SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Sisu: mais cotistas de raça e renda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/06/2013 18:00 / atualizado em 18/06/2013 11:32

Dentro do universo de concorrentes pelo critério de cotas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o grupo formado por quem se declara preto, pardo ou índio — com renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo — chama atenção. É a maioria dos 143,5 mil inscritos: corresponde à soma de quase todos os concorrentes nas outras divisões — etnia com renda superior a 1,5 salário mínimo; apenas o critério de baixa renda; e estudantes de escolas públicas. Juntos, os cotistas somam 334,4 mil estudantes, o equivalente a 42,4% do total de inscritos — 788,8 mil. O Sisu é uma plataforma de seleção de estudantes para instituições públicas de ensino superior, que usa o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério.

Além de representarem quase metade do total de inscritos, os cotistas também mostraram que o desempenho escolar deles não é muito diferente do dos demais. A nota média de corte em medicina (o curso mais disputado), por exemplo, é 784 na ampla concorrência e 758 entre os cotistas. A diferença é de apenas 3%. Em engenharia, pedagogia e nas licenciaturas, essa diferença não chega a 5%.  “A diferença é muito pequena, o que nos dá muita segurança para continuar trabalhando em direção às cotas”, disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Apesar do aumento de 22,6 no número de inscritos e de 30% no de vagas em relação a 2012, mais de 700 mil estudantes continuarão fora da universidade. O ministro, porém,  aposta na criação de uma universidade federal de educação a distância para mudar esse quadro. “Temos uma parcela de estudantes nessa modalidade relativamente pequena, em torno de 18%. Países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) têm metade das vagas (no ensino a distância). Não há como atender a demanda se não for por educação a distância”, defendeu. O projeto de lei que cria a instituição deve ser encaminhado para o Congresso em agosto. Se a aprovação for rápida, o ministro garante que essas novas vagas já serão ofertadas no próximo Sisu.
Outra possibilidade para os estudantes que fizeram o Enem é concorrer a uma das bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni), que subsidia vagas nas faculdades privadas. As inscrições para a segunda edição deste ano do programa serão abertas no próximo dia 21 (veja quadro). Serão oferecidas 90 mil bolsas, sendo 55,7 mil integrais e 34,3 mil parciais. (GC)

ProUni
» Inscrições: 21 a 25/06
» 1ª chamada: 28/06
» Comprovação das informações: 28/06 a 05/07
» 2ª chamada: 13/07
» Comprovação das
informações: 15 a 19/07
Tags:

publicidade

publicidade