SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

162 mil devem fazer o Enem no DF

109.173 não tiveram de pagar inscrição no exame na capital federal. Mais da metade dos inscritos de Brasília são do sexo feminino e já terminaram o ensino médio. Quase 50% dos participantes têm menos de 21 anos.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/10/2015 16:22 / atualizado em 21/10/2015 17:50

Ana Paula Lisboa

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, há 162.199 inscritos do Distrito Federal. Do total, 23,8 mil estudantes não pagaram a inscrição por terem cursado o 3º ano do ensino médio em escola pública; e 85.373 por serem de baixa renda. As informações foram disponibilizadas em primeira mão ao Eu, Estudante pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nesta quarta-feira (21). Os dados foram registrados na data-base do Inep em 16 de outubro.

 

A isenção é concedida aos candidatos que, no ato da inscrição, preenchem a declaração de carência. Apesar de se tratar de uma autodeclaração automática, o Inep pode exigir que o candidato comprove as informações prestadas. Neste ano, em todo o Brasil, o número de candidatos que confirmaram a inscrição (isentos e aqueles que pagaram a taxa dentro do prazo) caiu 11,96% em relação ao ano passado – no total, 8.478.096 fizeram a inscrição em 2015, mas 731.978 estudantes não finalizaram o processo.

Uma das hipóteses do presidente do Inep, Chico Soares, para a redução no número de inscritos confirmados é de que caiu o número de pessoas que se inscreve sem ter a certeza de que fará o exame. Isso porque uma mudança no edital da prova deste ano prevê que os isentos que não comparecerem aos dois dias perderão o direito em 2016. “O que podemos afirmar, com certeza, é que nenhum aluno deixou de fazer a prova por questões financeiras. Todos os estudantes que solicitaram a isenção foram atendidos”, ressaltou o presidente em entrevista ao Eu, Estudante em 30 de setembro.

 

Arquivo pessoal
Pedro Henrique Leite Oliveira, 18 anos, cursa o 3º ano no Centro de Ensino Médio Setor Leste e foi um dos beneficiados pela isenção da taxa de inscrição. "Foi bem tranquilo, só tive que marcar essa opção na hora de me inscrever. É um incentivo para fazer a prova. A taxa é R$ 63, e não é barata para todo mundo, especialmente em famílias com mais filhos, que precisariam pagar mais de uma vez", percebe.

 

O jovem deseja estudar psicologia ou ciências sociais na Universidade de Brasília (UnB) e se sente bem mais preparado para a prova depois de ter participado de um cursinho intensivo gratuito e de aulas de reforço na escola.

 

"É a primeira vez em que vou fazer o Enem, e estudei bastante. O Setor Leste foca muito no Enem, no PAS (Programa de Avaliação Seriada) e nos vestibulares e oferece aulas no contra-turno. Além disso, participei de um cursinho organizado por professores de escolas particulares focado no Enem. A última aula vai ser na sexta-feira. Tudo isso me ajudou a entender como vai ser a prova. Fez diferença, já que só as aulas não seriam suficentes", conta.

 

Confira informações sobre o perfil dos inscritos no DF:

Gênero
Repetindo o perfil dos inscritos a nível nacional, a maior parte no DF é do sexo feminino. Na capital federal, 42,5% dos candidatos ao Enem são homens, e 57,4% são mulheres. Há apenas cinco travestis / transexuais inscritos no DF.

Idade

A maior parte dos inscritos (48,7%) têm até 20 anos. Cerca de 1/3 dos participantes têm de 21 a 30 anos; 16% têm idade superior a 30.

Escolaridade
O perfil mais comum entre os inscritos é formado por pessoas que já concluíram o ensino médio, que são 60% do total no Distrito Federal. Os que vão terminar essa fase escolar em 2015 somam 20,1% dos inscritos; 12% vão conseguir o diploma de ensino médio depois de 2015. Do total de inscritos, 25.082 (15,4%) usarão a nota da prova para conseguir certificação de ensino médio.

Cor
Com relação a cor, 50,3% dos inscritos de Brasília são pardos. Outras raças aparecem em menor proporção: branca (28,4%), preta (14,5%), amarela (2,9%) e indígena (0,5%). Não declarados correspondem a 2,4% do total; 0,7% não souberam responder.

Atendimento especial
O Inep deverá fornecer atendimento específico a 1,8 mil pessoas na capital federal: são 43 idosos, 1.134 guardadores do sábado (como adventistas), 375 lactantes, 243 gestantes e cinco travestis.

 

O atendimento especializado deve ser prestado a 1.990 inscritos: surdocegueira (3), deficiência auditiva (212), surdez (36), baixa visão (252), cegueira (19), visão monocular (243), deficiência intelectual (109), autismo (15), dislexia (80), discalculia (14), déficit de atenção (360), deficiência física (567), outra deficiência (80). Tanto no caso específico quanto no especializado, um mesmo inscrito pode ter solicitado mais de um atendimento.


Foram 2.898 pedidos de recursos. O mais solicitado foi sala de fácil acesso (419), seguido por auxílio para leitura (285), auxílio para transcrição (255), prova ampliada (180), tradutor / intérprete de libras (95), leitura labial (44), prova superampliada (33), prova em braile (9) e guia-intérprete (2). Os pedidos por outros recursos além desses citados chegaram a 317.

 

Sobre a prova

O Enem é usado como porta de entrada para universidades públicas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e participares - por meio do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) e do Programa Universidade para Todos (ProUni). Além disso, possibilita o ingresso no ensino técnico gratuito por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Este ano, as provas serão aplicadas no próximo fim de semana (24 e 25). Confira seu local de prova e outras informações pelo site.

publicidade

publicidade