SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Rumo à DPU

Defensoria Pública da União oferece 143 vagas em diversos cargos de níveis médio e superior; 23 são para o DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/04/2015 10:25

Carlos Moura/CB/D.A Press
A partir de quarta-feira (22), concurseiros podem se candidatar a oportunidades na Defensoria Pública da União (DPU). As 143 vagas para níveis médio e superior e o cadastro de reserva são divididas entre todas as unidades da Federação, e São Paulo é a que concentra o maior número de postos: 31. No Distrito Federal, são 23. Das carreiras destinadas ao DF, 16 exigem ensino superior: analista técnico administrativo — para qualquer curso superior — (12), contador (1), economista (1), psicólogo (1) e técnico em comunicação social – jornalismo (1); as sete demais são de nível médio para o posto de agente administrativo. Os cargos de arquivista, assistente social, bibliotecário, sociólogo e técnico em assuntos educacionais são apenas para formação de cadastro reserva no DF. Os salários são de R$ 3.817,98 para profissionais de nível médio e de R$ 5.266,18, para os de nível superior. O cargo de economista é o que tem a maior remuneração: R$ 6.348,27.

Com o lançamento do edital na última segunda-feira (13), os candidatos têm pouco mais de dois meses de preparação antes das provas, marcadas para 21 de junho. Na contagem regressiva para o certame, o auxiliar administrativo Jamesson Pereira, 22 anos, diz estar totalmente focado para conquistar uma vaga de agente administrativo na DPU. “Acho um órgão interessante para trabalhar, já que é uma oportunidade de lidar com uma área do direito voltada para pessoas que não têm condições de pagar os custos de um advogado”, conta ele, que se prepara para concursos desde os 19 anos. Além de cursinho preparatório on-line, estuda cinco horas diárias de segunda a sexta para resolver provas anteriores. Nos fins de semana, a jornada de estudos chega a 12 horas. Ele acredita que a seleção será concorrida, mas está confiante. “Tenho otimizado meu tempo de estudo. Vai ser um concurso difícil, mas estou me preparando ao máximo.”

Apesar de não faltar muito tempo para as provas, o professor de direito constitucional e civil do Processus Nilo Roberto ressalta que os candidatos podem aproveitar bem o período administrando os estudos e cobrindo todo o conteúdo programático. Perto do dia da prova, não adianta querer aprender tudo de uma vez. “Nunca é recomendado estudar de última hora. O ideal é que o aluno já tenha se preparado anteriormente. Na hora da prova, o segredo é manter a calma”, diz. “O Cespe, normalmente, utiliza situações hipotéticas nas questões. É interessante que o aluno desenvolva um conhecimento e raciocínio mais amplos para as matérias. Prestar atenção e buscar interpretar o que é dito facilita.”

Entenda a prova
A seleção é composta apenas por provas objetivas, e a banca examinadora será o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe). Os itens de conhecimentos específicos têm peso 3 na nota final, enquanto os de conhecimentos básicos (que incluem língua portuguesa, normas aplicáveis aos servidores públicos, raciocínio lógico e noções de informática, de direitos constitucional e administrativo, de arquivologia e de gestão de pessoas para praticamente todos os cargos) são de peso 2. Candidatos a cargos com formação superior responderão a 150 questões — 70 de conhecimentos básicos e 80 de específicos. A prova para nível médio será de 120 itens — 50 de conhecimentos básicos e 70 de específicos.

Professor de português no N1 Cursos, Vítor Barbosa chama atenção para a concordância. “O aluno deve prestar atenção a sentenças que são longas e que distanciam o sujeito do verbo.” Ele considera que a interpretação textual é um conteúdo essencial. “O Cespe pode focar na intencionalidade das palavras, ou seja, o que o termo significa dentro de um contexto ou situação”, observa.

Foco em direito
Ana Beatriz Vieira, 21 anos, estudante do 5º semestre de direito, vai concorrer ao cargo de agente administrativo de olho na estabilidade financeira e se divide entre a graduação e os estudos para o concurso. Ela acredita que as matérias que estuda na faculdade darão uma boa base para participar do certame. Ainda assim, dedica de três a quatro horas por dia ao estudo de conteúdos para a DPU. “Como não tenho tanto tempo, aproveito aulas do meu curso para estudar as matérias específicas do edital. Procuro focar em disciplinas como direitos constitucional e administrativo, que são importantes e caíram em muitas provas anteriores”, conta.

Professor de direito constitucional no Ifar, Eduardo de Oliveira Silva ressalta que esses são os temas que mais merecem atenção. “As matérias essenciais para o concurso são direito constitucional e direito administrativo. Além disso, por serem cargos de uma Defensoria Pública, itens de direito previdenciário também devem aparecer bastante nas provas de nível superior”, analisa. “Em direito constitucional, o candidato deve priorizar conteúdos de Poder Judiciário e a parte das funções essenciais da Justiça”, indica.

Tiago Pugsley, professor de direito penal do IMP Concursos, oferece uma dica importante aos concorrentes. “Acredito que o Cespe manterá o padrão de aprofundamento na atualização da jurisprudência. Não deve ser uma prova que exige apenas memorização das matérias.” Estar atento a novidades também é a recomendação de Eduardo de Oliveira Silva. “É preciso ter conhecimento da legislação e estar em consonância com as decisões do Supremo Tribunal Federal, ou seja, com as súmulas vinculantes e com ações de grande destaque na sociedade.”

Passe bem/Direito Constitucional
A respeito do Ministério Público e da Defensoria Pública, julgue os itens seguintes:


» Os Ministérios Públicos dos estados formarão lista tríplice entre integrantes da carreira para escolha de seu procurador-geral, que será nomeado pelo chefe do Poder Executivo federal.

Comentário
Item correto. Os ministérios públicos dos estados e o do Distrito Federal e Territórios formarão lista tríplice dentre integrantes da carreira, na forma da lei respectiva, para escolha de seu procurador-geral, que será nomeado pelo chefe do Poder Executivo, para mandato de dois anos, permitida uma recondução (artigo 128).

Questão retirada da prova para agente de Polícia Civil (2013) aplicada pelo Cespe, comentada pelo professor Eduardo de Oliveira Silva


O que diz o edital

Concurso da Defensoria Pública da União
» Inscrições: de quarta-feira (22) a 11 de maio no site www.cespe.unb.br
» Taxas: R$ 70 (nível médio) e R$ 100 (nível superior)
» Vagas: 143
» Salários: de R$ 3.817,98 a R$ 6.348,27
» Provas: 21 de junho
» Locais de prova: DF e os 26 estados da Federação

publicidade

publicidade