SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

De Brasília para o resto do país

Alta concorrência e experiência de morar sozinho levam estudantes do DF a considerar outras unidades da Federação na hora de escolher a faculdade. A partir da nota do Enem, é possível concorrer a vagas em 517 municípios com instituições públicas cadastradas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/09/2015 14:23 / atualizado em 03/09/2015 14:29

Isabela Bonfim /Especial para o Correio

Ana Rayssa/Esp.CB/D.A
A cena comum nos filmes americanos, de estudantes que concluem o ensino médio, arrumam as malas e se despedem da família para começar a vida em uma nova cidade, tem ganhado espaço também no Brasil. Por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é possível concorrer a cursos em 517 municípios, oportunidade que tem chamado cada vez mais a atenção dos estudantes brasilienses.

Apesar de morar com a família em Brasília, a estudante Amanda Silva, 18 anos, quer estudar psicologia na Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp). Ela se identificou com o currículo do curso na instituição e está animada com a possibilidade de usar o Enem para ingressar na faculdade sem precisar se deslocar. “É uma oportunidade maravilhosa para quem não tem condições de viajar só para fazer o vestibular.”

Os estudantes podem usar a nota do Enem para concorrer a vagas em qualquer uma das instituições de ensino superior cadastrada no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). De acordo com o Ministério da Educação (MEC) foram 128 universidades participantes em 2015. O número é 2,5 vezes maior do que em 2010, ano de lançamento do sistema. (Veja Ampliação do Sisu)

Paulo Perez, coordenador do colégio Galois, acredita que os estudantes do Distrito Federal não fazem o Enem com o intuito de entrar exclusivamente na Universidade de Brasília (UnB). “A UnB oferece pouquíssimas vagas pelo Enem, por isso o exame é visto cada vez mais como uma prova nacional.” Para ele, o maior estímulo para os alunos que consideram estudar em outros estados é a concorrência.

Mas há quem seja estimulado apenas pela experiência de viver em outra cidade. O estudante Aurélio Vinícius França, 17 anos, está aberto a oportunidades. “Quando você faz uma faculdade fora, acaba ficando mais independente, tem mais iniciativa, além de poder conhecer melhor a cultura de outro estado”, explica. Fã das cidades de Natal e Boa Vista, ele quer estudar direito e tem preferência pelas universidades do Rio Grande do Norte (UFRN) e de Roraíma (UFRR). “Meu objetivo é fazer uma boa prova no Enem e depois avaliar com a minha família a melhor opção.”

Para o diretor da rede de ensino Alub, Alexandre Crispi, os estudantes querem experimentar a vida adulta. “Tive alunos com nota para estudar na UnB, mas que escolheram uma universidade menos conceituada apenas pela experiência de sair de casa”, relata. Segundo ele, os estudantes têm três critérios principais na hora de escolher uma instituição em outro estado: universidades mais próximas de Brasília, como Goiás e Minas Gerais; universidades melhor avaliadas por rankings especializados; e universidades com nota de corte baixa, quando o curso é muito concorrido.

Experiência no Rio de Janeiro
O estudante Leonardo Spolidoro, 21 anos, já sabe o que é sair de casa para fazer a faculdade. Depois de tentar o vestibular da UnB diversas vezes, ele foi aprovado em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2013 pelo Enem. “No começo, foi complicado. Fiquei ansioso e tive medo de não conseguir resolver meus problemas. A universidade dá pouco apoio para quem vem de fora. Mas hoje tenho vários amigos e gosto muito de estudar no Rio”, conta.

Leonardo já dividiu apartamento com outros estudantes e atualmente mora sozinho. Apesar dos gastos, ele acredita que o investimento vale a pena. “O aluguel é alto, mas ainda é mais barato do que a mensalidade de uma faculdade particular de medicina”, afirma. Os pais ajudam com as contas, mas é ele quem cozinha, lava e passa a roupa. “A gente vai aprendendo a se virar. Eu amadureci muito.”

 

Ampliação

Confira a evolução do Sisu nos últimos cinco anos:

 

Ano

Instituições

Cursos

Vagas

Municípios

2010

51

1.319

47.913

180

2015

128

5.631

205.514

517


Fonte: Ministério da Educação (MEC)

 

publicidade

publicidade