SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Inep dá nota 5 ao curso de Comunicação Organizacional da UnB

Habilitação passou por análise de comissão do MEC para reconhecer e credenciar o curso. Relatório destacou, entre outros pontos, formação do corpo docente, composto por quase 70% de doutores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/06/2013 18:37

Agência UnB

O curso de Comunicação Organizacional da Universidade de Brasília foi considerado "excelente" por comissão instituída pelo Ministério da Educação (MEC) para reconhecer e credenciar o bacharelado. A graduação recebeu 5,  nota máxima. O relatório do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) destacou a qualidade do corpo docente e do projeto pedagógico do curso, criado em 2010.  A avaliação foi realizada em 17 e 18 de junho, na Faculdade de Comunicação (FAC).

“A Comunicação Organizacional é um campo de estudo e conhecimento que tem uma grande tradição na área de pós-graduação, mas esse é o primeiro curso de graduação do país”, diz o diretor da FAC, David Renault. Para ele, a iniciativa de desenvolver um projeto pedagógico de um bacharelado pioneiro, no Brasil, foi desafiadora. “Pegamos um curso novo, uma área nova, com uma estrutura curricular e objetivos pedagógicos novos. Tudo foi novo”, conta Renault.

O esforço, agora, pode ser comemorado. “Criar um curso inédito, no Brasil, e ter de cara uma nota cinco, é muito importante”, avalia David. Para o coordenador do bacharelado em Comunicação Organizacional,Tiago Quiroga Fausto Neto, o bom desempenho na avaliação é significativo. "É o reconhecimento do trabalho que vem sendo feito, estamos no caminho, criando uma nova área de conhecimento, com excelência”, completa.

Segundo o professor Tiago Quiroga, o relatório também permitirá que alguns pontos que não obtiveram avaliação máxima da comissão possam ser melhorados. “O item bibliografia básica e complementar tirou nota três. Existem os livros na Biblioteca Central (BCE), mas não estão na quantidade que o MEC determina. É um trabalho que não depende só da gente”, argumenta o professor. 

DESTAQUES
A avaliação considerou sete aspectos do curso – contexto educacional, políticas institucionais, objetivos, perfil profissional do egresso, estrutura curricular, conteúdos e metodologia. Uma das características mais bem avaliadas foi o corpo docente, pontuado com a nota máxima pela comissão. "Em relação à titulação do corpo docente, todos têm titulação obtida em programas de pós-graduação stricto sensu e destes, 68,75% possuem o título de doutor”, pontua o relatório do Inep.

A comissão ressaltou, ainda, o projeto pedagógico do bacharelado. “Em relação às políticas institucionais de ensino, de extensão e de pesquisa [...] estão implantadas de maneira excelente. Os objetivos do curso apresentam boa coerência, em uma análise sistêmica e global”, destaca o documento final de avaliação. Após análise da documentação do curso, a comissão do Inep esteve na universidade. Em visita às instalações da faculdade, avaliou salas de aula, biblioteca e laboratórios também realizou reuniões com alunos, docentes e técnicos-administrativos.

PRIMEIRA FORMATURA
O bacharelado em Comunicação Social com Habilitação em Comunicação Organizacional forma sua primeira turma no final de 2013. O curso passou a ser oferecido na Universidade de Brasília, no período noturno, em 2010, e possui atualmente 259 alunos matriculados. A graduação surgiu para atender a necessidade de criar uma nova área de conhecimento e para suprir uma demanda de Brasília. “Aqui você tem essa coisa forte dos poderes governamentais e, cada vez mais, a comunicação está numa instância estratégica”, esclarece Tiago.

Mas não é só na esfera pública que esse profissional tem espaço. Ele pode atuar em qualquer outra organização, seja privada ou do terceiro setor. “Nós temos o objetivo básico de formar profissionais de comunicação para trabalhar prioritariamente no planejamento e na gestão em comunicação. Esse é o diferencial”, explica do diretor da FAC, David Renault.
Tags:

publicidade

publicidade