dos selecionados para o treinamento será divulgado a partir de 20 de fevereiro.

Sem limites
“Parabéns! Você foi aprovado na primeira etapa da nossa seleção para ser voluntário da Copa das Confederações da Fifa Brasil 2013!”, avisa o e-mail que chegou à caixa de mensagem de Martha Marques, 51 anos. Ela foi pré-selecionada pela Fifa para trabalhar no evento que, em Brasília e em outras cinco capitais do país, antecede a Copa do Mundo de Futebol de 2014. Prestes a se aposentar, a funcionária pública não pensa em ficar em casa descansando. “Nunca fiz nada igual. Estou muito ansiosa, mas me sinto pronta para o desafio. Vai ser uma loucura!”, garante, animada.

Estimulada pelo filho a se voluntariar, agora, Martha não pensa em outra coisa. Para ela, que também já se inscreveu pela Fifa para participar da Copa do Mundo, os torneios significam uma forma de se manter ativa. “Quero conhecer pessoas, tentar ver os jogos, acompanhar as torcidas, praticar meu inglês e participar de tudo isso ao mesmo tempo. Não dá para ficar assistindo tudo pela TV.” Na opinião dela, mesmo quem não está inscrito oficialmente como voluntário pode ajudar a fazer tudo ser um sucesso. “O evento é de todos. Acho que o turista que chegar aqui vai precisar de ajuda, mas vai precisar mais de ver o sorriso no rosto dos anfitriões, da simpatia das pessoas. É isso que conta.”

Participe
Para se inscrever, basta acessar o site www.brasilvoluntario.gov.br até 16 de fevereiro. É preciso ter mais de 18 anos (não há limite de idade), residir no Brasil e estar disponível para trabalhar durante a competição. Os selecionados vão receber treinamento certificado pela Universidade de Brasília (UnB), além de uniforme, alimentação, transporte interno, seguro de responsabilidade civil e contra acidentes durante os eventos. No mesmo endereço, é possível se inscrever para participar das apresentações artísticas das cerimônias de abertura e de encerramento.


 (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press) 

“Nunca fiz nada igual. Estou muito ansiosa, mas me sinto pronta para o desafio”
Martha Marques, candidata pré-selecionada pela Fifa para ajudarna competição

3,5 mil
Número de voluntários do DF que participarão da cerimônia de abertura da Copa das Confederações no Estádio Nacional de Brasília em 15 de junho

Tags:

publicidade

publicidade