SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

Mais de 100 chances para nível médio

Concurso da ANS será aplicado em pouco mais de dois meses, e interessados em salários a partir de R$ 5 mil não podem perder tempo. Confira dicas para se preparar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/12/2015 13:26

Thaissa Leone

O concurso da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está com inscrições abertas até hoje (13). São oferecidas 102 vagas para nível médio: 66 para o cargo de técnico administrativo e 36 de técnico de regulação e saúde. São reservadas para negros 20% das oportunidades; e 5% são para cotas de pessoas com deficiência. O concurso da ANS será aplicado em 21 de fevereiro de 2016 em todas as capitais brasileiras, conforme a escolha do candidato. As vagas são para: Distrito Federal (1), Ceará (2), Pará (1), Paraná (1), Rio de Janeiro (89), São Paulo (7) e Mato Grosso (1). Os inscritos deverão responder a provas objetiva e discursiva de caráter classificatório e eliminatório. Concorrer aos dois cargos é uma opção, pois os exames serão aplicados em horários distintos. O candidato que efetuar mais de uma inscrição deve prestar atenção às regras que proíbem acumulação de cargos públicos, em caso de aprovação.


Os conteúdos básicos para técnico administrativo são português, raciocínio lógico, ética e conduta no serviço público, noções de direito constitucional, agências reguladoras e legislação básica; os conhecimentos específicos são noções de direito administrativo, de administração, de arquivologia e de orçamento público. Para técnico de regulação de saúde, as matérias básicas são português, raciocínio lógico, ética e conduta no serviço público, noções de direito constitucional e de arquivologia; na parte específica, será preciso dominar noções de direito administrativo e de administração, agências reguladoras e legislação relativa à ANS. A prova objetiva terá 60 questões que valerão 100 pontos. O exame discursivo será uma redação de 20 pontos.


Concurseiro há quase dois anos, Vinícius Vieira de Sousa, 23 anos, está estudando para a prova há dois meses e pretende concorrer aos dois cargos. “O salário é atrativo, e o setor é conhecido por ajudar no crescimento profissional”, diz. Para ele, a melhor forma de se preparar é focar o estudo nas disciplinas específicas, mas sem se esquecer das básicas. “É preciso dominar todo o conteúdo, sempre revisando e resolvendo exercícios. Quando tenho dúvida em alguma questão, faço uma pequena revisão e aí volto a estudar”, ressalta. Ele se dedica todos os dias, das 8h às 22h. Além de se preparar para ANS, ele pretende fazer as provas do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e da Defensoria Pública da União (DPU).

Orientações
Professor de português do Gran Cursos, Diogo Alves prevê que as questões mais extensas serão dessa disciplina. “O domínio da língua é um diferencial. O candidato que lê e interpreta bem consegue melhor resultado”, aponta. Diogo recomenda que os concurseiros leiam muito, principalmente, conteúdos sobre áreas como direito. “É bom fazer resumos e treinos sucessivos de exercícios para facilitar na hora de resolver a questão.” Compreensão, interpretação, reescritura de texto (paráfrase), tipologia pessoal, coesão e coerência pessoais, emprego da correta ortografia, pontuação, regência e concordância devem ser cobrados no exame. “Esses três últimos costumam sempre cair. É imprescindível seguir as regras do Manual de Redação Oficial da Presidência da República”, diz


Luiz Telles, professor de raciocínio lógico, acredita que, para se sair bem na disciplina, é preciso saber matemática. “A prova é composta por questões fáceis, médias e difíceis. Deixe as mais desafiadoras por último e garanta uma pontuação boa, pelo menos, nos itens mais simples.” Segundo o professor, o candidato precisa ser estratégico, já que a lista de conteúdos a serem cobrados é grande, e a seleção começa na leitura do edital. De acordo com João Coelho, professor de direito administrativo do IMP, é importante ler várias vezes o texto, destacar os pontos principais, resolver questões de provas anteriores e fazer anotações dos assuntos que foram mais cobrados para uma revisão rápida antes da prova. “São estratégias indispensáveis para fixação e assimilação da disciplina, e, na grande parte dos casos, o suficiente para a resolução das questões objetivas”, comenta. Ainda de acordo com o professor, é fundamental conhecer a atuação da agência e das autoridades do setor.


Para Clayton Castilho, professor de agências reguladoras e legislação básica do Instituto Farmacêutico (Ifar), dos assuntos exigidos pela banca organizadora — a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) —, os mais importantes são: legislação do Sistema Único de Saúde (SUS), plano de cargos das agências reguladoras e a criação da ANS. “O aluno deve estudar a legislação específica, deve entender bem como funciona o SUS e a regulamentação dos planos de saúdes”, recomenda. Segundo o professor, o candidato deve resolver muitos exercícios sobre legislação. “Quanto mais fizer, melhor, é isso que leva o candidato a criar uma massa de
conhecimento”, explica.

Padrão de prova?
De acordo com o professor de raciocínio lógico Luiz Telles, a Funcab é “imprevisível” e costuma cobrar todos os pontos que coloca no edital. “Não há um padrão, e o candidato não pode confiar somente nas provas anteriores. A melhor estratégia é focar no que o candidato tem facilidade, sem perder tempo com áreas em que tem dificuldade. A banca costuma colocar questões muito longas. O candidato se cansa e acaba errando: é melhor deixar os itens muito extensos para o fim, caso sobre tempo”, recomenda.

 

Passe bem / Agências reguladoras e legislação básica

Com a promulgação da Lei nº 9.961/2000, foi criada a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que possui entre suas atribuições a regulação, normatização, controle e fiscalização das atividades que garantem assistência suplementar à saúde. Com base nos preceitos estabelecidos nesse dispositivo legal, julgue os itens a seguir.
Representantes dos  Ministérios da Saúde, do Trabalho e Emprego e da  Previdência e assistência Social integram a Câmara  de Saúde Suplementar.
Desde a sua criação,  a ANS passou a ser uma das principais operadoras do Sistema Único  de Saúde no Brasil.
A fixação  de critérios para os procedimentos de credenciamento e  descredenciamento de prestadores de serviço às  operadoras de planos de assistência à saúde é  uma das competências da ANS

Comentário

1) Certo. A Câmara de Saúde Suplementar é o órgão de participação institucionalizada da sociedade conforme previsto nos moldes do inciso III, do art. 13º, da Lei 9.961/2000, que diz que a Câmara de Saúde Suplementar será integrada por um representante de cada ministério a seguir indicado: a) da Fazenda; b) da Previdência e Assistência Social; c) do Trabalho e Emprego; d) da Justiça; e) da saúde;
2) Erado. O Sistema Único de Saúde (SUS) é público. A ANS regula as operadoras de planos privados de assistência à saúde.
3) Certo. O credenciamento e o descredenciamento é uma das competências da ANS previstas no art. 4, inciso IV, da lei nº 9.961/2000.

Questão retirada da prova da ANS de 2013 para técnico administrativo, comentada pelo professor Clayton Castilho, do Instituto Farmacêutico

 

O que diz o edital

Concurso público para vagas de técnico administrativo e técnico de regulação de saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)
Inscrições: até 13 de dezembro, pelo site www.funcab.org
Taxa: R$ 74
Vagas: 102 vagas (66 para técnico administrativo e 36 para técnico de regulação e saúde)
Salário: R$ 5.689,52 (técnico administrativo) e R$ 5.957,52 (técnico de regulação de saúde)
Provas: 21 de fevereiro de 2016
Locais de prova: todas as capitais do Brasil

publicidade

publicidade