SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

100 vagas na Anatel

Há oportunidades para níveis médio e superior com inscrições abertas a partir da próxima sexta-feira. Os salários ultrapassam R$ 11 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/07/2014 13:17 / atualizado em 06/07/2014 13:19

Paula Rafiza

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou, em 27 de junho, edital de concurso público oferecendo 32 postos de trabalho, para cargos de ensino médio, e 68, para ensino superior. As oportunidades são para a sede da agência em Brasília. As inscrições começam na próxima sexta-feira (11) e vão até 1º de agosto pela internet. O certame possui validade de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. Os salários variam de R$ 5.791,25, para cargos de nível médio, e R$ 11.776,90, para os especialistas de nível superior.

Há vagas para analistas e técnicos administrativos, além de especialistas em regulação de serviços públicos. Para analista, são admitidas inscrições de graduados em administração, em ciência da computação, em engenharia (de redes, civil, elétrica, mecatrônica e mecânica) e em direito. Para as chances de especialista em regulação de serviços públicos de telecomunicações, podem se candidatar concurseiros com nível superior em ciências contábeis, em ciências econômicas, em estatística, em matemática e em direito. Para nível médio, é necessário ter conclusão do ensino médio ou de curso técnico equivalente. As vagas são para as áreas de administração, comunicação e telecomunicações.

A prova contará com 120 questões, das quais 50 são de conhecimentos básicos e 70, de conhecimentos específicos. Haverá ainda avaliações discursivas, de títulos e cursos de formação apenas para os candidatos de nível superior. Além das 120 questões objetivas, os candidatos a cargos de nível superior ainda terão de responder quatro questões discursivas com caráter eliminatório e classificatório. As questões serão corrigidas apenas se o concurseiro obtiver a nota mínima de 36 pontos no conjunto de provas objetivas e estiver na posição de classificação mínima para cada cargo.

Para ir bem nessas questões e garantir uma das vagas, é necessário estar em dia com atualidadades e ler bastante. É o que garante o professor de língua portuguesa e redação do Vestconcursos Diego Amorim. “Com a leitura, adquire-se fluidez nos argumentos e na estrutura. Ao mesmo tempo, o candidato vai treinar a redação”, aconselha.

Preparando-se
A prova de nível médio tem duração total de 3 horas e 30 minutos, e a de nível superior, 5 horas e 30 minutos. Para testes extensos como esse, a dica de Diego é que o candidato responda primeiro às questões discursivas ou à redação. “A pessoa ainda está com fôlego e descansada para pensar bem sobre o tema. Além do mais, ao fazer as questões discursivas antes, aumenta-se a chance de ter mais rapidez e precisão”, aponta.

“Em concursos concorridos como o da Anatel, é preciso estudar previamente a prova e o edital para otimizar o tempo disponível”, alerta o professor de direito constitucional Jefferson Diego. Cada concurseiro possui uma maneira pessoal de fazer a prova, mas algumas máximas costumam funcionar. “É indicado começar pelas questões objetivas da disciplina com a qual possui maior afinidade para não ficar nervoso caso encontre itens muito difíceis logo no início”, alerta Jefferson.

Outro ponto importante para se atentar é o fator de correção das provas do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), em que uma questão errada anula uma certa. “Para obter sucesso no certame, normalmente, é necessário possuir um índice de acerto de 70% a 80%. Se, ao fim da prova, o candidato não tiver respondido pelo menos 84 (70%) das 120 questões com absoluta certeza, vale a pena arriscar e chutar um pouco. Do contrário, será muito difícil ser aprovado”, aconselha o professor de direito administrativo Emerson Caetano.

Mais uma chance

O universitário Felipe Arouche, 21 anos, tentará o concurso da Anatel pela segunda vez. Em 2012, ele disputou uma vaga para técnico administrativo em nível médio. Na ocasião, conseguiu a pontuação mínima para a aprovação no concurso, porém ficou com uma nota abaixo dos concorrentes e não foi chamado para exercer o cargo. O universitário atribui a falha à falta de experiência. “Foi o primeiro concurso público que fiz. Eu era muito jovem e talvez não tenha me preparado da melhor maneira possível”, aponta.

Dois anos mais experiente, Felipe disputará a mesma vaga este ano. “Além de conhecer melhor a prova, desta vez, vou estudar mais. Na última ocasião, só abria a apostila em dias alternados. Para a próxima prova, já estou me esforçando diariamente. Tudo para conseguir a estabilidade financeira que eu e tantos outros buscamos”, conclui.

Vaga questionada
O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJPDF) questiona, por meio de nota oficial, supostas irregularidades no edital que prevê vagas para o cargo de técnico administrativo com especialidade em comunicação no concurso da Anatel. As principais falhas apontadas pelo sindicato são a falta de exigência de diploma de nível superior dos concorrentes e a falta de clareza na descrição das atividades a serem desempenhadas pelos pretendentes do cargo. Para a vaga, o edital exige que o candidato possua ensino médio completo ou curso técnico equivalente. O SJPDF ainda considera equivocado exigir de um profissional de nível médio conhecimentos práticos e teóricos relacionados à profissão de jornalista, bem como teorias da comunicação, notas oficiais, clipping e marketing institucional. Procurada pelo Correio, a assessoria de comunicação da Anatel não se pronunciou até o fechamento desta edição.

Passem bem / Administração pública
Atualmente, há muita discussão acerca da ética na administração pública, seja em debates acadêmicos e políticos, seja em conversas informais entre amigos, familiares etc. Sabe-se que a ação ética no convívio social propicia mais segurança e confiança nas relações interpessoais, o mesmo ocorrendo nas organizações públicas. Desse modo, espera-se que os servidores públicos sempre primem pela ética, fazendo de seus cargos instrumentos de luta pelo bem comum.
Considerando que o texto acima tem caráter unicamente motivador, redija um texto que responda ao seguinte questionamento: Como a situação, os fins e os meios de uma conduta humana podem caracterizar uma conduta ética na administração pública?
Atenção: na avaliação da sua resposta, será atribuído até 1,50 ponto para cada um dos aspectos: situação, fins, meios.
Espaço: 15 linhas
Comentário:
Siga sempre o comando da prova. Quando o enunciado coloca os tópicos a serem seguidos pelo candidato, define-se como será a redação. Neste caso, perceba que o comando disse que será atribuído um ponto e meio para os aspectos “situação, fins, meios”. Sendo assim, o candidato pode dividir sua resposta de forma organizada: primeiro, um parágrafo introdutório para dizer sobre o que se escreverá; um de desenvolvimento para explicar as nuances sobre as situações de conduta ética voltada para a administração pública; um parágrafo desenvolvendo os fins dessa conduta; outro com os meios — esses três últimos parágrafos compõem o desenvolvimento; por fim, um parágrafo de conclusão, no qual se reafirmam as ideias expostas na introdução.

Questão retirada da prova para o cargo de analista administrativo em nível superior do concurso de 2012 da Anatel comentada pelo professor de língua portuguesa e redação Diego Amorim

O que diz o edital

Concurso da Agência Nacional  de Telecomunicações (Anatel)
Cargos: analista e técnico administrativos e especialistas em regulação de serviços públicos
Remuneração: de R$ 5.791,25 a
R$ 11.776,90
Inscrições: de 11 de julho a 1º de agosto
Taxa: R$ 50 (nível médio) e
R$ 100 (nível superior)
Provas: 14 de setembro (data provável)
Duração: 3h30min (médio) e
5h30 (superior)
Edital e inscrição on-line: www.cespe.com.br/anatel

Tags:

publicidade

publicidade