SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

O caminho à Fazenda

Dominar os conteúdos de português, direito administrativo e constitucional, além de legislação específica, é essencial para garantir um bom desempenho na seleção do ministério

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/06/2013 08:00 / atualizado em 23/06/2013 16:25

Ed Alves
O Ministério da Fazenda lançou concurso público para 347 vagas de nível superior. Os cargos são para as funções de analista técnico administrativo, contador, pedagogo, arquiteto e engenheiro. A prova contará com 115 questões objetivas — 65 de conhecimentos gerais e 50 específicos — e a parte discursiva. A banca examinadora é a Escola de Administração Fazendeira (Esaf) e as provas serão aplicadas nas 27 capitais, em 25 de agosto.

A seleção será em duas etapas: a primeira é a de questões objetivas de múltipla escolha de conhecimentos gerais, como língua portuguesa, atualidades, raciocínio lógico-quantitativo, informática e direito constitucional e administrativo. Já nas questões específicas, as perguntas serão de acordo com o cargo escolhido. Os aprovados na primeira fase serão convocados por edital para comparecer à segunda parte do concurso, que será composta por redação com tema que deve variar de acordo com a função concorrida. O texto deverá ter, no mínimo, 40 linhas e, no máximo, 60.

Thiago Andrade Porto, 24 anos, concorrerá a uma das 60 vagas de analista destinadas para a lotação do Distrito Federal. Formado em publicidade, Thiago conta que foi aprovado no concurso do Ministério da Fazenda de 2012, mas a nota não foi suficiente para a convocação. “Desde a última prova, eu melhorei meus conhecimento de direito constitucional”, conta. O candidato explica que montou um plano de estudos com outros concurseiros para aproveitar mais o tempo de estudo e melhorar o aprendizado das matérias. Hoje, Thiago diz dedicar cerca de sete horas, de segunda a sexta, para as provas de cargos públicos. “Mas não pode exagerar. O ideal é conseguir o melhor rendimento no tempo certo”, explica. O publicitário Átila Alencar, 26 anos, faz parte do grupo de estudos. Novato no mundo dos concursos, ele diz conseguir acompanhar o ritmo de aprendizado para as provas. “Informática eu acho tranquilo e em licitação e direito constitucional eu tenho ido bem”, conta o candidato.

O professor de direito constitucional João Trindade, do Tempo de Concursos, explica que a Esaf costuma cobrar o texto da Constituição Federal e que é comum encontrar questões sobre o Poder Executivo, separação de poderes e direitos individuais. “Ultimamente, a banca tem cobrado itens a respeito de jurisprudência, mas o ideal é ter o domínio da Constituição, mas isso não quer dizer que só decorar basta”, avisa. Para o professor, o aluno deve refazer as questões da Esaf e revisar o assunto por tópicos para o certame.
Em direito administrativo, o professor do curso preparatório IMP Gustavo Scatolino sugere atenção aos conceitos de administração direta e indireta, legalidade e eficiência. Outra dica é ficar atento à maneira com que a área em questão se relaciona com outras, como a economia. “Por exemplo, a prova pode perguntar o que é um bem semi-público”, conta. “É preciso prestar atenção nas legislações que foram citadas no edital, pois é comum a Esaf cobrar os artigos da lei”, completa.

Itens valiosos

Disciplina com o maior número de questões entre as de conhecimento básico — 15 no total —, a língua portuguesa pode garantir a aprovação. A professora de redação do Estúdio Aulas Rose Viana conta que é comum a banca cobrar reescritura e paráfrase dos textos apresentados. “Outros pontos que a Esaf sempre coloca são os usos corretos das conjunções, da regência e da crase”, avisa. Além da quantidade de itens superior as outras disciplinas básicas, o português também é avaliado com peso dois na pontuação da prova.
A redação, de caráter classificatório, abordará temas de conhecimentos específicos dos cargos selecionados. Rose acredita que o primeiro conselho para quem ainda se assusta com a dissertação é dominar as técnicas redacionais e evitar, por exemplo, clichês, como começar com “portanto” na conclusão. A professora explica que é importante seguir uma linha de pensamento coerente no texto e aconselha o treino de redação antes da prova.

O que diz o edital

Ministério da Fazenda
» Cargos: analista técnico administrativo, engenheiro, pedagogo, arquiteto e contador
» Inscrições: até 30 de junho
» Taxa: R$ 90
» Vagas: 347 — 129 para o DF
» Salário: R$ 3.977,42 e R$ 5.081,18
» Data provável da prova: 25 de agosto de 2013
» Edital: www.esaf.fazenda.gov.br
Tags:

publicidade

publicidade