SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Saúde em foco

Candidatos a uma das 314 vagas oferecidas pela Anvisa precisam dominar normas de vigilância sanitária e direito constitucional. Acertar as questões de língua portuguesa também fará a diferença

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/04/2013 11:11 / atualizado em 01/04/2013 13:23

Viola Júnior
A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu concurso que selecionará 314 novos servidores, com provas marcadas para 2 de junho. A organização é do Cetro Concursos. Além das vagas para candidatos de nível médio ou com qualquer graduação superior, o órgão contratará profissionais de 29 áreas diferentes. Apenas para graduados em cursos de saúde ou ciências biológicas, como medicina, biomedicina, enfermagem e farmácia, são 142 chances.


Cleber Batista, 36 anos, é estudante de enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) e vai tentar uma dessas vagas. A um ano da formatura, ele participará tanto da prova de nível médio, para técnico em regulação e vigilância sanitária, como do concurso para especialista com graduação superior. “Já participei de outros três certames, mas esse é primeiro na minha área”, conta Cleber. A possibilidade de crescer na Anvisa chamou a atenção do estudante. “Se eu passar como técnico, espero trabalhar em equipes de pesquisa no órgão e, quem sabe, subir na carreira lá dentro”, projeta.

Para alcançar sucesso no concurso, Cleber aproveita os conhecimentos obtidos no curso de enfermagem e pretende marcar boa pontuação na prova de conhecimentos específicos. “Na ESCS nós estudamos muito sobre saúde pública e sobre o Sistema Único de Saúde (SUS), temas esperados no concurso”, comenta. Ele garante que a disciplina com os horários e os método de estudos vão ajudá-lo a conseguir bons resultados no exame. Além de revisar diariamente o conteúdo visto na faculdade, Cleber se aprofunda em áreas distantes da saúde, como direito. “Pode ser que eu ainda faça algum curso on-line”, afirma.

Para todas as áreas

Ficar atento a matérias sobre saúde não fará a diferença só para os candidatos da área. “Como a prova é da Anvisa, é bem provável que caiam questões relacionadas à parte de vigilância sanitária também em conhecimentos gerais”, afirma Fabrício Sarmanho, professor de direito constitucional do curso preparatório Vestcon. Para essa disciplina, o especialista recomenda atenção aos artigos que vão do 196 ao 200 da Constituição Federal. “É a parte que fala, entre outras coisas, do Sistema Único de Saúde”, comenta. Sarmanho alerta ainda que o candidato deve procurar se ater ao texto da lei. “São assuntos que não têm muita doutrina ou jurisprudência, então, os itens devem ser bem diretos”, completa.

De acordo com o professor de direito administrativo Gelson Dicken, do Pró-Cursos, os candidatos devem esperar uma prova tradicional, sem questões longas e que envolvam raciocínio além do que está escrito no enunciado. “É uma banca nova, ainda não há tanta experiência por parte deles para cobrarem itens mais elaborados”, comenta.
Sobre a disciplina, que cairá para concurseiros de níveis médio e superior, Dicken alerta que o estudo deve ter a mesma carga, independentemente da escolaridade. “Apesar de o edital dizer cobrar noções de direito administrativo, o conteúdo é praticamente o mesmo”, afirma. Segundo o professor, assuntos como fato sanatório ou convalidação devem aparecer no certame na parte de atos administrativos. “Também é bom o aluno ficar de olho em poder de polícia, que é um tipo de poder administrativo que vem sendo muito cobrado”, afirma.

Outra disciplina que pode fazer a diferença na classificação do candidato é língua portuguesa, que terá 10 questões no concurso. “Vai ser uma prova conteudista, é preciso dominar muito bem a matéria”, afirma a professora Socorro Brito, do Gran Cursos. De acordo com ela, interpretação é a parte mais difícil para concurseiros, portanto, quem tiver hábito de ler terá vantagem sobre os demais. “É preciso ter base em compreensão de texto que só a leitura pode dar”, explica. Prestar atenção em tópicos gramaticais também será importante para garantir uma das vagas. “Resgatar, nos estudos, assuntos como classe de palavras e regência é essencial”, comenta.

O que diz o edital

Agência Nacional de  Vigilância Sanitária
Cargos: técnico administrativo, técnico em vigilância sanitária, analista administrativo e especialista em vigilância sanitária
» Vagas: 314
» Remunerações: de $ 4.760,18 a R$ 10.019,20
» Inscrições: até 10 de abril
» Taxas: R$ 50 (nível médio) e R$ 70 (nível superior)
» Provas: 2 de junho
» Edital: www.cetroconcursos.com.br

Tags:

publicidade

publicidade