SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

130 vagas para Brasília

Candidatos ao concurso do Ministério das Cidades precisarão dominar língua portuguesa e direitos constitucional e administrativo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/05/2013 10:36 / atualizado em 13/05/2013 10:38

Edilson Rodrigues
Para conquistar uma das 130 vagas do concurso público do Ministério das Cidades, o candidato precisará dominar língua portuguesa, noções de informática e tópicos de direitos administrativo e constitucional, conteúdos comuns a todos os cargos. As provas objetiva e discursiva, que serão aplicadas pela banca Cetro Concursos, estão marcadas para 14 de julho.

No caso das disciplinas de direito, nem entre as provas de níveis médio e superior o edital traz grandes diferenças. De acordo com o professor Ricardo Blanco, que leciona direito administrativo no curso preparatório Vestcon, candidatos com maior escolaridade devem ficar atentos à jurisprudência. “A banca Cetro costuma cobrar o texto literal, mas é sempre bom ler sobre a interpretação da lei”, afirma. Segundo Blanco, atos administrativos e administração direta e indireta são temas obrigatórios no plano de estudos do concurseiro. “Quem tem nível superior deve ficar atento também à Lei de Licitações”, complementa.

Em direito constitucional, o candidato precisa estudar o sistema tributário na Constituição Federal. O assunto é raro em provas de nível médio, mas estará presente na prova do Ministério das Cidades. “Como o tema é novo, ele deve aparecer no concurso sem cobrar tanta interpretação da lei”, indica o professor Arthur Tavares, do IMP. Outra matéria certa no certame, segundo Tavares, são os princípios fundamentais da Constituição. “Deve-se tomar um cuidado particular com o artigo 5º, que sempre é cobrado e tem um texto bem longo”, afirma.

Língua portuguesa é um dos assuntos que mais reúnem questões nas provas do Cetro, segundo o professor Albert Iglésia, do Ponto dos Concursos. De acordo com ele, o candidato deve ter atenção ao fato de a banca cobrar mais de um tema de gramática dentro da mesma questão. “Os itens geralmente tratam da aplicação da regra gramatical de forma mais objetiva. Portanto, o candidato precisa estar com as normas na ponta da língua para fazer uma interpretação aguda dos enunciados”, afirma. Iglésia sugere também que assuntos como vírgula, casos proibidos de crase, concordância, emprego dos pronomes “lhe” e “o” e colocação pronominal são cobrados na maioria das provas. “Quem almeja um bom desempenho no concurso não pode negligenciar o estudo desses tópicos.”

Conhecimentos específicos

Além das disciplinas gerais, cada concurseiro deverá responder a 30 questões de conhecimentos específicos, nos casos da prova de nível superior, ou 20, para nível médio. Como a banca Cetro não é tão conhecida, o melhor é procurar concursos antigos para saber como os examinadores cobram os itens. “Caso não encontre outros certames do Cetro, o candidato pode resolver itens da Fundação Carlos Chagas e da Fundação Getulio Vargas, que têm estilo de prova parecido”, sugere Arthur Tavares.

A secretária Patrícia Magalhães, 35 anos, sabe em quais disciplinas deve focar para conseguir uma das nove vagas de analista técnico administrativo C1. Formada em letras, ela domina a língua portuguesa, mas tem consciência de que não deve relaxar. “Tenho realmente muita facilidade, mas dou uma revisada sempre para não perder o ritmo e também porque gosto muito de estudar a matéria”, comenta.

Disciplinas relacionadas ao direito também são fáceis para Patrícia, que costuma conseguir bons resultados nessas questões. Para ela, o problema está nos itens de informática e de raciocínio lógico, mas algumas estratégias ajudam nos estudos. “Faço sempre os itens mais difíceis, então, vejo onde estão minhas dúvidas e depois consigo tirá-las”, conta. A secretária aproveita o horário de almoço no trabalho para assistir a videoaulas.

O que diz o edital

Vagas: 130

Cargos:
» Nível médio: agente administrativo (78) e técnico em contabilidade (2)
» Nível superior: arquivista (2), contador (2), economista (8), estatístico (1), técnico em comunicação social (2) e analista técnico administrativo (35)
» Salários: R$ 2.153,22 (agente administrativo e técnico em contabilidade), R$ 3.225,42 (arquivista, contador e técnico em comunicação social) e R$ 4.834,22 (economista e estatístico)
» Inscrições: até 27 de maio
» Provas: 14 de julho
» Taxas: de R$ 39 a R$ 49
» Edital: www.cetroconcursos.org.br


Conselho
pede revisão

O Conselho Regional de Administração do Distrito Federal (CRA/DF) anunciou, em nota, que vai entrar com recurso administrativo para pedir que os requisitos para o cargo de analista técnico administrativo C1 sejam revistos. De acordo com a entidade, a função deveria ser restrita a profissionais formados em administração, e não em qualquer formação de nível superior, conforme exige o edital. O Ministério das Cidades tem até amanhã para analisar a solicitação.
Tags:

publicidade

publicidade