SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EDUCAÇÃO »

Craques do Sisu na UnB

Entre os cinco primeiros colocados na Universidade de Brasília na seleção feita a partir da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dois são do DF. Alunos da capital federal conquistaram 67% das 1.982 vagas ofertadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/01/2015 12:38 / atualizado em 28/01/2015 15:03

Ana Paula Lisboa

Daniel Ferreira
Dois estudantes de Brasília e três de São Paulo conquistaram as melhores colocações na Universidade de Brasília (UnB) por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O primeiro lugar ficou com a paulistana Lara Salvestrini da Cunha, 18 anos, aprovada para medicina. O brasiliense Luis Fernando Mendes Cury, 18, conquistou a segunda colocação e vai estudar matemática. Também do Distrito Federal, Paulo Montijo Bandeira, 17, cursará engenharia mecânica e aparece no terceiro lugar no ranking. Os paulistas Alexandre Lemos Bortolotto e Pedro Luis Furlam, ambos de 18, figuram na quarta e na quinta posições, respectivamente. A receita dos jovens para o bom desempenho é formada por muito estudo e dedicação, conta Lara. “Eu só parava de estudar para comer, tomar banho e dormir.”

Na segunda vez em que a UnB seleciona alunos por meio do Sisu, 33% dos aprovados são de outras unidades da Federação e 67%, da capital federal. “Esse percentual está bem acima do que costumamos ter. Normalmente, 85% das vagas eram ocupadas por estudantes daqui”, compara o decano de Ensino de Graduação, Mauro Rabelo. As 1.982 vagas ofertadas pela UnB para 88 cursos de graduação nos câmpus Darcy Ribeiro, Gama, Ceilândia e Planaltina nesta edição do Sisu foram disputadas por 85.707 pessoas. No ano passado, a quantidade de inscritos chegou a quase 60 mil, e os brasilienses nem sequer apareciam na lista dos cinco primeiros colocados.

“O número de inscritos (85.707) representa mais que o triplo da procura por vagas no vestibular tradicional. A concorrência acaba sendo maior pela facilidade de acesso, já que tudo é feito pela internet. Isso é positivo porque a universidade atrai alunos mais bem preparados e facilita a mobilidade, que é um dos objetivos da seleção unificada”, observa Mauro Rabelo. Segundo o decano, o aumento de universitários de fora do DF não prejudicará a oferta de benefícios estudantis. “A partir do momento em que a Universidade de Brasília aderiu ao Sisu, o Ministério da Educação aumentou os recursos para bolsa permanência e auxílio estudantil”, esclarece.

A opção de tornar o Sistema de Seleção Unificada a única porta de entrada para a universidade não está em debate por enquanto. “A adoção do Sisu e a manutenção do PAS e do vestibular foi tomada de forma democrática pelo Cepe (Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão) após amplo debate. Agora, vamos experimentar o Sisu, avaliar o reflexo disso para, quem sabe, no futuro, rediscutir o assunto”, diz Mauro Rabelo.

Não perca a matrícula
Os aprovados para uma das 1.982 vagas ofertadas por meio do Sisu e os 94 aceitos no vestibular para cursos com habilidades específicas devem ficar atentos aos prazos da Universidade de Brasília para fazer o registro. As matrículas começam nesta sexta-feira nos postos avançados da Secretaria de Administração Acadêmica (SAA) e podem ser feitas até terça-feira (3/2). A documentação necessária pode ser conferida na Agenda do Calouro pelo site www.unb.br.

Perfis campeões

Conheça os três primeiros colocados na UnB pelo Sisu

 

 

1º lugar
Lara Salvestrini da Cunha
18 anos
De São Paulo (SP)
Concluiu o ensino médio em 2013 no Colégio Vértice
Nota no Enem: 844,45
Aprovada para medicina

“Ainda estou esperando os resultados dos vestibulares para a USP e a Unicamp, mas a UnB é uma ótima instituição e eu gostaria muito de estudar nela. É mais complicado, por causa da distância da minha família, por isso ainda vou pensar bastante antes de me decidir. Minha família adorou que eu tenha passado, principalmente numa colocação tão boa. Depois do colégio, fiz um ano de cursinho e minha rotina de estudos era intensa. Eu só parava de estudar para comer, tomar banho e dormir. Eu dormia muito cedo, porque ter um sono regular sempre me ajudou. Quem está se preparando tem que ser realista e perceber que é inevitável abrir mão de certas coisas, mas, no fim, o esforço vale a pena.”


