UnB não figura na lista das10 instituições que mais aprovam no exame da OAB

Em ranking que reúne taxas de aprovação nos últimos três Exames de Ordem, Universidade de Brasília aparece em 20º lugar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/02/2014 19:34 / atualizado em 14/02/2014 21:01

Ana Paula Lisboa

A Universidade de Brasília (UnB) não aparece entre as dez primeiras colocadas com maior percentual de aprovação na média dos últimos três Exames de Ordem. A UnB está na 20ª posição, com taxa de aprovação de 58%. Os dados são do estudo Exame de Ordem em Números, elaborado pela OAB e pela FGV Projetos, organizadora do Exame. A taxa média de aprovação da UnB entre o 8º e 10º Exames de Ordem é inferior ao percentual de aprovação da UnB entre o 2º e o 10º Exames de Ordem, que é de 78,9% e entre o 1º e o 10º Exames, de 63,58%. As dez primeiras colocadas na média dos últimos três Exames são todas universidades públicas, concentradas principalmente nas regiões Sul e Sudeste. As cinco primeiras colocadas são a Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto , a Universidade Federal de Viçosa , a USP de São Paulo, a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade Federal de Minas Gerais.

O vice-diretor da Faculdade de Direito da UnB, professor Mamede Said, acredita que os índices de aprovação da UnB não devem causar alarde. “Nossa média no 10º exame foi de 63,77% de aprovação, o que nos deixa acima da nossa média geral entre o 1º e o 10º Exames, que é de 63,58%”, diz. Para Mamede, os resultados não devem causar estagnação. “Nossa meta é ter, sempre, pelo menos 70% de aprovação em cada Exame. Conseguimos alcançar essa meta no 1º, no 4º e no 6º Exames. Temos muito o que avançar, mas o nosso curso de bacharel em direito tem uma formação mais completa que a de muitas faculdades. Não formamos nossos alunos, especificamente, para passar na OAB ou em concursos públicos”, afirma.

Algumas carências dos alunos de direito da UnB, de acordo com o professor, são conhecimentos do estatuto da OAB e de ética - deficiências que devem ser sanadas, a partir do próximo semestre, com matérias específicas sobre estes temas a serem ofertadas. Outro plano é preparar melhor os alunos para a segunda fase da prova da OAB que é a peça de direito. Lucas Capoulade, 23 anos, se formou como bacharel em direito no final do ano passado na UnB e foi reprovado no último Exame. “O curso de direito da UnB é muito ruim, não nos prepara para a prova. Eu mesmo estudei por fora, por conta própria. É preciso contratar professores mais didáticos e melhorar a assistência da secretaria da graduação.”

O estudante do 9º semestre de direito da UnB Luis César Cardoso, 27 anos, também reprovado no 10º Exame, avalia que o Exame de Ordem é compatível com o nível de ensino da UnB, principalmente para a primeira fase da prova. “Para a segunda fase, que é sobre direito processual, não tivemos tanto preparo. Também achei que faltou um cuidado maior da banca examinadora na prova. Anunciaram duas erratas durante a prova administrativa, na mesma questão. Isso atrapalhou muita gente”, reclama.

Confira as médias da UnB entre o 1º e o 10º Exames de Ordem Unificado

Exame de Ordem Unificado

Taxa de aprovação

Colocação geral

1º Exame

78,9%

1º lugar


2º Exame

54,72%

20º lugar


3º Exame

67,44%

1º lugar


4º Exame

71,67%

7º lugar


5º Exame

59,26%

34º lugar


6º Exame

72,5%

13º lugar


7º Exame

59,09%

9º lugar


8º Exame


52,78 %

21º lugar

9º Exame


55,88%

15º lugar

10º Exame


63,77%

32% lugar

Fonte: UnB

Taxa de aprovação de candidatos da UnB

Período


Taxa de aprovação

Taxa do 1º ao 10º Exame

63,58% *

Taxa do 2º ao 10º Exame


78,9% **

Taxa do 8º ao 10º Exame

58,4% **

* Fonte: UnB
** Fonte: OAB e FGV Projetos

Primeiras colocadas
As Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto (85,7%), a Universidade Federal de Viçosa (75,8%), a USP de São Paulo (70,9%), a Universidade Federal de Pernambuco (69,3%) e a Universidade Federal de Minas Gerais (68,8%) são as cinco primeiras no ranking com maior taxa de aprovação na 8ª, na 9ª e na 10ª edições do exame. Além de oferecer um panorama do desempenho de estudantes de direito, o estudo observa que, das 10 primeiras colocadas em taxa de aprovação, todas são instituições públicas, localizadas nas regiões Sul e Sudeste do país, com exceção da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em 4º lugar, e da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), em 10º lugar, situadas na região Nordeste.

