SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Seleção inédita

Dominar as disciplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico, informática e ética ajudará a garantir um bom desempenho no primeiro certame da Sudeco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/05/2013 10:44 / atualizado em 27/05/2013 10:47

Mariana Niederauer

Gustavo Moreno
A Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) lançou edital para o primeiro concurso público do órgão. São 100 vagas de nível médio e superior, todas com lotação em Brasília. Vinculada ao Ministério da Integração Nacional, a autarquia foi recriada por meio de lei complementar em 2009 e regulamentada pelo decreto presidencial nº 7.471, em 2011, 21 anos após sua extinção. A principal atribuição da instituição é garantir o desenvolvimento sustentável da Região Centro-Oeste. Tudo indica que as questões serão objetivas e não exigirão muita interpretação por parte dos candidatos, característica da banca organizadora escolhida, a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab).

Ester Alves, 18 anos, tentará conquistar uma das vagas de agente administrativo. “É uma boa chance, porque é um órgão novo, que nem todo mundo conhece. A concorrência não deverá ser tão alta”, diz a candidata. Ela acredita que se sairá bem em conhecimentos gerais — que corresponde a 55% do conteúdo da prova de nível médio. As matérias cobradas nessa parte são comuns a todos os cargos. Entre elas, está a de língua portuguesa, que será a segunda mais importante da prova de nível superior e valerá 15 pontos na de nível médio. Segundo o professor da disciplina no site especializado Tempo de Concurso Marcelo Paiva, as primeiras questões devem pedir interpretação de texto, mas o candidato só precisará fazer uma análise literal. “A informação estará presente no texto”, reforça.

Na parte de semântica, a banca deve cobrar coerência e coesão entre conectivos, além da relação entre períodos e parágrafos — de consequência ou de causa, por exemplo. Depois, será a vez das questões de gramática básica, com um item para cada assunto mais recorrente: crase, concordância verbal e nominal, regência e pontuação. Paiva explica que as perguntas serão parecidas com a forma que se aprende no ensino médio, com cada tema sendo abordado separadamente. “Não tem segredo, o candidato tem apenas que estudar e praticar exercícios dessa banca.” Para se acostumar ao modelo da Funcab, o professor lembra que a banca já organizou alguns concursos este ano que podem servir de base na hora dos estudos. No próprio site da fundação é possível ter acesso a provas anteriores.

Pontos preciosos
A disciplina de legislação e ética na administração pública terá 10 questões nas provas da Sudeco, e, na de nível médio, cada uma delas terá peso 2,5. “As normas relacionadas à conduta e à postura ética têm grande correlação entre si. Afinal, estão embasadas nos valores morais de nossa sociedade. Dessa forma, conseguir captar os elementos normativos éticos facilitará a resolução das questões”, explica Henrique Campolina, professor de ética do Ponto dos Concursos. Ele destaca as Leis nº 8.112 e nº 8.027, ambas de 1990, que estão praticamente transcritas no Código de ética profissional do servidor público civil do poder Executivo federal, aprovado pelo Decreto nº 1.171, de 1994.

Sobre as normas de licitação, Henrique Campolina sugere a leitura da Lei nº 10.520, de 2002, que institui a modalidade licitatória do pregão, para ajudar na compreensão do Decreto nº 5.450, de 2005, que regulamenta o pregão na forma eletrônica. Quanto à Lei nº 8.666, de 1993, o professor destaca algumas regras gerais: se não houver viabilidade de competição, há uma situação de inexigibilidade de licitação; e se houver possibilidade de competição, pode-se estar diante de uma hipótese de dispensa de licitação.

A prova da Sudeco também vai cobrar informática básica na parte de conhecimentos gerais e incluirá os sistemas operacionais Windows e Linux. O professor da disciplina no Gran Cursos Mauricio Franceschini afirma que o candidato precisará saber em quais sistemas os aplicativos para edição de textos Microsoft Office e BR Office rodam. O primeiro é compatível com Windows e iOS e o segundo, com Windows, Linux, Unix e iOS. “Ao estudar esses dois pacotes de escritório é importante focar as distinções e as semelhanças entre eles”, acrescenta o professor.

O candidato precisará conhecer também os principais navegadores — Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Safari e Opera —, clientes de e-mail — Microsoft Outlook Express (que deixou de existir a partir do Windows Vista, quando foi substituído pelo Windows Mail), Microsoft Outlook, Thunderbird e Lotus Notes —, e webmails — Gmail, Hotmail (que está mudando para Outlook.com) e Yahoo!. “Outro conceito novo que está sendo muito cobrado é o de computação em nuvem, que é um serviço que permite armazenar e acessar os arquivos a partir de qualquer dispositivo conectado à internet”, lembra o professor Franceschini. O iCloud, da Apple, o Microsoft SkyDrive, o Google Drive e o Dropbox são os principais.

Outra disciplina cobrada em conhecimentos gerais será a de raciocínio lógico. O professor do Ponto dos Concursos Guilherme Neves ressalta que o candidato precisará estudar, principalmente, lógica proposicional e lógica de argumentação. Se não encontrar muitas questões anteriores da Funcab para treinar, Neves afirma que, nesse caso, o concurseiro pode fazer exercícios de provas organizadas pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe). “É preciso dar muita atenção às fórmulas de negação, equivalências lógicas e, obviamente, à construção de tabelas-verdade”, acrescenta.

Atenção à banca
O fato de ser o primeiro concurso da Sudeco não significa que a seleção não trará surpresas nem pegadinhas. Para o especialista Fernando Gama, autor do livro Lei de Responsabilidade Fiscal (Editora Elsevier / 160 páginas / R$ 45), o nível de dificuldade deve variar entre médio e alto. “O candidato deve ter em mente que todas as bancas, umas mais ou outras menos, sempre tentam criar alguma surpresa para desestabilizar ou dificultar a prova. Isso é feito justamente para selecionar os mais preparados”, afirma. Ele lembra que a Funcab é uma organizadora relativamente nova se comparada às mais tradicionais e, por isso, deve elaborar um teste que não exige muita interpretação e que trará itens mais objetivos. “No caso de questões ligadas ao direito, creio que a banca deva se apegar mais à letra da lei, sem remissão à jurisprudência ou à doutrina, por exemplo”, aposta o professor.

O que diz o edital

Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco)


Cargos
Nível médio

Agente administrativo

Nível superior

Analista técnico administrativo, contador, economista, arquiteto, engenheiro civil, estatístico e engenheiro (nas áreas de agronomia, ferroviário ou de produção)

Vagas: 100
Remunerações: de R$ 2.570,02 a R$ 5.081,18
Inscrições: até 16 de junho
Taxas: R$ 60 e R$ 70
Provas: 28 de julho
Edital:
www.funcab.org
Tags:

publicidade

publicidade