SIGA O
Correio Braziliense

Apreensão a um dia do vestibular da UnB

Estudantes reclamam de erro no sistema de envio do comprovante de conclusão do ensino médio, mas Cespe nega falha. Candidatos que tiveram a inscrição cancelada, apesar de terem anexado o documento, podem ir ao centro hoje regularizar a situação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/06/2015 14:33

Manoela Alcântara , Guilherme Pera , Mariana Niederauer

Minervino Júnior/CB/D.A Press
A um dia do vestibular, alguns dos interessados em uma vaga na Universidade de Brasília (UnB) sofrem com a incerteza. Mesmo com a comprovação de que fizeram o upload do certificado de conclusão do ensino médio à ficha de inscrição, eles tiveram o cadastro cancelado. Outros reclamam que nem sequer conseguiram concluir o registro. Alguns candidatos vão recorrer à Justiça para fazer a prova amanhã. Segundo o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), que organiza a avaliação, não foi registrada nenhuma falha no sistema e os candidatos que têm a comprovação de que anexaram o documento à inscrição podem comparecer ao centro hoje para regularizar a situação.

Em 1º de junho, foi divulgado na página da banca organizadora o Edital nº 10. O documento informa que “o candidato com pendência quanto ao envio do comprovante de escolaridade deverá, no período das 10h do dia 3 de junho de 2015 às 18h do dia 5 de junho, anexá-lo por meio de um link específico”. O texto ainda abre a possibilidade de entrega do comprovante na Central de Atendimento do Cespe, também nessas datas. No entanto, alguns dos candidatos que tentaram entregar a papelada receberam a resposta de que a inscrição havia sido cancelada. Na última quarta-feira, uma fila se formou na central de atendimento, segundo pais e estudantes.

Entre os prejudicados está Gabriel Tobias Mariense, 17 anos. Ele fez a inscrição no site do Cespe dentro do prazo e, ao concluir o cadastro, recebeu uma mensagem confirmando o upload do comprovante de declaração. Pagou o boleto, mas, quando foi conferir o número da inscrição, ela havia sido cancelada. “Descobrimos em 25 de maio. Abri um protocolo de reclamação, mas o Cespe nunca respondeu. Quarta-feira, fomos ao Cespe, depois de ver o Edital nº 10, mas eles ignoram a existência do documento que eles mesmos publicaram”, afirmou Fernando de Aveline Mariense, 52, pai do estudante, que estava acompanhado da mulher, Silvete, quando deixou o filho no cursinho ontem.

O jovem se formou no ensino médio em 2014 e, há dois anos, faz cursos preparatórios para tentar a aprovação em medicina. “Nós o deixamos no cursinho às 7h e o pegamos às 21h. São 14 horas de estudo por dia. Não é só o investimento, mas o prejuízo psicológico que tem provocado no meu filho. Vamos entrar na Justiça para que ele faça a prova”, completou Fernando. Ontem, Gabriel passou o dia estudando com a esperança de fazer o vestibular amanhã.

Minervino Júnior/CB/D.A Press
Decepção
Na fila de quarta-feira também estava Ivalmar Jorge Freire, 55 anos. A filha dele, Diara Selch Freire, 21, já é aluna da UnB e quer fazer o vestibular para trocar de curso. A jovem tentou enviar o documento diversas vezes, mas não conseguiu. “O sistema nunca era claro com relação ao recebimento da declaração. Vimos o Edital nº 10, que fala sobre as pendências quanto ao envio. Mas, ao chegar ao Cespe, a inscrição já estava cancelada”, protesta Ivalmar.

Essa é a primeira vez em que o Cespe exigiu, no ato de inscrição, o diploma de conclusão de curso. Por meio da assessoria de comunicação, o centro informou que quem fez o upload da documentação para o site terá a inscrição homologada. Já quem não conseguiu anexar o documento ao formulário disponível no site dentro do prazo não fará a prova. Essas pessoas receberão de volta o valor da taxa de inscrição. De acordo com o Cespe, o Edital nº 10 se refere apenas a pendências de pessoas que já tinham entregado os documentos. Quem tem a comprovação de que o upload deu errado pode ir até a Central de Atendimento hoje com o comprovante do erro.

Minervino Júnior/CB/D.A Press
Preparo
As provas do vestibular da UnB serão neste fim de semana. Ao todo, 18.804 candidatos efetivaram a inscrição para o certame. Amanhã, às 12h, abrem os portões para o primeiro dia de provas. Nesses momentos anteriores ao início da avaliação, a principal dica de especialistas é seguir o próprio ritmo e não mudar bruscamente a rotina. “Não tem uma regra geral, o candidato tem que fazer aquilo que fica mais à vontade. Se estudar em véspera de prova vai trazer mais tranquilidade, que o faça”, afirma Paulo Peres, coordenador do cursinho pré-vestibular do Colégio Galois. No entanto, ele sugere que o estudante pise no freio e invista no estudo de conteúdos que costumam ficar de lado, como filosofia, artes e língua estrangeira. São disciplinas que podem ser estudadas por meio de leituras ou resolução de questões de provas anteriores.

Ricardo Moura Marques, 18 anos, concorrerá a uma vaga no curso de medicina. Nas últimas semanas antes da prova, ele diminuiu o ritmo de estudos. “Fiz bastante exercícios, mas um pouco mais voltado para revisão, e não para treinar. Li textos e revisei o caderno e as anotações. Dei uma pisada no freio para não sobrecarregar para a prova”, diz.

Para evitar o nervosismo, ele encara o vestibular como um teste comum. “Eu vou fazer a prova como se fosse o último simulado antes das férias”, afirma. Essa foi a técnica de estudos usada pelo colega dele Paulo Henrique Rodrigues Correia, 19, que também tentará uma vaga para medicina. “Durante o semestre inteiro fiz simulados nos fins de semana, com diversos níveis de dificuldade. Aprendi a controlar o tempo para qualquer situação possível na prova da UnB.”

Depois que a sirene toca, é hora de se concentrar nas questões. Paulo Peres sugere que o candidato folheie a prova e leia o tema da redação. “Caso queira se acalmar, uma boa dica é começar com as questões tipo C, de múltipla escolha, que é possível resolver de maneira mais rápida e concorre a dois pontos”, explica. Além de valer mais pontos, o fator de correção desse tipo de questão também é menor. Em vez de perder um ponto se errar, como ocorre nas questões de certo ou errado, o candidato perde apenas 0,667 ponto.

Os itens tipo B, que são de cálculo, devem ser respondidos sempre, pois não há penalização para resposta errada. O professor do curso Exatas César Augusto Severo lembra, no entanto, que é preciso ao menos ler o enunciado para saber se o chute é plausível. Já para os itens em que uma questão errada anula uma certa, o chute não compensa. Nesses casos, César Augusto orienta que o candidato deixe o item em branco e ressalta que não é possível — nem necessário — resolver toda a prova no tempo disponível. “O normal é fazer de 60% a 70% das questões, e isso é suficiente para passar na grande maioria dos cursos”, destaca.