SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Guardiões do patrimônio histórico

Candidatos que dominam português, administração pública e raciocínio lógico terão boas chances de garantir uma das 163 vagas oferecidas pelo Iphan

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2013 08:00 / atualizado em 18/11/2013 10:26

Janine Moraes
Para selecionar novos profissionais de nível superior em caráter temporário, o Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) abriu inscrições para o processo seletivo simplificado. As 163 vagas são para as áreas de logística, convênios e contratos, arqueologia e arquitetura ou engenharia civil, para exercer atividades técnicas de interesse público. Os contratados trabalharão na sede do órgão, em Brasília, e em outras 23 cidades. A prova será aplicada pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) na data provável de 15 de dezembro.

A avaliação contará com prova objetiva de 50 itens de múltipla escolha sobre língua portuguesa, raciocínio lógico quantitativo, informática básica, direitos constitucional e administrativo e administração pública. Na parte de conhecimentos específicos, os candidatos serão questionados sobre de conceitos e legislação aplicada ao patrimônio cultural e outros temas relacionados ao cargo escolhido. Haverá também etapa de avaliação curricular, em caráter  exclusivamente classificatório.

A familiaridade com o trabalho a ser feito foi a motivação para Dymas Oliveira, 24 anos, concorrer a um posto no setor de logística, convênios e contratos do Iphan. Professor de história em uma escola pública da cidade, Dymas lembra que, durante a graduação, foi estagiário no instituto durante sete meses, e o bom trabalho feito garantiu uma vaga como terceirizado. “Achei interessante o ambiente de trabalho e gostaria de voltar, pois esse é um campo que domino”, justifica. Ainda novato no mundo dos concursos, ele conta que frequenta cursinhos regulares desde o fim de agosto deste ano, no período da noite, e que procura reservar, em média, duas horas por dia de estudo individual.
 
Perfil da banca
Treinar com exercícios de provas anteriores e estar preparado para responder questões com longos enunciados serão requisitos necessários para quem deseja se sair bem no processo seletivo. Na disciplina de língua portuguesa, o professor do Estúdio Aulas Marcos Pacco destaca que o padrão de cobrança da banca costuma ter foco na exigência das normas gramaticais em vez de interpretação de texto. Segundo Pacco, os temas mais cobrados são regência, concordância, período composto, pontuação, colocação pronominal, crase, acentuação gráfica e emprego de classes de palavras — principalmente verbos e pronomes. “O perfil das questões do Iades se assemelha ao da Fundação Universa. O ideal é treinar com provas antigas de ambas as bancas e revisar as teorias, o que é essencial em qualquer concurso”, aconselha.

Em relação ao conteúdo de administração pública, o professor do Tempo de Concursos Renato Lacerda destaca que o assunto está associado por natureza às disciplinas de direito administrativo e constitucional e que será cobrado de maneira contextualizada e com enfoque nas competências práticas. “A prova deve trazer os princípios básicos da administração pública e a influência do panorama atual na gestão”, diz. Lacerda concorda que o modelo seguido na elaboração das provas se assemelha ao da Universa e acrescenta que será preciso estudar os princípios doutrinários, legais e de jurisprudência. “Outro ponto que começa a ser abordado atualmente é a maneira como o Estado se articula com o 1º, 2º e 3º setores da economia, parcerias públicas e os contratos. São temas mais novos que podem apresentar certa dificuldade para o candidato”, alerta.

Outra matéria presente no edital é a de raciocínio lógico quantitativo. De acordo com o professor Fabrício Mariano, autor do livro Raciocínio lógico — questões Cespe/UnB (Editora Elsevier; 2ª ed.;192 páginas; R$ 46,90), existem partes dessa disciplina que são comuns a quase todas as bancas examinadoras, como princípios de regressão, estruturas lógicas e frações em conceitos lógicos. “O Iades não tem mistério nesse ponto, mas ele costuma elaborar perguntas em todos os níveis de dificuldade, por isso, é essencial estar preparado. O foco deve ser na estrutura lógica”, comenta. Mariano sugere que o candidato evite estudar a matéria a partir da linguística, pois, segundo ele, não se deve misturar os dois campos. “Não existe resolução de itens de lógica com a ajuda da língua portuguesa e aviso isso sempre em sala de aula. É preciso treinar e resolver os itens a partir de conhecimentos matemáticos”, diz.

O que diz o edital
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
» Vagas: 163
Áreas de atuação:
» Logística, convênios e contratos (requer graduação em qualquer área e experiência de três anos na função a ser exercida) — 31 vagas
» Arqueologia — 80 vagas
» Arquitetura ou engenharia civil — 52 vagas
» Inscrições: até 18 de novembro
» Remunerações: R$ 6.130 e R$ 8.300
» Taxa: R$ 66 e R$ 70
» Prova: 15 de dezembro
» Edital: www.iades.com.br
Tags:

publicidade

publicidade