SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudantes relatam pressões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/05/2015 10:59

Mariana Niederauer

A indefinição sobre a prorrogação do prazo do Fies têm deixado os estudantes apreensivos. Eles ficam em dúvida se devem ou não efetivar a matrícula, porque não sabem se terão condições de arcar com o valor do curso, caso o financiamento não seja aprovado. Instituições de ensino chegam a definir regras específicas para aqueles que se matricularam com a intenção de conseguir um financiamento pelo programa.

A mãe de uma aluna, que preferiu não se identificar, reclama que o Centro Universitário Iesb condicionou a efetivação da matrícula à assinatura de um termo em que a candidata se compromete a pagar as mensalidades de janeiro a junho caso não consiga o financiamento do governo. Desde o início do ano, a filha dela tenta, sem sucesso, se inscrever. “Você tem interesse em estudar, o governo vai para a televisão e faz uma propaganda de que isso é possível e, de repente, você não tem mais nada”, indigna-se.

O Iesb confirma a existência desse termo específico para estudantes que tentam o benefício, mas disse que a adesão a ele é opcional e que desconhece a obrigatoriedade da assinatura para efetivação da matrícula. Ainda de acordo com a instituição, o documento serve para que o estudante possa continuar o semestre caso não consiga o financiamento e tenha o pagamento facilitado — dividido em mais parcelas.

De acordo com o secretário executivo do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa, a instituição não pode exigir a assinatura desse tipo de documento. No entanto, segundo Alexandre Mori, assessor técnico de financiamentos da consultoria Expertise Educação, a cobrança não é indevida, uma vez que, independentemente de ter conseguido o contrato do Fies ou não, o aluno assinou um termo de serviço com a faculdade no ato da matrícula. “Eu não vejo isso como uma exigência errada, porque na própria matrícula a pessoa já está condicionada a pagar a mensalidade”, diz.

“Eu não vejo isso como uma exigência errada, porque na própria matrícula a pessoa já está condicionada a pagar a mensalidade”
Alexandre Mori, assessor de financiamento

publicidade

publicidade