SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EDUCAÇÃO »

PAS terá metade das vagas na UnB

Na comemoração dos 20 anos do Programa de Avaliação Seriada, a Universidade de Brasília (UnB) anuncia o projeto de ampliar de 25% para 50% o número de ingressos por essa forma de acesso. Mudança ainda precisa ser aprovada por conselho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/08/2015 12:22 / atualizado em 19/08/2015 15:37

Mariana Niederauer


Mauro Rabelo, Júlio Gregório e Sônia Báo: pioneiros do programa seriado (Natalia Valarini /UnB)
 

 

Mauro Rabelo, Júlio Gregório e Sônia Báo: pioneiros do programa seriado


A Universidade de Brasília (UnB) deu início ontem às comemorações dos 20 anos do Programa de Avaliação Seriada (PAS). Durante a cerimônia, o decano de Ensino de Graduação, Mauro Rabelo, apresentou o projeto de mudanças no sistema de avaliação que a reitoria vai propor às unidades acadêmicas. Uma das propostas é aumentar o número de vagas ofertadas nessa forma de acesso dos 25% atuais para 50%. Além disso, a instituição pretende adotar um sistema que permita que o candidato tenha acesso ao desempenho na prova antes do resultado final e possa mudar a opção de curso de acordo com a nota obtida.

As alterações ainda precisam ser aprovadas pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (Cepe) para passarem a valer, mas o decano acredita que é possível implementá-las já no subprograma do ano que vem. Ou seja, a nova configuração da distribuição de vagas (veja quadro) começaria a vigorar em 2017.

Com a alteração, 50% das vagas reservadas ao vestibular do meio do ano passariam a ser ocupadas por estudantes aprovados no PAS. Dessa forma, a lista de selecionados na avaliação seriada seria dividida em duas partes: metade dos calouros ingressaria no primeiro semestre e a outra metade no segundo semestre do ano. Mauro Rabelo explica que a intenção é propor atividades dentro da universidade para o grupo de alunos que não começar as aulas imediatamente após a aprovação. “Esse quase aluno faria uma sequência de atividades, como palestras, que já poderiam despertar o interesse pela discussão de grandes temas que hoje são relevantes para quem está na educação superior”, detalha o decano.

Na próxima semana, será enviada a todas as unidades acadêmicas a proposta de fortalecimento do PAS. A reitoria pretende compilar as sugestões e encaminhar o documento para análise do Cepe. Além da ampliação do número de vagas, o plano propõe uma série de mudanças no programa (leia Para saber mais), entre elas, a criação do SisUnB. A exemplo do que ocorre no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o candidato fará uma pré-opção de curso no ato da inscrição e, depois da prova, terá acesso ao desempenho individual e poderá escolher outra graduação de acordo com a nota que tirou. Esse sistema ficará disponível durante dois dias no mês de janeiro, antes do resultado do Sisu.

Equipe reunida
A data escolhida para o evento de comemoração dos 20 anos de criação do PAS marca o dia em que o Cepe aprovou a criação do programa, em 1995. No ano seguinte, os primeiros alunos do ensino médio fizeram a prova e, em 1999, foi aprovada a primeira turma pela nova forma de acesso à universidade. Participaram da solenidade o secretário de Educação do DF, Júlio Gregório, que fez parte da primeira comissão do programa; o diretor-geral do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), Paulo Portela; e a vice-reitora, Sônia Báo. O professor Lauro Morhy, idealizados do PAS, foi homenageado no evento, mas não compareceu em razão de problemas de saúde.

“O PAS é um projeto agregador”, resumiu Paulo Portela, do Cespe. “Nós conseguimos trazer as redes pública e privada do ensino médio e olhamos também para os pais e para os alunos. Chamamos todos esses atores para a discussão”, completou. O decano Mauro Rabelo ressaltou o pioneirismo do programa em relação a outras avaliações feitas no país. “O PAS, de fato, influenciou, direta ou indiretamente, diversos processos de seleção das universidades brasileiras e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)”, disse.

Antes de entregar certificados aos participantes da primeira Comissão Especial de Acompanhamento do PAS e à atual gestão do programa, Sônia Báo destacou a impacto que a avaliação seriada teve no ensino fundamental e, principalmente, no ensino médio do DF. “Nós podemos até pensar em acabar com a forma de ingresso pelo vestibular, mas jamais podemos acabar com o PAS.”


Distribuição

Como é
Vagas reservadas para o Sisu – 25%
Vagas reservadas para o PAS – 25%
Vagas reservadas para o vestibular – 50%

Ingresso: após a terceira prova do PAS, a lista de aprovados é divulgada e todos os selecionados começam as aulas em março, no início do primeiro semestre.

Como ficará
Vagas reservadas para o Sisu – 25%
Vagas reservadas para o PAS – 50%
Vagas reservadas para o vestibular – 25%

Ingresso: a lista de aprovados no PAS será dividida em duas partes. Metade dos alunos começará o curso no primeiro semestre do ano e a outra metade no segundo semestre.


O que vai ser discutido

Confira a proposta de fortalecimento do PAS que será apresentada às unidades acadêmicas da UnB na próxima semana:

1. Duplicar o número de vagas
O objetivo da reitoria é passar metade das vagas hoje reservadas ao vestibular para o PAS. A lista de aprovados seria dividida, portanto, em duas partes, e os alunos selecionados ingressariam no primeiro e no segundo semestres do ano.

2. Criar o SisUnB
Por meio desse sistema, os alunos poderiam mudar a opção de curso feita na inscrição depois de receber o boletim de desempenho individual. O sistema deixaria as notas disponíveis durante dois dias.

3. Implementar a prova digital
A comissão do PAS está avaliando a possibilidade de se fazer a prova no computador. Caso fosse possível usar também a Teria de Resposta ao Item (TRI), já adotada pelo Enem, seria possível que o candidato saísse da prova com o resultado em mãos.

4. Atualizar a matriz de referência
Se for possível incorporar a tecnologia à prova, poderão ser incluídas novas habilidades à matriz de referência, o que não se pode fazer hoje com a prova em papel. Essa é uma mudança importante, uma vez que a Base Nacional Curricular Comum está em discussão no âmbito do Plano Nacional de Educação (PNE).

publicidade

publicidade