SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

Quer ser professor na UnB?

Departamentos da instituição estão com inscrições abertas para seleção de 10 professores, com salários de até R$ 8.639,50. Vocação e didática são os principais atributos para o cargo, segundo docentes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/05/2016 13:58 / atualizado em 29/05/2016 16:54

 

A Universidade de Brasília (UnB) está com inscrições abertas para 10  vagas para os cargos de professor adjunto, substituto e visitante (veja quadro Entenda a diferença entre os cargos). As taxas de inscrição e os pré-requisitos para a candidatura variam conforme cada edital, que pode ser seleção simplificada ou concurso público. Os salários vão de R$ 2.498,78 a R$ 8.639,50.

As chances são para os departamentos de física (área relatividade e gravitação), engenharia (área higiene e segurança do trabalho), biologia celular (área de imunologia); e para as faculdades de ciência da informação (para tecnologia da informação), medicina (área de parasitologia), UnB Ceilândia (área de biologia celular), UnB Planaltina (área de língua brasileira de sinais — Libras), agronomia e medicina veterinária (área de políticas públicas em saúde animal e epidemiologia veterinária); e para o Instituto de Geociências (área de topografia e fotogrametria).

Outros  processos seletivos da universidade estão em andamento, para os cargos de professor auxiliar, assistente e adjunto, mas, para estes, o prazo de inscrições está encerrado. São 32 vagas para os departamentos de administração; engenharia elétrica; economia; enfermagem; teoria literária e literaturas; ciência da computação; estatística; linguística, português e línguas clássicas; tecnologia da arquitetura e urbanismo; projeto, expressão e representação; artes visuais; línguas estrangeiras e tradução; administração; e engenharia elétrica. As oportunidades ainda se estendem para as faculdades UnB Gama, UnB Planaltina, agronomia e medicina veterinária, educação física e medicina, para os institutos de química e de geociências, e para o Centro de Excelência em Turismo.

A prova
Existem diversas formas de seleção para docentes na Universidade de Brasília, que variam de acordo com o cargo pretendido e com o edital. Para professor adjunto, é comum que sejam cobradas provas objetiva, subjetiva, oral, didática (que consistem em dar uma aula para uma banca examinadora) e de títulos. Já para docentes auxiliares e assistentes, o comum é que sejam aplicadas avaliações escrita, oral, didática e de títulos. Professor e coordenador do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação (ADM/Face), Carlos Rosano Peña fala sobre a importância de uma boa preparação envolvendo conteúdos da área pretendida e bagagem pedagógica. “São cobrados temas bem abrangentes sobre a área de atuação do profissional. A prática mostra que a maioria dos aprovados atuaram em instituições particulares ou em outras universidades. Afinal, deve-se ter experiência didática. Eu me lembro da aula que dei no processo seletivo para professor adjunto: fui observado e avaliado por docentes que dominam muito bem a área; foi um momento em que tive que mostrar o que conheço do conteúdo. A bagagem curricular é fundamental”, explica.

Aprovado em primeiro lugar para o cargo de professor-assistente na área de contabilidade geral no Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais (CCA/Face) em 2014, Eduardo Bona diz que ter uma inclinação natural para a docência faz diferença. “Infelizmente, tem muita gente que se inscreve sem ter certeza sobre a carreira que quer seguir ou até mesmo sabendo que não tem vocação para dar aula. Costumo dizer a meus alunos que a escolha de fazer um concurso não deve ser motivada apenas por aspectos financeiros e que a busca da estabilidade acima de tudo demonstra mediocridade”, alerta. “O meu concurso, especificamente, exigiu que o candidato ame o que faz. Lecionar é uma atividade desgastante, porém muito gratificante para aqueles que acreditam no poder de ajudar a desenvolver o pensamento crítico dos alunos.”

Mestres e doutores
Apesar de os concursos cobrarem altos títulos (como o de doutorado), o número de habilitados vem crescendo, o que torna as seleções mais disputadas. Daniel Simão, professor e coordenador do Departamento de Antropologia do Instituto de Ciências Sociais (DAN/ICS), percebe que a quantidade de professores na área dele vem aumentando. “Em 2004, tínhamos nove programas de pós-graduação em antropologia no Brasil, com 553 estudantes matriculados. Em menos de 10 anos, saltamos para 21 cursos, com mais de 1 mil alunos matriculados. Cresceram bastante o campo de trabalho para professores e o montante de doutores em busca de uma posição. Em 2004, o Brasil formava cerca de 40 doutores em antropologia por ano. Em 2012, foram mais de 70. Com isso, o número de candidatos em cada concurso vem crescendo também.” Ele ainda conta que, no último concurso do departamento em que trabalha, em 2013, houve mais de 20 inscritos para duas vagas de professor adjunto — segundo ele, é um número alto, levando em consideração a qualificação necessária para participar do certame.

Simão comenta a etapa de prova oral. “Fará uma boa prova aquele que tiver uma boa formação. Não há como inventar nada de última hora”, diz. Com relação à prova didática, ele orienta que o candidato se prepare planejando aulas e ensaiando-as com antecedência. “Ele deve mostrar-se capaz de transmitir, de maneira adequada, clara e didática, no tempo de uma aula, um conjunto de autores e debates correntes sobre o tema que lhe for sorteado.” O professor ainda ressalta que são procurados profissionais que demonstrem, além de sólida formação, vocação e iniciativa para pesquisa.

Entenda as diferenças entre os cargos

Professor auxiliar: precisa ter diploma de graduação e conhecimento na área exigida pelo edital. Ingressa na instituição como auxiliar 1 e, de dois em dois anos, será promovido, chegando ao nível de professor auxiliar 4.
Professor assistente: é necessário que tenha feito mestrado. Trata-se de um cargo temporário em universidade federal. O contrato, geralmente, tem duração de um ano, podendo ser renovado por mais um.
Professor adjunto: cargo efetivo em instituição federal. O candidato deve ter título de doutorado e assume o nível 1 da carreira do magistrado.
Professor substituto: é contratado temporáriamente por meio de seleção simplificada para suprir vaga de um professor titular que precisou ser afastado por algum motivo. O grau de formação exigido depende do caso.

O que diz o edital

Concursos e processo seletivos da Fundação Universidade de Brasília (FUB)para professor
Inscrições:  de amanhã (30) até 13 de junho, dependendo do concurso. Acesse todos os editais no site www.dgp.unb.br/concursos.
Vagas: 10
Salários: de R$ 2.498,78 a
R$ 8.639,50
Taxa: R$ 208,61
Provas: datas ainda não definidas
Locais de prova: Brasília

publicidade

publicidade