2º lugar

Luis Fernando Mendes Cury
18 anos
De Brasília
Concluiu o ensino médio em 2014 no Colégio Olimpo
Nota no Enem: 839,11
Aprovado para matemática

“Eu passei para engenharia civil no PAS da UnB e para engenharia no Instituto Militar de Engenharia (IME), mas percebi que quero mesmo estudar matemática. Eu achei a prova do Enem em 2014 mais difícil que a de outros anos, especialmente em física e química. Para me preparar, eu estudava umas quatro horas por dia. Fazia pelo menos uma redação por semana por causa da escola e tirei 860 pontos nessa parte da prova. Fiz muitas provas antigas e exercícios para me acostumar. Apesar disso, ainda encontrava tempo para o lazer, para a família e a namorada nos fins de semana.”

3º lugar

Paulo Montijo Bandeira
17 anos
De Brasília
Concluiu o ensino médio em 2014 no Colégio Olimpo
Nota do Enem: 837,54
Aprovado para engenharia mecânica

“Minha família ficou muito feliz com a minha aprovação, e eu não imaginava que seria tão bem colocado, mas ainda estou esperando o resultado da USP e da Unicamp. Eu tinha hábito de leitura e estudava todo dia as matérias da escola. Eu me preparei para um nível de prova superior ao do Enem e estudava de três a quatro horas por dia. Na redação, tirei 920 pontos. Fazia de uma a duas dissertações por semana, além de escrever textos em provas e simulados. Na escola, participava de debates sobre temas que podiam cair, o que ajudou. No fim de semana, tinha aula no sábado e tirava parte do domingo para estudar. Mas eu buscava relaxar e fazer exercícios físicos. Para se sair bem, é importante ter disciplina e levar seu potencial ao máximo, sem extrapolar os próprios limites.”

 

4º lugar

Alexandre Lemos
18 anos
De São Paulo
Concluiu o ensino médio em 2013 no Colégio São Luís
Nota do Enem: 834,54
Aprovado para medicina

"Passar é ótimo e com uma boa classificação é melhor ainda. Fiquei surpreso e contente com o resultado. Para cursos concorridos como medicina, é preciso ter em mente que não dá para chegar longe sem estudar muito, mas não se pode forçar a cabeça. Para alguns, pode dar resultado estudar 12 horas por dia, mas é preciso dosar porque isso pode desgastar muito. Eu passei na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e na Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto) e ainda estou esperando o resultado da USP, que é a de minha preferência, por isso ainda estou me decidindo. O Enem evoluiu bastante, especialmente em ciências da natureza, então achei uma boa prova. Foi um exame coerente. Tirei 720 pontos na redação: não era um tema que eu estava esperando, mas era aceitável.
"

5º lugar

Pedro Luis Furlam
18 anos
De Piracicaba (SP)
Concluiu o ensino médio em 2013 no Liceu Terras do Engenho
Nota no Enem: 833,34
Aprovado para medicina

"Depois de terminar o ensino médio, eu fiz um ano de cursinho e resolvi focar bastante em português, já que eu não passei na USP e em outras seleções no anterior por não dar muito importância a essa disciplina. Eu me inscrevi para a UnB porque é uma ótima universidade e porque ela dá muito peso para exatas. Estou feliz com o resultado, mas passei na Unifesp e esotu esperando o resultado da USP, da Unicamp e da Unesp. O mais importante para um bom resultado é estudar muito e ter organização. Eu tinha um cronograma de estudos para o ano todo, detalhando cada dia. Não tinha tempo para lazer na minha rotina. O apoio da família, da namorada e dos amigos foi muito importante para superar várias situações desgastantes."

publicidade

publicidade