SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Cai em um milhão o número de inscrições no Enem 2015

Número de inscrições não-confirmadas no exame deste ano foi 10,67% inferior ao de 2014. Ministro nega que redução seja causada por aumento na taxa de inscrição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2015 15:51 / atualizado em 09/06/2015 19:27

Na tarde desta terça-feira (9), o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, participou de entrevista coletiva sobre o balanço das inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste ano, o número de inscrições não-confirmadas foi de 8.478 milhões, contra 9.490 milhões de candidatos em 2014, o que corresponde a uma queda de 10,67%. O prazo para pagamento da taxa de inscrição vai até quarta-feira (10), às 21h59min.

O ministro atribuiu a queda à política mais restritiva de concessão de isenção na inscrição. Ele acredita que a redução no total de inscrições irá reduzir o número de ausentes durante a realização das provas. Nesta edição, os candidatos que solicitarem carência e não comparecerem à prova perderão o benefício no próximo ano. “A hipótese mais forte a de é que pessoas que têm direito à carência e não tinham certeza de que fariam a prova pensaram duas vezes e decidiram adiar”, afirmou Janine. A declaração de carência é destinada àqueles que não têm condições financeiras de fazer o pagamento da taxa de inscrição.

 

No Enem deste ano, a proporção de candidatos pagantes foi de 40,2%, 43,9% com carência e 15,9% isentos. No ano passado, os percentuais eram de 32,4%, 52,5% e 15%, respectivamente. São isentos de pagar a inscrição do Enem os concluintes de ensino médio oriundos de escolas públicas, além de pessoas que se declararem em situação de baixa renda. Todos os inscritos que solicitam isenção de taxa são atendidos imediatamente. Os que não obtiveram isenção poderão regularizar sua situação até o último dia de pagamento pelo telefone 0800-616161. A comprovação de carência poderá ser exigida a qualquer tempo.

 

Nesta edição, a taxa de inscrição aumentou de R$ 38 para R$ 63. O ministro explicou que não houve um aumento da taxa, mas uma "atualização baseada nas correções de preços de insumos". Além disso, na edição anterior, o candidato pagante tinha parte do valor da inscrição subsidiada. Neste ano, esse candidato está custeando o valor total do próprio exame. Ainda assim, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Chico Soares, explica que o Enem não pretende ter um auto financiamento, já que é uma política de governo. A intenç

 

A maioria dos inscritos no exame em 2015 já terminou o ensino médio, 59%. O percentual de candidatos que concluem o ensino médio neste ano é de 19,6%. Candidatos que concluirão o ensino médio após 2015 correspondem a 15,3% dos inscritos. O total de candidatos que não está cursando o ensino médio é de 6%. Quanto ao gênero, as mulheres representam 57% das inscrições, contra 43% de candidatos do sexo masculino. A maior parte dos candidatos se declarou pardo (45,18%), seguido por branco (37,47%), preto (12,63%), amarelo (2,05%) ou indígena (0,59%). Outros 2,08% não declararam cor/raça.


No Distrito Federal houve um total de 184.587 inscrições gerais e mais 27.877 para certificação de ensino médio. O Sudeste foi a região com maior número de inscritos, 3.109.781, seguido pelo Nordeste (2.670.483), Sul (1.018.391), Norte (892.770) e Centro-Oeste (786.671). O estado de São Paulo, com 1.390.297 inscrições, foi a unidade da federação com mais candidatos. Minas Gerais (939.049) e Bahia (626.941) vieram logo em seguida. Roraima, com 24.872, foi a unidade da federação com o menor número de inscritos.

Atendimento especial
Será ofertado atendimento especializado a 61.216 pessoas com deficiência e atendimento específico para 91.972 candidatos, totalizando mais de 153 mil candidatos que terão tratamento diferenciado. Nesta edição, 70.762 pessoas que guardam o sábado por motivos religiosos e 10.611 mulheres lactantes devem fazer as provas.

publicidade

publicidade