O Presidente da OAB Nacional, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, avalia que o resultado se deve ao fato de que os estudantes mais bem preparados no ensino médio ingressam em universidades públicas. "O nível de conhecimento desses alunos é melhor, eles já saem do ensino médio mas bem preparados e entram sem muita dificuldade no curso de direito das universidades públicas. A qualidade das universidades está relacionada ao preparo dos alunos”. Para o presidente, os alunos de particulares costumam ter uma dificuldade extra. “Além de estudar, muitos alunos ainda trabalham em horário contrário às aulas, o que diminui o tempo de estudo e reflete no rendimento do estudante."

De acordo com o presidente da OAB Nacional, em 15 anos, o número de faculdades de direito no Brasil subiu de 200 para 1.300. "Esse aumento não foi seguido de qualidade. E por causa da falta de qualidade o número de aprovados diminuiu proporcionalmente. Apenas 8% dessas faculdades deveriam atuar no país." Questionado sobre o fato de as maiores taxas de aprovação estarem concentradas no Sul e no Sudeste, o presidente afirmou que este dado não é muito representativo, visto que estas regiões têm maior número de universidades e de alunos inscritos.

Confira as 10 melhores colocadas no ranking que faz a média entre o 8º, o 9º e o 10º Exames de Ordem

Colocação

Instituição

Município

Taxa de aprovação entre o 8º e o 10º Exames de Ordem

Universidade de São Paulo

Ribeirão Preto

85,7%

Universidade

Federal de Viçosa

Viçosa

75,8%

Universidade de São Paulo

São Paulo

70,9%

Universidade

Federal

de Pernambuco

Recife

69,3%

Universidade

Federal

de Minas Gerais

Belo Horizonte

68,8%

Universidade

Estadual

Paulista Júlio

de Mesquita Filho

Franca

68,8%

Universidade

Federal

do Paraná

Curitiba

68,1%

Universidade

Federal

de Santa Catarina

Florianópolis

66,7%

Universidade

Federal do Rio

Grande do Sul

Porto Alegre

66%

10ª

Universidade

do Estado

da Bahia

Salvador

65,4%

20ª

Universidade de Brasília

Brasília

58,4%

Fonte: FGV Projetos e OAB

Tentativas
Em lista, também elaborada pela OAB e pela FGV Projetos, que analisa o número de tentativas dos candidatos para conseguir a aprovação, o Centro Universitário Iesb aparece em 1º lugar, com a menor média: 1,047 tentativas. A média da UnB é de 1,182, o que garante a 5ª colocação nessa lista. A USP de Ribeirão Preto (1,112), a USP de São Paulo (1,158) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1,170) aparecem, respectivamente, em 2º, 3º e 4º lugar em menor número de tentativas.

Metodologia
O estudo Exame de Ordem em números destaca o papel da prova como um instrumento complementar do Ministério da Educação que pode ajudar a garantir a qualidade dos cursos de direito. A a OAB e a FGV adotaram como critério de avaliação o número de candidatos aprovados por instituição de ensino superior. Para que os indicadores fossem confiáveis, foram excluídas do estudo as instituições com menos de 30 candidatos inscritos. Grupos pequenos de alunos poderiam gerar uma taxa de aprovação muito alta que não, necessariamente, condiz com a qualidade de ensino da instituição. Faculdades e universidades com mais de uma unidade dentro do mesmo município tiveram os resultados agrupados.

A FGV Projetos produz, aplica e corrige a prova do Exame de Ordem desde 2010, ano a partir do qual a instituição elabora o ranking com dados que traçam o perfil do estudante de direito de diversas instituições. Os Exames de Ordem Unificados são aplicados três vezes ao ano e são compostos de duas fases. Os candidatos precisam acertar pelo menos 40 questões, ou 50% da prova. A aprovação permite que os bacharéis em direito exerçam a advocacia.
Tags: