SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Embarque neste trem

Dominar os conteúdos de história e de geografia do DF, informática e a Lei Orgânica é essencial para garantir uma das 232 vagas oferecidas pelo Metrô-DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/01/2014 10:34 / atualizado em 13/01/2014 10:35

Breno Fortes
Estão abertas as inscrições para mais um concurso no Distrito Federal. Agora, é a vez da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) abrir 232 vagas e formação de cadastro de reserva nos níveis médio e superior. Desse total, 178 são para nível médio e os candidatos podem escolher entre os cargos de técnico metroferroviário, operador de transporte metroferroviário, profissional de segurança metroferroviário e profissional de suporte metroferroviário. Nos cargos de analista metroferroviário na área administrativa, são oferecidas oportunidades para advogado, psicólogo, administrador, entre outros graduados. Já na área técnica, as engenharias elétrica e civil são algumas das funções incluídas.

A banca responsável pelo certame é o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), e a prova será dividida em questões objetivas e discursivas para todos os cargos. Alguns candidatos terão de enfrentar testes físicos, avaliação psicológica, curso de formação e avaliação de títulos. Serão cinco disciplinas cobradas na parte objetiva da prova, entre elas a de legislação aplicada aos empregados do Metrô. O professor de regimento interno do Ponto dos Concursos Marcelo Kessler, aconselha que o concurseiro priorize a Lei Orgânica do DF (LODF). “Os conteúdos que têm mais chances de figurar na prova são os referentes aos valores fundamentais, aos objetivos prioritários e aqueles relacionados às organizações e às competências dos poderes Executivo e Legislativo”, diz.

Em relação ao tipo de cobrança da banca para a disciplina, o professor Kessler diz que o Iades é uma instituição relativamente nova e não deve fugir do que está disposto na lei, sem exigir muita interpretação. Ele explica ainda que a LODF sofreu diversas mudanças em 2013, então, é preciso estar atento às publicações e atualizações recentes. “Recomendo aos candidatos a leitura atenta da Lei Orgânica, dos normativos específicos constantes do edital e de materiais elaborados especialmente para esse concurso. Também é válido visitar o site do metrô em busca de informações que podem ser úteis para a prova”, conclui.

O professor de ensino fundamental Diego Ferreira, 26 anos, se prepara há três anos para concursos e vai participar da seleção em busca da vaga de analista metroferroviário. Ele trabalha durante meio período e frequenta aulas em um cursinho. “Procuro estudar os conteúdos mais específicos, pois já me preparei para as matérias básicas. Durante o fim de semana, eu me dedico oito horas por dia e quero manter essa rotina até a prova”, completa.

Diferencial
A inclusão das disciplinas de geografia e de história do Distrito Federal é um dos diferenciais desse concurso e serão cobradas para todos os cargos. De acordo com o professor de atualidades do Grancursos J. Urany, direcionar conteúdos da disciplina para o Distrito Federal beneficia quem mora na região. “Eu defendo que todos concursos de âmbito distrital tenham esse tópico no edital. É preciso valorizar quem vive por aqui, porque os estados fazem isso e beneficiam os próprios habitantes”, afirma. Para o professor, é necessário estudar e entender a lógica e os acontecimentos que ocasionaram as mudanças da capital do país, desde Salvador até Brasília. “É preciso saber todos os aspectos sobre a missão Cruls e o lançamento da pedra fundamental, que foi próximo a Planaltina”, diz.

Outro ponto abordado é sobre as especificidades das 31 regiões administrativas do DF e o clima e a vegetação do quadrilátero. Segundo Urany, o turismo está em alta por causa dos grandes eventos que Brasília vai receber e também deve ser abordado. “Em provas recentes, como a da Polícia Militar e a da Caesb, foram vistas questões sobre o Teatro Nacional e outros pontos turísticos da cidade. Quem vive na cidade terá vantagem”, conclui.

A disciplina de informática também será comum a todos os candidatos. No caso específico dessa seleção, ela foi chamada de microinformática. No entanto, para o professor do Alub Henrique Sodré, essa foi só uma diferenciação na nomenclatura, que não acarretará grandes mudanças no conteúdo. O que chamou a atenção do professor no edital foi o fato de não ser cobrado o conhecimento de Excel. “O pacote Office veio especificado apenas com PowerPoint, Outlook e Word, o que é um pouco diferente de outras provas. O que vai cair de forma concisa é Internet Explorer e os navegadores de forma geral”, observa. “Entender o filtro smartscreen, que trata do bloqueio automático de páginas falsas ou perigosas nos navegadores também é um tema interessante de se focar, além de segurança da informação e becape”, completa. Na área funcional da informática, o especialista sugere estudar sobre Windows, especialmente o painel de controle e o menu iniciar.

O que diz o edital
Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF)

Vagas: 232
Cargos
Nível superior: analista metroferroviário (administrador, advogado, analista de sistemas, arquivista, assistente social, bibliotecário, contador, economista, médico do trabalho, pedagogo e psicólogo)
Nível médio: técnico metroferroviário, operador de transporte metroferroviário, profissional de segurança metroferroviário e profissional de suporte metroferroviário
Remunerações: de R$ 2,9 mil a R$ 7 mil
Inscrições: até 26 de fevereiro
Taxas: R$ 38 a R$ 58
Provas: 13 e 20 de abril
Edital: www.iades.com.br
Tags:

publicidade

publicidade