Procuram-se professores temporários

A Secretaria de Educação oferece 6,5 mil vagas para educadores. Prova está prevista para 21 de setembro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/07/2014 10:17

 

Geni, Laiz e João Gabriel, colegas de cursinho: foco e árduas horas de estudo para garantir contratação  (Carlos Vieira/CB/D.A Press  ) 
Geni, Laiz e João Gabriel, colegas de cursinho: foco e árduas horas de estudo para garantir contratação

As inscrições para o concurso de vagas temporárias para professores da rede pública de ensino do Governo do Distrito Federal foram encerradas em 8 de julho, mas a preparação para o certame está a todo vapor. Ao todo, há 6,5 mil vagas para docentes de educação infantil, ensino médio, educação de jovens e adultos e educação profissional.

A avaliação dos candidatos será feita por meio de prova objetiva, de caráter elimitário e classificatório, e avaliação de títulos e experiência profissional. Os selecionados integrarão o Banco de Reservas da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEDF).

Os aprovados firmarão vínculo temporário com o GDF com duração de um ano, prorrogável por igual período.
Com duração de duas horas e meia, a prova objetiva será composta por 25 questões de múltipla escolha, sendo oito de língua portuguesa, duas sobre a Lei Orgânica do DF, além de 15 questões sobre conhecimentos pedagógicos.

Segundo a professora de língua portuguesa Andréia Cerqueira, as questões da disciplina que leciona não serão tão difíceis e terão foco em gramática. “Normalmente, são cobradas questões gramaticais em detrimento da interpretação de texto. Caso seja cobrada interpretação, a banca deve pedir a classificação do gênero do texto apresentado”, aponta.

Para as duas questões sobre a Lei Orgânica, Felipe Cesar Vieira, professor de direito legislativo do Pró-cursos, diz que não há outra saída senão estudar o texto da norma. “Ainda temos tempo suficiente até a prova — cerca de dois meses. O candidato que realmente quer a vaga deve se atentar a isso.”

Conhecimentos pedagógicos ocupam mais da metade dos itens na prova objetiva. Segundo a professora de conhecimentos pedagógicos do Vestconcursos Roberta Guedes, os candidatos devem ficar de olho nesse conteúdo“Dois documentos recentes do GDF chamam atenção: o da educação integral e a diretriz curricular do DF. Por serem documentos oficiais novos, a banca deve aproveitar este concurso para cobrá-los pela primeira vez”, prevê.

Planos de continuidade

Os professores Laiz Leal, 27 anos, Geni Regert, 29, e João Gabriel de Carvalho, 28, se preparam para a prova num cursinho específico. Laiz foi selecionada em três processos seletivos do tipo e conta o que espera para o certame atual. “Acho que esse será mais difícil, pois a tendência é aumentar a concorrência”, conta.

João Gabriel foi aprovado, em 2013, no concurso para professor efetivo da SEDF, porém ainda espera ser chamado para exercer o cargo. “Apesar de ter dificuldade em gramática, tenho bastante tempo para me preparar. Acho que não será tão difícil.” Por lecionar durante o dia, Geni tem pouco tempo para se dedicar. “A melhor maneira para otimizar esse tempo é sair direto do trabalho e fazer um cursinho.”

O que diz o edital

Concurso da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal
Cargo: professor temporário
Vagas: 6,5 mil
Remuneração: de R$ 19,42 a
R$ 24,57 por hora-aula
Inscrições: encerradas em 8 de julho
Provas: 21 de setembro
Duração: 2h30
Edital: www.iades.com.br

Passe bem / Conhecimentos pedagógicos
De acordo com os teóricos da pedagogia histórico-crítica, é possível realizar um trabalho pedagógico significativo para o aluno, por meio de uma metodologia de trabalho que venha ao encontro de seus interesses, confrontando-os com a realidade em que vivem. A respeito desse assunto, assinale a alternativa incorreta.
(a) Uma proposta de trabalho crítico e transformador da realidade vivida pelo aluno, que aponte caminhos e ações didático-pedagógicas de mediação entre aluno e objeto de conhecimento, pode tornar as aulas mais interessantes e significativas para os alunos.
(b) É necessário que cada educador realize uma avaliação de sua prática docente, visando atender às necessidades de transformação social por meio de uma prática educativa significativa.
(c) Além das ferramentas convencionais de mediação utilizadas em sala de aula, os educadores precisam lançar mão das novas tecnologias, que os auxiliam no processo de ensino e de mediação da aprendizagem dos conteúdos escolares.
(d) O confronto com a realidade dá-se por meio da tomada de consciência de suas limitações. O melhor instrumento do professor para tornar isso significativo para o aluno é a avaliação somativa.
(e) O compromisso da escola e dos educadores, nesse momento, é ensinar de forma significativa, lançando mão de metodologias que instiguem o aluno para a aprendizagem, tendo a certeza de que estes farão um novo uso social dos conteúdos científicos aprendidos na escola para a transformação da sociedade.

Comentário
(a) C. A pedagogia histórico-crítica exige trabalhar os conteúdos de forma contextualizada para torná-los mais significativos
(b) C. A autoavaliação e a escuta dos estudantes provoca uma educação dialógica, como Paulo Freire defendia
(c) C. O educador precisa revisitar sua prática pedagógica, utilizar novas metodologias e realizar mediações
(d) E. O item está errado porque a avaliação formativa e processual é a que melhor atende às exigências da pedagogia histórico-crítica
(e) C. Com a pedagogia histórico-crítica, o educando pode passar a ter uma perspectiva transformadora da realidade.

Resposta: Letra D

Questão retirada da prova de 2012 do concurso para professores temporários da SEDF e comentada pela professora de pedagogia Roberta Guedes.
Tags: