TRABALHO »

Mais de 14 mil vagas

Órgãos públicos municipais, estaduais e federais estão com inscrições abertas para seleções com perfis variados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/07/2013 18:00 / atualizado em 10/07/2013 11:40

Carlos Moura
Os brasileiros que sonham com uma oportunidade de se tornarem servidores públicos têm diante dos olhos 14.294 vagas em concursos com inscrições abertas, nas esferas federal, estadual e municipal. E este é o momento ideal para se dedicar ao objetivo, já que, em 2014, ano de eleição, o número de seleções será limitado. Além disso, diversos órgãos já receberam a autorização para organizar certames e aguardam o fim da tramitação para publicar os seus respectivos editais.

Há chances para candidatos com todos os níveis de escolaridade, em instituições civis e militares distribuídas por todo o país (veja as principais no quadro). A lista completa pode ser checada no site www.correioweb.com.br. O vice-presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Alexandre Crispi, defende que o processo de substituição dos funcionários terceirizados por profissionais de carreira pelo qual passa o Brasil é favorável a quem busca um lugar no funcionalismo. “É algo natural, uma vez que, ao fim da gestão do ex-presidente Lula, o governo se prontificou a fazer isso”, afirmou.

O Ministério do Planejamento confirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a redução do número de terceirizados nos órgãos públicos é uma meta do governo. De acordo com a pasta, em 2008, havia 12.381 funcionários não concursados na administração direta. A meta é fazer com que o saldo remanescente, de 1.421, seja zerado até o fim de 2013.

Crispi pondera, contudo, que esperava a abertura de mais cargos. “Eu imaginava que, somente no primeiro semestre deste ano, houvesse mais de 15 mil vagas. Mas deve ter chegado a, no máximo, 13 mil”, calculou. O vice-presidente da Anpac acredita que a segunda metade do ano seja melhor para os candidatos. “Imagino que, até o fim de 2013, mais de 20 mil chances sejam criadas.”

Topo da cadeira
No topo da lista de muitos concurseiros, a seleção para o Banco Central (BC) promete atrair muitos interessados. Jéssica Lima, 21 anos, será um deles. Estudando para concursos há dois anos e meio, ela resolveu se dedicar, desde junho, com mais atenção à autarquia federal. “A carreira é uma das melhores do serviço público. Em cerca de 10 anos, posso atingir o topo da cadeia”, avaliou. “Tenho que passar logo e me garantir. Talvez, o próximo ano não seja tão bom quanto este”, emendou.

Apesar de a legislação brasileira restringir a realização de certames públicos em ano eleitoral, o professor Ernani Pimentel, presidente do Grupo Vestcon, aconselha os concurseiros a não desanimarem. “A lei estabelece que não podem ocorrer contratações três meses antes nem três meses depois do pleito”, ressaltou. Ele sugere que os iniciantes no universo dos concursos priorizem o aprendizado das matérias básicas, como os direitos constitucional e administrativo, informática, as leis nº 8.112 e nº 8.666, raciocínio lógico, atualidades e, em especial, a língua portuguesa.


» Salário de R$ 14 mil

O BC deve lançar em breve o edital do concurso para o preenchimento de 515 cargos: 400 de analistas, 100 de técnicos e 15 de procuradores da instituição. O certame será organizado pelo Cespe/UnB. Os cargos de analista e procurador exigem formação superior e oferecem remuneração inicial de R$ 12.960 e de  R$ 14.970, respectivamente. Já para o posto de técnico, para candidatos com nível médio de escolaridade, a remuneração é de até R$ 4.917. O prazo para a publicação do edital vai até 25 de setembro, mas a expectativa é de que saia ainda neste mês.
Tags: