Deputado defende ajustes promovidos no Fies

O público podeenviar perguntas e debater o assunto por meio da sala de bate-papo do portal e-Democracia.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/03/2015 12:29

Agência Câmara

Falando em nome da liderança do governo na Câmara dos Deputados, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) defendeu a gestão da presidente Dilma Rousseff, principalmente no que diz respeito ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Ajustes feitos no programa estão sendo criticados em comissão geral que ocorre neste momento no Plenário da Câmara.

 

Para Silva, o espaço não deve ser utilizado para “proselitismo político e ideológico”. “Não se deve transformar a comissão em mais um campo de ataques ao governo da presidente Dilma. Aqui estamos debatendo a educação brasileira”, disse o parlamentar.

 

Anteriormente, o presidente do Movimento em Defesa do Fies, Ricardo Holz, havia sugerido que o governo federal reduzisse o número de ministérios em vez de promover alterações no programa estudantil. A mesma crítica foi feita pelos deputados Rogério Marinho (PSDB-RN) e Hugo Motta (PMDB-PB).

 

“O governo tem um excesso de ministérios, de cargos em comissão”, disse Rogério Marinho. Para Marinho, as dificuldades no Fies são a “ponta do iceberg, “mais um exemplo da forma como o governo vem administrando o País”.

 

Já Hugo Motta defendeu cortes em áreas supérfluas a fim de que se preserve o Fies. Na opinião do peemedebista, a exigência de uma nota de corte para ingressar no programa prejudica os alunos que estudam em escolas públicas. “Soa como se o Ministério da Educação não quisesse promover a educação plena.”

 

Participação popular Nesta audiência, o público poderá enviar perguntas e debater o assunto por meio da sala de bate-papo do portal e-Democracia.