Em busca de educadores

Dominar a Lei Orgânica do DF e conteúdos de língua portuguesa e de pedagogia é essencial para garantir uma das 809 vagas de professor da Secretaria de Educação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/09/2013 10:19 / atualizado em 23/09/2013 10:21

Marcelo Ferreira
A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF) selecionará novos professores de educação básica. O concurso oferece 809 vagas para magistério público em 44 habilitações, com jornadas de trabalho de 20 e 40 horas semanais. Para concorrer, é necessário ter diploma de nível superior na área escolhida. A banca responsável será o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) e a prova está prevista para 8 de dezembro.
O certame será composto de prova objetiva com 50 itens de múltipla escolha — 30 de conhecimentos básicos de língua portuguesa, noções de direito administrativo, atualidades, conhecimentos pedagógicos e Lei Orgânica do Distrito Federal e 20 de temas específicos da habilitação escolhida. Haverá também etapas de avaliação de títulos e de experiência profissional, ambas de caráter classificatório.

A pedagoga Ana Paula Fonseca da Silva, 31 anos, concorrerá a uma das 400 vagas abertas para o cargo de atividades. Ela prestou o último concurso da SEDF, aplicado em 2010, e chegou a ser classificada, mas não foi nomeada. Ana Paula se diz confiante no esforço e no investimento que tem feito para a seleção de 2013 do órgão. “Eu me preparo desde o início deste ano, com o horário da tarde reservado para estudos e aulas no cursinho à noite. Complemento o aprendizado com videoaulas, exercícios e revisões”, afirma a candidata, que se surpreendeu com a escolha da banca. “O IBFC não tem tradição na cidade, o que gera certo desconforto, mas acho que a possibilidade de aprovação depende de cada um”, opina.

Atenção aos detalhes

Matéria com peso 1,5 e 10 itens previstos nos temas básicos do certame, conhecimentos pedagógicos será um dos destaques na prova. A professora do Gran Cursos Madalena Coatio acredita que as questões da disciplina serão contextualizadas com os conceitos de processos de ensino, aprendizagem e didática da carreira. “Eles funcionarão como pano de fundo para todos os assuntos apresentados nas perguntas”, diz. A especialista sugere atenção às mudanças introduzidas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação — Lei nº 9.394, de 1996 — em abril de 2013 e à base teórica e metodológica do Projeto Político Pedagógico Professor Carlos Mota, de 2012 . “Além disso, o edital listou conteúdos novos e específicos do DF, como a Lei de Gestão Democrática — Lei nº 4.751, de 2012. Por isso, os candidatos precisam tomar cuidado com os detalhes desses textos”, aconselha.

A respeito de língua portuguesa, o professor do Alub Concursos Giovani Fama lembra que a disciplina é essencial para qualquer concurso público e que os candidatos não podem relaxar nos estudos, pois é um dos pontos com maior índice de reprovação. “A banca costuma focar em assuntos relacionados à teoria gramatical pura, como acentuação gráfica, crase, regência, concordância e pontuação. Isso tudo, é claro, sem esquecer da parte de interpretação de texto”, afirma. Giovani explica que, para assimilar o conteúdo, é preciso separar um horário todo dia para resolver questões de provas. “Para aprender português, é preciso alinhar a teoria com resolução constante de exercícios, pois não é possível aprender a matéria somente ao assistir as aulas”, afirma.

Obrigatória em concursos do Distrito Federal, a Lei Orgânica estará presente na prova da secretaria. O professor Dackson Soares, do Estúdio Aulas, conta que a norma está desatualizada em relação à Constituição de 1988 e às normas de direito administrativo. Portanto, os candidatos devem estar atentos para fazer as devidas comparações dos assuntos tratados na matéria com outros tópicos que lidam com os mesmos temas. “Devido a esse fator de atualidade, as bancas de concurso têm evitado formular questões que cobrem a literalidade da lei, e procuram fazer perguntas que levem em consideração diversas normas constitucionais”, analisa o professor. Como preparo para a prova, Soares recomenda aos concursandos refazer questões recentes do tópico presentes em outros certames. Ele também não espera surpresas nessa parte. “O IFBC é novato em concursos na cidade e dificilmente se arriscará na cobrança de coisas diferentes, para não ter questões anuladas.”

O que diz o edital
Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF)
Cargo: professor de educação básica em: atividades, artes (cênicas/teatro, dança, música, plásticas, visuais), biologia, ciências naturais, educação física, eletrônica, eletrotécnica, enfermagem, filosofia, física, geografia, história, informática, espanhol, francês, inglês, língua portuguesa, letras/libras, matemática, música (acordeom, bandolim, bateria, cavaquinho, contrabaixo acústico, flauta travesso barroca, gaita cromática, percussão, piano erudito, regência coral, saxofone, trombone, trompa, trompete, viola caipira, viola clássica e violão 7 cordas), nutrição, química, sociologia e telecomunicações
Vagas: 809
Remunerações: R$ 4.343,18 (40h semanais) e R$ 1.764,42 (20h semanais)
Inscrições: de quarta-feira (25) a 24 de outubro
Taxas: R$ 40 a R$ 55
Prova: 8 de dezembro
Edital: www2.ibfc.org.br/arquivos/ Edital_1_GDF.pdf Anúncios G
Tags: