SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

500 vagas abertas

Conselho Federal de Psicologia (CFP) forma cadastro reserva para cargos de níveis médio e superior. Salários variam de R$ 4 a R$ 7 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/11/2015 13:19 / atualizado em 29/11/2015 19:28

Tatyane Mendes

Em cenário de escassez de concursos, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) oferece 500 vagas de níveis médio e superior para cadastro reserva. Candidatos de nível médio podem concorrer a 300 oportunidades para cargos de técnico administrativo nas áreas administrativa (150), contábil (50), suporte técnico em informática (50) e web designer (50). Para ensino superior, há oportunidades de analista técnico em ciências sociais e humanas (50), psicologia (50) e informática (100).


Técnicos ganham R$ 4.075,85, e analistas, R$ 7.225,26. Os aprovados também terão benefícios como vale-alimentação, no valor de R$ 739,94, auxílio-transporte, auxílio-saúde e assistência odontológica. A jornada é de 40 horas semanais para todos os postos. O prazo de inscrição vai até 13 de dezembro, e a banca escolhida foi o Instituto Quadrix.


O concurso será aplicado no fim de janeiro, em Brasília. A seleção será composta por 50 questões de múltipla escolha (com cinco itens cada), sendo 30 de conhecimentos básicos (língua portuguesa, noções de informática, ética no serviço público, legislação e, exclusivamente para nível médio, raciocínio lógico) e 20 de específicos. Para os cargos de nível superior, haverá ainda prova discursiva e avaliação de títulos.

O caminho das pedras
Quando o assunto é a parte de legislação, o professor de psicologia do Gran Cursos Carlos Bohm afirma que é essencial ler todo o regimento interno do conselho, a Lei nº 5.766/1971 e o Decreto nº 79.822/1977, que regulamenta a lei. “É indispensável saber as atribuições do conselho federal e dos regionais, compreender as competências das assembleias realizadas e o quórum de cada uma e também a parte de infrações disciplinares e penas.” Ele recomenda que a lei seja lida cuidadosamente, que o candidato faça um esquema de memorização e pratique com questões de concursos.


“A concorrência para nível médio vai ser acirrada”, aposta o professor de português do Ponto dos Concursos Albert Iglésia. Ele acredita que, por conta da crise, graduados vão concorrer para ambos os níveis, já que o conteúdo programático na parte de conhecimentos básicos é o mesmo para todos os cargos. “Pode acontecer de o grau de dificuldade dos itens de português para nível médio ser alto, por conta dessa possibilidade de dupla concorrência.”


Língua portuguesa é a matéria com o maior número de questões (10), dentro de conhecimentos básicos; por isso é importante se dedicar à disciplina. “Não há muito tempo para estudar, então é importante usar material específico para concurso, ter um estudo direcionado, fazer exercícios e ler teoria.” Ele acredita que devem cair conteúdos de pontuação — especialmente vírgula —, emprego da crase, regências nominal e verbal, concordância verbal, emprego de pronomes relativos e oblíquos átonos — ênfase em ‘o’, ‘a’, ‘lhe’ —, funções sintáticas, orações coordenadas e subordinadas, e o emprego das conjunções.


“Para aprender informática, o ideal é baixar as provas da banca e resolvê-las sem o uso do computador porque, na hora da prova, o candidato não poderá contar com o auxílio dele”, afirma o professor do Alub Nereu Costa. De acordo com o docente, a banca costuma apresentar questões bem elaboradas e lógicas. “Com uma hora e meia de estudo diário em informática, é possível fazer uma boa prova. O importante é ver como o Quadrix cobra as questões, resolvendo provas antigas.” O professor garante que, para ter sucesso, é preciso estudar sistemas operacionais, sabendo diferenciar o Windows 7 do 8. Ele chama atenção para uma novidade no edital: a cobrança do Microsoft Office versão 365, que é on-line. Nereu ainda aconselha o estudo de computação na nuvem. Na parte de segurança, o professor ressalta que é imprescindível saber a diferença entre vírus e worm, o conceito de firewall e técnicas de fraude e invasão.


O professor de ética do Gran Cursos Cassiano Salim explica que o mais importante para se sair bem na disciplina é identificar a diferença entre moral e ética e conhecer o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal (Decreto nº 1.171/1994). “São cobrados tanto o texto direto quanto casos práticos, então é importante ler a parte teórica, tentar imaginar situações nas quais poderiam ser aplicadas as regras e fazer exercícios”, indica. Ele afirma que o decreto é pequeno e que 30 minutos semanais são mais que suficientes para estudar ética.

De olho no futuro
Esse é o quarto concurso que Matheus Bougleux, 20 anos, realiza. O estudante do 6º semestre de engenharia elétrica teme a instabilidade do mercado e busca tranquilidade profissional. “É fácil perceber que há cada vez menos vagas e que elas estão mais concorridas: até para conseguir estágio está difícil. Quero garantir meu futuro para não ficar cheio de preocupações”, comenta. O jovem vai concorrer ao cargo de técnico administrativo, na área administrativa, e separa três horas diárias para estudo. “Não sobra muito tempo com estágio e faculdade, mas me esforço. Gosto muito de videoaulas porque tendo a perder o foco, então é bom poder voltar e rever o que perdi ou não entendi”, revela. Mesmo tendo preferências pelas aulas on-line, Matheus também faz exercícios e lê teoria. A parte que mais o preocupa é a legislação. “Direito não é comigo”, brinca.

 

Passe bem / Ética no serviço público

São deveres fundamentais do servidor público, exceto:
a) desempenhar, a tempo, as atribuições do cargo de que seja titular
b) ser probo, reto, leal
c) diante de várias opções, escolher a melhor e mais vantajosa para o serviço público
d) zelo
e) eficácia

Comentário
No inciso XIV, que trata dos deveres fundamentais do servidor público, a alínea “a” descreve como dever “desempenhar, a tempo, as atribuições do cargo, função ou emprego público de que seja titular”. No inciso XIV, que trata dos deveres fundamentais do servidor público, a alínea “c” descreve como dever “ ser probo, reto, leal e justo, demonstrando toda a integridade do seu caráter, escolhendo sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a mais vantajosa para o bem comum”. No inciso XIV, que trata dos deveres fundamentais do servidor público, a alínea “j” descreve como dever “zelar, no exercício do direito de greve, pelas exigências específicas da defesa da vida e da segurança coletiva”. No inciso I encontramos a seguinte redação: “A dignidade, o decoro, o zelo, a eficácia e a consciência dos princípios morais são primados maiores que devem nortear o servidor público”. Portanto, os itens ‘a’, ‘b’, ‘d’ e ‘e’ estão corretos. Sobre a letra c: o inciso XIV, alínea c, indica que, quando estiver diante de duas opções, escolher a melhor e a mais vantajosa para o “bem comum”, e não para o “serviço público.”

Gabarito: letra C
Questão retirada do concurso do Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais, realizada em 2015 pela banca Quadrix, comentada pelo professor de ética Cassiano Salim

 

O que diz o edital

Concurso público para diversos cargos do Conselho Federal de Psicologia (CFP)
Inscrições: até 13 de dezembro, pelo site www.quadrix.org.br
Taxas: R$ 50 (nível médio) e
R$ 70 (nível superior)
Vagas: 500 para cadastro de reserva
Salários: R$ 4.075,85 (nível médio) e R$ 7.225,26 (nível superior)
» Provas: 24 de janeiro
(nível superior) e 31 de janeiro (nível médio)
Local de prova: Brasília

publicidade

publicidade