SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

507 vagas para residência médica

Inscrições em programas da Secretaria de Saúde e do Hospital Universitário de Brasília terminam amanhã. Aprovados terão jornada de 60 horas semanais de teoria e prática

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/12/2015 14:13 / atualizado em 20/12/2015 14:16

Ligia Amaral

A Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) e a Fundação Universidade de Brasília (FUB) oferecem 507 vagas para residência médica. No Hospital Universitário de Brasília (HUB), estão abertas 87 oportunidades. Em unidades do GDF, são 420. Os interessados podem concorrer a três modalidades: a de acesso direto, a de especialidades com exigência de pré-requisito — na qual o candidato deve ter sido residente em outro programa correlacionado anteriormente —, e a de anos opcionais em áreas de atuação — em que o concorrente que finalizou uma residência médica cumprirá um ano opcional.


Para todas as opções, é necessário ter certificado ou declaração de conclusão de curso de graduação em medicina, além de inscrição definitiva ou provisória no Conselho Regional de Medicina (CRM). A primeira fase do concurso consiste em uma prova objetiva com 120 questões de certo e errado, e a segunda é a avaliação de currículo, que valerá 50 pontos. No exame, para os candidatos de residência médica em acesso direto, serão cobrados itens sobre cirurgia geral, clínica médica, pediatria, obstetrícia / ginecologia e medicina social e preventiva. Já interessados nos programas de especialidades com exigência de pré-requisito e de anos opcionais em áreas de atuação, responderão perguntas sobre a área específica escolhida — com exceção das áreas de mastologia e medicina intensiva: os primeiros deverão dominar obstetrícia, ginecologia e cirurgia geral; e os segundos, clínica médica, anestesiologia e cirurgia geral.


As vagas são para as seguintes instituições: Hospital Universitário de Brasília (HUB), Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Hospital Regional de Taguatinga (HRT), Hospital Regional de Sobradinho (HRS), Hospital Regional do Gama (HRG), Hospital Regional da Ceilândia (HRC), Hospital Regional do Paranoá (HRPa), Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), em Taguatinga.


O coordenador da Comissão de Residência Médica do Hospital Universitário de Brasília (Coreme/HUB), Alexandre Tavares, destaca a importância da participação de estudantes de medicina no concurso. “A graduação não é suficiente para preparar profissionais: a residência médica é essencial para complementar a formação, principalmente para aqueles que desejam seguir uma especialização”, comenta. Para a chefe do Núcleo de Residência da Escola Superior em Ciências da Saúde (ESCS), Vanessa Campos, os aprovados têm a vantagem de aprender na prática. “A residência médica é uma pós-graduação lato sensu, sendo que 80% do programa é prático e 20%, teórico”, diz.


Vanessa acrescenta que a banca busca candidatos estudiosos e aplicados. No entanto, a característica mais importante é outra: “A responsabilidade social com o paciente deve vir em primeiro lugar”. Ética e humanismo são outros atributos necessários aos aspirantes a residentes. Apesar de não ser informada no edital, Vanessa observa que os aprovados receberão bolsa de R$ 2.976 por dedicação de 60 horas semanais.

Dicas
Ricardo Martins, coordenador do curso de medicina da Universidade de Brasília (UnB), indica conteúdos que devem ser cobrados no programa de acesso direto, em que os candidatos devem mostrar conhecimentos gerais em medicina. “Nessa parte, normalmente, são cobrados assuntos de doenças de grande prevalência em nosso meio, tais como tuberculose, hanseníase, hipertensão arterial, hepatite, diabetes mellitus, asma, pneumonia e infarto agudo do miocárdio”, alerta. Quem concorrerá a uma vaga na modalidade com exigência de pré-requisito deverá mostrar conhecimentos específicos da área de concentração escolhida. “Para o programa de pneumologia, por exemplo, a exigência é ter feito residência em clínica médica, portanto, a prova trará temas dessa área”, destaca.

Candidatos
O casal de namorados Tiago Artur Lyra, 25 anos, e Karla Maria Mendes, 23, cursa o último semestre de medicina da UnB e se preparara para enfrentar a prova de acesso direto. “Muitas vezes, nossos horários não coincidem por conta do internato que fazemos no HUB, mas sempre tentamos estudar juntos”, comenta Karla, que, nos fins de semana, dedica 10 horas por dia à preparação. Tiago Artur deseja fazer residência em pediatria. “O conteúdo engloba quase tudo da graduação, então vamos acumulando conhecimento desde o primeiro semestre”, comenta. Quando está em casa, ele faz exercícios de provas anteriores e revê temas. “Estamos diariamente no hospital, e a vivência lá é rica em ensinamentos muito úteis para a prova”, comenta. Karla tem se dedicado mais à obstetrícia / ginecologia e clínica médica. “A primeira, por ser a área que vou seguir, e a segunda por ser a com mais questões nas provas”, explica.

 

Passe bem / Clínica geral

Um paciente de vinte anos de idade compareceu a uma unidade básica de saúde informando apresentar, havia três meses, tosse e chiados no peito os quais vêm se agravando progressivamente. Esse quadro tem se manifestado em associação com rinorreia e prurido nasal. O exame físico mostrou edema de cornetos nasais e sibilos expiratórios em ambas as regiões infraescapulares. Com base nesse caso clínico, julgue os itens a seguir.


1) Os sintomas apresentados pelo referido paciente e o exame do nariz dão margem ao diagnóstico de rinite alérgica.
2) Para que se confirme o diagnóstico desse paciente, deverá ser realizado o teste de espirometria.
3) Sibilos expiratórios indicam gravidade do processo e demandam que o paciente seja encaminhado para serviço de emergência.

Comentário:
1) Certo. Rinorreia e prurido nasal acompanhados de edema de cornetos nasais são indicativos da presença de rinite alérgica.
2) Errado. O diagnóstico de asma é clínico. A realização da espirometria se presta para acompanhar o tratamento da doença.
3) Errado. A presença de sibilos não é indicador de gravidade da doença. Pelo exposto no caso, o paciente deve ser submetido a tratamento em regime ambulatorial, não sendo necessário encaminhá-lo para serviço de emergência.

Questões retiradas da prova de residência médica de 2015, aplicada pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), e resolvida pelo coordenador do curso de medicina da UnB, Ricardo Martins.

 

O que diz o edital

Concurso para residência médica na Secretaria de Saúde e no Hospital Universitário de Brasília
Inscrições: até 21 de dezembro pelo site cespe.unb.br/concursos/ses_df_16_residencia
Taxa: R$ 300
Vagas: 507
Provas: 17 de janeiro
Local de prova: Brasília

 

Outros profissionais

Além do concurso para médicos, a SES/DF e a FUB oferecem 43 vagas de residência uniprofissional (enfermagem em centro cirúrgico, enfermagem em nefrologia, enfermagem em obstetrícia, cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial) e 233 na modalidade multiprofissional (saúde coletiva, saúde do adulto e do idoso, saúde da criança, urgência/trauma, terapia intensiva, saúde mental do adulto, saúde mental infantojuvenil, atenção cardiopulmonar e atenção oncológica). As oportunidades são para graduados em enfermagem, farmácia, fisioterapia, nutrição, odontologia, psicologia, serviço social, terapia ocupacional e fonoaudiologia. As inscrições podem ser feitas no site www.cespe.unb.br até amanhã (21). 

publicidade

publicidade