SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

Quer ser fuzileiro?

A Marinha está com 1.860 vagas abertas para curso de formação na área. Podem participar jovens de 18 a 21 anos. Durante as aulas, a bolsa-auxílio é de R$ 642 e, após a capacitação, o salário inicial é de R$ 1.587

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/02/2016 15:12 / atualizado em 14/02/2016 15:44

Arquivo Pessoal

O Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil está com seleção aberta para as turmas I e II de 2017 do curso de formação de soldados fuzileiros navais. Do total de vagas, 128 são destinadas para Brasília. Podem participar brasileiros do sexo masculino, de 18 a 21 anos, com altura entre 1,54m e 2m, sem antecedente criminal e que concluíram o ensino médio. O curso será ministrado no Centro de Instrução e Adestramento de Brasília (Ciab) e no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves (Ciampa), no Rio de Janeiro.


Após 17 semanas, os candidatos servirão, inicialmente, em organizações militares de Distrito Federal, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pará, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia e Amazonas. Depois de passar no curso e servirem como fuzileiros, por pelo menos um ano, quem se interessar pode participar do processo seletivo para fazer curso de especialização e, se aprovado, promovido a cabo.


Lucas Coutinho, 20 anos, terminou o ensino médio no Colégio JK em 2013 e está se preparando para a seleção. A tática dele consiste em resolver questões de concursos anteriores e acompanhar o movimento de grupos de estudo em redes sociais, como o Facebook. “Pessoas que fizeram ou que ainda vão fazer a prova passam muitas dicas”, revela. Ele quer trabalhar no ramo porque acredita que a experiência como militar ajuda na construção de valores e a lidar melhor com as responsabilidades. “Fazer parte das Forças Armadas será uma experiência gratificante para mim. Quero ser um cidadão e mostrar amor à nossa pátria.”

A seleção
O concurso será supervisionado pelo Comando Pessoal de Fusileiros Navais (CPesFN) e terá seis fases: exame de escolaridade, verificação de dados biográficos, verificação de documentos, inspeção de saúde, teste de suficiência física e exame psicológico. A prova escrita será realizada em 26 de abril e exige conhecimentos de português e matemática no nível de ensino médio. O candidato deve portar lápis preto nº 2, caneta esferográfica, borracha, prancheta, comprovante de inscrição e documento original com foto. Serão selecionados apenas aqueles que acertarem, no mínimo, 40% dos itens de cada matéria. O teste de suficiência física envolve quatro modalidades, nas quais os candidatos devem atingir uma meta mínima. Na prova de natação, é preciso nadar 50 metros em até dois minutos; enquanto a de corrida pede a habilidade de percorrer 3.200 metros em até 19 minutos. É necessário também fazer 38 abdominais em um minuto, além de três flexões na barra passando da altura do queixo.


Preparação

O professor de matemática do curso Sena Alisson Silva acredita que “é de grande importância que os candidatos criem o hábito da resolução repetitiva de exercícios com estrutura semelhante às questões aplicadas em provas anteriores”. Ele diz que é importante dar maior ênfase aos conteúdos com grau um de interpretação matemática, como regra de três, porcentagem, frações e geometria plana. Uma semana antes do exame, o professor indica direcionar o estudo a conteúdos dominados e não tentar assimilar coisas novas.


Vagner Souza, professor de história militar naval no curso Adsumus, no Rio de Janeiro, explica que, enquanto ao estudar ciências exatas, dá para ler o conteúdo uma ou duas vezes e depois resolver muitos exercícios, ciências humanas têm como base a leitura. “É preciso ler muito, inclusive para aprender a escrever”, afirma. Ele diz que é importante também conhecer um pouco da história da Marinha e seu papel em função da sociedade.


“É preciso observar o que está disposto no edital, mas acredito que o novo acordo ortográfico será um dos principais temas cobrados em português, especialmente as mudanças que ocorreram na acentuação e na escrita dos verbos após as novas regras”, prevê Vitor Barbosa, professor de gramática do Ifar Concursos. Além dessa temática, ele elenca outros dois assuntos centrais no exame: acentuação gráfica e conjugação verbal.

 

Passe bem/Gramática

 

Empregou-se um vocábulo fora do novo acordo ortográfico em:
saída – vírus – pincéis
rainha – juiz – raízes
abdômen – vêem – sótão
consistência – exceção – Piauí
marcá-los – redimi-los – preenchê-los

Comentário
De acordo com as alterações impostas pelo novo acordo ortográfico, não se acentuam mais as vogais dobradas nos encontros EE e OO. A opção C apresenta a forma antiga do verbo ver (ele vê, eles vêem), enquanto a forma atual é grafada da seguinte maneira: ele vê (sem alteração), eles veem (forma alterada). É importante se lembrar de que as formas do verbo vir permanecem inalteradas: ele vem, eles vêm

 

Questão retirada do vestibular do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais de 2014 comentada pelo professor de gramática Vitor Barbosa

 

Gabarito: letra C

 

O que diz edital

Concurso do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil para o curso de formação de soldados fuzileiros navais

Inscrições: até 29 de fevereiro de 2016, pelo site www.ensino.mar.mil.br/
marinhafn/concursos.jsp


Taxa: R$ 12
Vagas: 1.860 (128 para Brasília)

Salário: R$ 1.587 após o curso;
R$ 642 de bolsa durante a formação

Prova de conhecimentos: 26 de abril

Locais de prova: serão divulgados posteriormente

publicidade

publicidade