SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EDUCAÇÃO »

Olho na nota de corte

Com o resultado do Enem divulgado, as inscrições no Sisu começam na próxima segunda-feira, pela internet. Para aumentar a chance de seleção em um curso em uma universidade federal, o candidato precisa saber qual é a pontuação mínima exigida

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/01/2015 10:53 / atualizado em 16/01/2015 10:56

Juliana Espanhol

Com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mãos, já dá para começar a sonhar com uma das 205.514 vagas de ensino superior público disponibilizadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições começam na próxima segunda-feira e seguem até 22 de janeiro. No entanto, para potencializar as chances de escolher um curso em que há mais chances de aprovação, é essencial saber como funciona a nota de corte do sistema.

A partir da terça-feira, segundo dia de inscrições, o Sisu divulgará as notas de corte, ou seja, as pontuações mínimas para entrar em cada um dos 5.631 cursos oferecidos nacionalmente. O dado será atualizado uma vez por dia até o fim do período das inscrições, com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência. De acordo com o coordenador de 3º ano do sistema Alub, Carlos Fernando Oliveira, é preciso estar atento às mudanças diárias das notas. “É recomendável inscrever-se já no primeiro dia para acompanhar a atualização de notas. Assim, caso o aluno perceba que pode ficar de fora da lista de aprovados, ele tem a opção de mudar de curso ou de instituição de ensino”, instrui.

Segundo o docente, a diminuição de 9,7% em redação e de 7,3% em matemática na comparação entre as médias do Enem de 2013 e de 2014 pode alterar as pontuações mínimas deste ano. “A queda nessas duas disciplinas pode baixar ou manter estáveis as notas de corte”, afirma. O estudante Eduardo Dantas, 18 anos, aposta nesse fator para se sair bem no Sisu. “Fiquei sabendo que a média de matemática caiu, e fui bem nessa parte da prova. Acho que isso é uma vantagem”, diz. O jovem pretende cursar engenharia de computação ou de redes na Universidade de Brasília (UnB) ou na Universidade Federal do Ceará. “Já calculei minha nota e acho que tenho chances de passar.”

Uma opção para saber as chances de passar num curso é verificar as notas de corte do ano anterior (veja quadro). “As mudanças de ano a ano não costumam ser significativas. Os alunos podem usar essas notas como referência para saber se podem passar”, afirma Oliveira. Por esse método, o aluno Caio Senna, 17, descobriu que tem poucas chances de ser aprovado em medicina. No entanto, ele pretende tentar uma vaga em enfermagem na UnB. “Vi que a nota de corte do ano passado está mais alta que a minha, mas fui bem na redação e acho que consigo ser aprovado para enfermagem”, diz.

A consulta às vagas ofertadas já está disponível no site do sistema, em www.sisu.mec.gov.br/cursos. O candidato pode escolher até duas opções de curso, que podem ser alteradas enquanto o período de inscrições estiver aberto. O coordenador Carlos Fernando Oliveira relembra que o Sisu é um sistema nacional. “Uma das vantagens é justamente poder concorrer a vagas em todo o país. Às vezes, o aluno não passa no curso em Brasília, mas passaria em Goiânia. Ele deve estar aberto a essas possibilidades”, avalia.

Diferenças
Algumas instituições, como a Universidade de Brasília (UnB), adotam critérios diferentes, como peso distinto para as notas em cada área do conhecimento e nota mínima. Na UnB, adota-se o mínimo de 400 para a redação e de 350 para cada uma das quatro provas objetivas. Além disso, os cursos são divididos em duas categorias: no grupo I, que abriga formações ligadas às humanas, as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias e de ciências humanas e suas tecnologias têm peso 4, enquanto as avaliações de matemática e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias têm peso 2. No grupo de cursos II, de exatas, a situação se inverte. A fórmula para calcular a nota final está disponível no site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe): www.cespe.unb.br.

Chamada única
Nesta edição, o Sisu terá chamada única. A divulgação dos aprovados está prevista para 26 de janeiro. Para aqueles que forem aprovados na chamada única, o período de matrícula, diretamente com as instituições, ocorre em 30 de janeiro e 2 e 3 de fevereiro. Quem não for aprovado fica numa lista de espera entre 26 de janeiro e 6 de fevereiro. Para participar da lista concorrendo a uma vaga na primeira opção de curso, é preciso acessar o site do Sisu. As instituições de ensino superior começarão a convocar os estudantes da lista a partir de 11 de fevereiro.

É recomendável  inscrever-se já no primeiro dia para acompanhar a atualização de notas. Assim, caso o aluno perceba que pode ficar de fora da lista de aprovados, ele tem a opção de mudar de curso ou de instituição de ensino”
Carlos Fernando Oliveira,
educador

Pontuação necessária
Confira as notas de corte no Sisu dos cursos mais concorridos na UnB, na UFMG e na UFG

Universidade de Brasília (UnB)


Ampla concorrência

Medicina    818,31
Enfermagem (câmpus Ceilândia)    798,96
Engenharia civil    783,52
Engenharia (câmpus Gama)    770,49
Direito (integral)    760,68
Relações internacionais    758,55
Psicologia    733,29
Comunicação social    721,69
Nutrição    714,4
Administração    711,03

Cotas para negros, pardos e indígenas*

Medicina    761,66
Enfermagem (câmpus Ceilândia)    642,25
Engenharia civil    733,49
Engenharia (câmpus Gama)    651,65
Direito (integral)    692,4
Relações internacionais    696,85
Psicologia    659,77
Comunicação Social      656,54
Nutrição    656,11
Administração    650,51

Cotas para escolas públicas**
Medicina    745,63
Enfermagem (câmpus Ceilândia)    649,45
Engenharia civil    783,52
Engenharia (câmpus Gama)    676,6
Direito (integral)    694,52
Relações internacionais    725,2
Psicologia    740,89
Comunicação social    672,15
Nutrição    não houve vagas nessa modalidade
Administração    665,51

Universidade Federal de Goiás (UFG)
Ampla concorrência


Medicina    799,02
Direito (matutino)    759,42
Engenharia civil    772,64
Design gráfico    716,3
Biomedicina    707,3

Cotas para negros, pardos e indígenas*
Medicina    748,96
Direito (matutino)    701,02
Engenharia civil    703,4
Design gráfico    639,34
Biomedicina    606,7

Cotas para escolas públicas**
Medicina    775,06
Direito (matutino)    696,2
Engenharia civil    733,38
Design gráfico    681,28
Biomedicina    673,38

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Ampla concorrência
Medicina     805,72
Direito (matutino)     772,36
Medicina veterinária      731,26
Engenharia química     786
Arquitetura e urbanismo     769,9

Cotas para negros, pardos e indígenas*

Medicina     771,76
Direito (matutino)     755,24
Medicina veterinária     692,1
Engenharia química    752,16
Arquitetura e urbanismo     712,02

Cotas para escolas públicas**
Medicina     778,32
Direito (matutino)     727,5
Medicina veterinária    696,02
Engenharia química     762,1
Arquitetura e urbanismo    715,98

* Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas

** Candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas

publicidade

publicidade