Modelo de avaliação aplicado pela OAB é bem recebido pelos candidatos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/09/2013 20:30

Famosa pelo alto nível de dificuldade, a prova da OAB parece agradar a maioria dos bacharéis em direito que passaram pelo exame recentemente. Pelo menos é o que revela a Fundação Getúlio Vargar (FGV), em pesquisa publicada hoje, 6. Após ouvir 7.861 avaliados, a FGV concluiu que 74,5% dos entrevistados são favoráveis a existência do teste e, 70,1% acreditam que a seleção contribuiu para a manutenção do bom nível de profissionais do direito no Brasil.

Além disso, os dados coletados mostram mais da metade dos candidatos (52,32%) concorda com o modelo atual de aplicação das provas, com duas fases em dias distintos. De acordo com o presidente da OAB, Marcus Vinícius Coêlho, a pesquisa revela que a maioria dos estudantes pretende ser nivelada por cima. "Sabem a importância de um Exame que exige a qualificação mínima ao exercício de uma profissão que defende a liberdade e os direitos do cidadão", afirmou Marcus Vinicius.

 O s examinandos que participaram do levantamento responderam a um questionário com 19 perguntas, que incluíram questões sobre a aprovação ou não da aplicação do Exame, a importância da avaliação para garantir a qualificação da advocacia brasileira e a satisfação com os atuais procedimentos das provas, entre outras.

O Exame de Ordem Unificado pode ser prestado por bacharel em Direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada. Podem realizá-lo os estudantes de Direito do último ano do curso de graduação em Direito ou do nono e décimo semestres. A aprovação é requisito necessário para a inscrição nos quadros da OAB como advogado, conforme estabelece o artigo 8º, IV, da Lei 8.906/1994.

Ao todo a FGV ouviu 7.861 candidatos ao Exame de Ordem em todo o País

 
Tags: