SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Nos passos da tecnologia

Governança de TI, desenvolvimento de sistemas e segurança da informação estão entre os conteúdos específicos essenciais para os candidatos a uma das vagas de analista no Ministério do Planejamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/05/2013 10:28 / atualizado em 20/05/2013 10:30

Ed Alves
Dominar o amplo conteúdo específico de tecnologia da informação é requisito para os candidatos que almejam conquistar uma das 74 vagas oferecidas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) para o cargo de analista em tecnologia da informação (TI). As provas serão aplicadas em 30 de junho pela Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência (Funrio) e haverá duas etapas, uma objetiva e outra discursiva. Após a fase de exames, os aprovados serão submetidos a avaliação de títulos.

Para o candidato Filipe Fernandes de Oliveira Nascimento, 26 anos, formado em tecnologia e telecomunicações, essa é uma oportunidade que não se pode perder, pois é difícil sair um edital com tantas vagas para a área de tecnologia da informação. No entanto, o aluno relata a dificuldade em encontrar material de estudo, principalmente aulas específicas. “É uma área em que não se têm muitos recursos. É preciso fazer pesquisa, estudar com apostilas, e cada um tem que andar com as próprias pernas”, comenta. A reunião semanal com os amigos para trocar ideias, tirar dúvidas e rever o conteúdo foi uma saída que Filipe encontrou para se preparar para o exame.

O professor Rodrigo de Araújo Coutinho, autor da série Questões comentadas de informática (Editora Método /123 páginas / R$ 50), explica que o conteúdo de tecnologia da informação do concurso do MP abrange grupos de conhecimento diferentes. Portanto, os alunos devem estudar tanto questões de governança de TI, quanto as de desenvolvimento de sistemas e segurança da informação. Além disso, o professor chama a atenção dos candidatos para a área menos técnica: as questões de normatização. “É importante que o aluno saiba as normas de segurança da informação, gestão de riscos, as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e que estude também as notas normativas do gabinete de segurança da Presidência da República”, recomenda. Entre as normas da ABNT, o professor Léo Matos, do curso preparatório Estúdio Aulas, destaca as seguintes: NBR 27001:2005, NBR 27002:2005, NBR 27005:2005, NBR 15999:2007 e NBR 15999-2:2008.

Com relação ao conteúdo de desenvolvimento de sistemas, os professores estão de acordo que o foco das bancas têm sido, principalmente, o sistema Java e o desenvolvimento dele para páginas web, além de modelos de acessibilidade para portais do governo. “O candidato deve ter uma preocupação com ITIL e PMBOK , que fazem parte da gestão de TI e governança. Os conceitos técnicos a respeito de redes e segurança da informação aplicada também são importantes, pois costumam cair muitas questões mais conceituais do que práticas, como o modelo OSI da ISO e as normas de segurança”, alerta Matos.
Frankslene de Queiroz Martins, 35 anos, formada em processamento de dados com MBA na área de TV e rádio digital e mídias digitais, acredita que as questões que envolvem conceitos de rede não serão um problema. “Como sou dessa área, prefiro reforçar o conteúdo em que já tenho mais conhecimento e estudar para tirar o mínimo necessário nas matérias que não domino tanto”, conta. Ela planejou o estudo de acordo com a complexidade das matérias e se programou para fazer, no mínimo, mil questões de provas anteriores e outros exercícios até o dia da prova.
Português

O candidato que espera ter um bom resultado não pode deixar de lado o estudo da língua portuguesa, pois, só na prova objetiva, serão 12 questões com esse conteúdo. O professor Márcio Wesley, do curso preparatório Alub, destaca as questões sobre redação oficial, como memorandos e ofícios. “O estudante tem que dar atenção aos padrões de linguagem oficial e, para isso, é recomendado que ele leia o manual de redação da Presidência da República da página um até a 30”, sugere. Saber identificar o tipo de texto, como narração, dissertação, texto argumentativo ou expositivo também é outro ponto-chave apontado pelo professor.
Na hora do exame, os alunos devem estar atentos ao estilo da banca Funrio, de deixar ideias subentendias, como na frase “Manuel não faltou hoje”, na qual subentende-se que Manuel tem o hábito de faltar. Também é fundamental prestar atenção ao significado das conjunções, ao uso da crase e também ao uso do verbo haver com sentido de existir.

Os candidatos aprovados nos exames e na etapa de avaliação de títulos desenvolverão, entre outras funções, o planejamento, a supervisão, a coordenação e o controle dos recursos de tecnologia da informação do ministério, além de implementar, executar e supervisionar atividades relacionadas aos processos de configuração, segurança e conectividade da infraestrutura da informática da administração pública federal.

O que diz o edital
Ministério do Planejamento

» Cargo: analista em tecnologia da informação
» Vagas: 74 vagas
» Remunerações: de R$ 7.340,62 a R$ 7.838,22 (após o primeiro ciclo de avaliação)
» Inscrições: até 7 de junho
» Taxa: R$ 70
» Provas: 30 de junho
» Edital: www.funrio.org.br
Tags:

publicidade

publicidade