SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Ligado nas ciências da natureza

Física, química e biologia, juntas na mesma prova, podem até assustar. Mas professores dão dicas de como se sair bem nessas disciplinas, que serão avaliadas logo no primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio. O momento agora é de concentração

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/10/2015 12:40 / atualizado em 19/10/2015 12:59

Alessandra Oliveira - Especial para o Correio

Claudio Reis/Esp. CB/ D.A Press
A poucos dias do Enem, a ordem agora é revisar e se concentrar em traçar estratégias para as provas, que ocorrem sábado e domingo. Na reportagem de hoje da série que traz dicas para se dar bem em cada disciplina, professores e alunos falam sobre o conteúdo da prova que será aplicada no primeiro dia. Ciências da natureza e suas tecnologias contém questões de química, física e biologia. Para a professora de biologia do Alub Anita Burgan, nesta reta final, não adianta apenas ler. “Sempre falo para os alunos lerem e irem escrevendo com as palavras do entedimento deles. Não deixar de observar o conceito original, mas reescrever. Só assim eles vão gravar e exercitar a memória.”

Anita aconselha os alunos a ficarem ligados em questões como genética — que tem alto nível de cobrança —, sistema imunológico e biotecnologia. A professora chama atenção também para a interpretação de texto e a leitura completa do enunciado da questão antes de respondê-la — assim, o candidato saberá quais informações procurar.

O aluno Mauro Vinícios de Barros tem 18 anos e cursa o 3º ano no Centro Educacional Dona América Guimarães, em Planaltina. O estudante fez o Enem no ano passado e percebeu que, com a nota obtida, não conseguiria entrar no curso de matemática na graduação. “A nota da prova foi um baque, principalmente em redação e nas questões de ciências da natureza e suas tecnologias”, lembra. Para melhorar o desempenho nas questões de biologia, o estudante resolveu começar um cursinho. Os horários ficaram apertados: Mauro estuda pela manhã, faz estágio à tarde e, à noite, vai para o curso. Mesmo assim, garante que foi a melhor escolha. “Hoje, vejo que o Enem não é esse bicho de sete cabeças.”

Dentro da biologia, Mariana Costa Takimoto diz que só tem problema com botânica. A estudante está agora focada em praticar questões diariamente para deixar esse obstáculo para trás. Mas o maior problema da jovem é física. “Eu tenho muita facilidade em decorar as fórmulas, mas, como o Enem prioriza a aplicação em diferentes situações, eu tenho mais dificuldade”, comenta. Desde o início do ano, Mariana começou a frequentar um cursinho e diz que o nervosismo ficou para trás. “Quando eu estudava por conta própria, chegava a passar 12 horas em frente aos livros, mas só ficava mais cansada.”  Ela fará o exame pela segunda vez e diz que se sente mais tranquila porque entendeu que a física faz parte do dia a dia.
 
Para ajudar alunos como Mariana, o professor de física Vasco Vasconcelos garante que a maior dica é ficar atento ao texto base, pois lá está toda a explicação. “O que o estudante não deve fazer é ficar tentando entender a questão pelas alternativas ou pelo enunciado, o segredo está no texto base”, reforça. Nesta reta final, para quem tem dificuldades em física, o ideal é focar nas questões de numerologia, elástica e eletrodinâmica.

O professor ainda reforça que no Enem não há pegadinha. “O exame não induz ao erro.” Vasco explica que, nas alternativas, são colocados “distratores”, que são aparentes caminhos certos. “O aluno pode pegar algum desvio no cálculo e sair naquela resposta”, explica. Para disparar a nota da prova, ele ressalta que é importante identificar quais são as questões mais fáceis e depois seguir para as difíceis. “É preciso traçar uma estratégia mais quantitativa do que qualitativa. Assim funciona o Enem.”

As questões de química também precisam de atenção. “Os alunos têm um certo medo de química, há um receio de algo que não é nada complicado”, garante o professor de química William Pinheiro Araújo. Segundo ele, para facilitar no dia da prova, é preciso prestar atenção na leitura. “As questões de química necessitam de uma boa interpretação. São mais conteudistas, e os dados são muito importantes.” Além disso, William garante que o aluno necessita de embasamento teórico. O conselho, portanto, é revisar o conteúdo antes da prova.

O que deve cair:

» Produção e consumo de energia
» Movimento
» Radiação
» Ótica
» Ondulatória (ondas eletromagnéticas)
» Cálculo estequimétrico
» Equilíbrio químico/ iônico/ deslocamento de equilíbrio
» Reconhecimento de funções orgânicas
» Química ambiental: problemas ambientais (efeito estufa, chuva ácida)
» Hidrólise salina
» Reações orgânicas (esterificação, saponificação e transesterificação)
» Ecologia
» Programa de saúde (doenças, prevenção e tratamento)
» Evolução
» Citologia
» Genética

Dica: assistir ao documentário: A lei da água — O novo código florestal.

» Leia amanhã: dicas sobre ciências humanas e suas tecnologias.

publicidade

publicidade