SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Seleção aguardada

Candidatos que dominam os conteúdos de administração geral, gestão de pessoas, atualidades e língua portuguesa terão boas chances no concurso da Polícia Federal, que oferece 566 vagas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/12/2013 18:02 / atualizado em 01/12/2013 18:04

Antonio Cunha
Departamento de Polícia Federal (DPF). Muito esperada pelos concurseiros, a seleção oferece 566 vagas mais formação de cadastro de reserva para cargos de níveis médio e superior. Desse total, 306 oportunidades são para o Distrito Federal, e o restante será dividido entre todos estados brasileiros. Além disso, 41 chances são reservadas a candidatos com deficiência física.

Os cargos de nível superior são de administrador, arquivista, assistente social, contador, engenheiro civil, engenheiro eletricista, engenheiro mecânico e psicólogo, todos com lotação em Brasília. Por isso, as provas para esses candidatos serão aplicadas apenas na capital federal. Já as avaliações de nível médio serão aplicadas nas 26 capitais e no Distrito Federal. A banca avaliadora é o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) e a prova será composta por questões objetivas e discursivas para o nível superior e apenas por questões objetivas para o nível médio.

Rafael Cavalcante, 26 anos, prepara-se há cerca de três meses para a seleção, pois sabia que a publicação do edital estava próxima. Como estuda há dois anos para concursos, já domina o conteúdo básico cobrado. O estudante, que tem diploma do curso técnico em contabilidade e está terminando a graduação na mesma área, decidiu prestar a prova para agente administrativo. “Agora que já saiu o edital, estou matriculado em todas as matérias que serão cobradas. Minha dedicação aos estudos é de oito a 10 horas por dia, de segunda à sábado”, conta Rafael.

Para todos os cargos

Segundo Rodrigo Rennó, o autor do livro Administração geral para concursos (Ed. Elsevier; 480 páginas; R$ 49,95), o nível das questões dessa área nas provas do Cespe está cada vez maior. Rennó destaca temas relacionados à máquina pública, como licitações e contratos, compras governamentais e administração de materiais entre os principais. “O aluno deve estar atento a questões de departamentalização e organização em âmbito governamental”, explica.
Outro conteúdo importante para os estudos é o de gestão. A professora da disciplina no Estúdio Aulas Kátia Lima afirma que a diferença entre líder formal e informal, o conceito de gestão de pessoas, teorias de conteúdo e motivação têm muitas chances de serem cobrados. “Uma boa estratégia é estudar a Teoria dos traços e a Gride gerencial, pois são teorias específicas de gestão de pessoas”, aconselha Kátia.
Na parte de atualidades, o professor do Gran Cursos J. Urani recomenda atenção a diversos temas que estão na mídia, até os dias mais próximos da seleção. “Criou-se uma ideia de que a prova de atualidades só cobra fatos anteriores aos lançamento do edital. Isso não é verdade porque já vi cair fatos que ocorreram cinco dias antes da prova”, diz o professor. Urani indica a evolução da primavera brasileira como um ponto a ser estudado. “Pode cair tudo o que envolve as reivindicações no âmbito nacional, como questões do pré-sal e leilão do campo de Libra, o programa Mais Médicos, combate à corrupção, a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para o fim do voto secreto no Congresso Nacional, e todo o emaranhado de situações do mensalão, desde o julgamento até as atuais prisões dos mensaleiros”, lista.

Os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostraram o aumento da desigualdade social no país, também podem entrar na lista, segundo o professor. No panorama mundial, os destaques são o julgamento de Mohamed Morsi no Egito, os conflitos na Síria e tudo o que envolve meio ambiente e desenvolvimento sustentável, com ênfase para a COP 19, que encerrou em 23 de novembro.
O professor de língua portuguesa Fernando Pestana, autor do livro A gramática para concursos públicos (Ed. Elsevier; 1.073 páginas; R$ 69,95), diz que o Cespe costuma cobrar muitos conhecimentos sobre gramática. “A proporção das questões da prova fica em torno de 50% para gramática, 30% para interpretação textual e 20% para redação oficial — a forma como os documentos das instituições governamentais são escritos de acordo com o Manual de Redação da Presidência da República”, detalha. O professor relaciona sete aspectos principais dentro da disciplina: coesão textual, com conhecimento profundo de conjunção; tempos e modos verbais; vozes verbais e as flexões; emprego da vírgula; colocação pronominal; concordância e crase; e a reescritura de frases. “As questões de reescritura de frases avaliam quase todos os conteúdos da língua portuguesa. Esse tipo de cobrança é frequente e o aluno deve praticar diversas vezes para entender as técnicas empregadas”, diz Pestana.


O que diz o edital

Departamento de Polícia Federal (DPF)
Cargos: agente administrativo (nível médio) e administrador, arquivista, assistente social, contador, engenheiro civil, engenheiro eletricista, engenheiro mecânico e psicólogo (nível superior)
Vagas: 566 — 534 para nível médio e 32 para nível superior
Remunerações: R$ 3.316,77
(nível médio) e entre R$ 4.039,32 e R$ 5.081,18 (nível superior)
Inscrições: de hoje até 23 de dezembro
Taxas: R$ 60 e R$ 70
Provas: 16 de fevereiro de 2014
Edital: www.cespe.unb.br/concursos/ dpf_13_administrativo
Tags:

publicidade

publicidade