SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

GUIA DE CONCURSOS »

500 chances na Polícia Civil de Goiás

Concurso estadual oferece salário de R$ 1,5 mil. O destaque da prova vai para a redação, que definirá a classificação dos concorrentes. As inscrições estão abertas até quarta-feira (31)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2016 13:16 / atualizado em 21/08/2016 13:20

Arquivo Pessoal

Trabalho investigativo, fazer rondas e redigir depoimentos. Se você se identifica com essas tarefas, fique atento pois as inscrições para o concurso público da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) estão abertas. São 500 vagas no total: 280 para agente de polícia substituto (266 destinadas a ampla concorrência e 14 reservadas a candidatos com deficiência) e 220 para o cargo de escrivão (209 de concorrência universal e 11 de cotas para deficientes). Ambas as ocupações têm jornada de 40 horas semanais. Podem participar  pessoas com diploma de nível superior em qualquer área de formação e carteira nacional de habilitação, no mínimo, na categoria B (carro). Ademais, os candidatos precisam ser de nacionalidade brasileira ou portuguesa e ter, ao menos, 18 anos completos até a data da posse. Os homens precisam estar em dia com as obrigações militares.


As disciplinas cobradas na prova objetiva são classificadas em três categorias de natureza apenas eliminatória. As de conhecimento básico (20 questões) são língua portuguesa, noções de informática e realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás e do Brasil. As matérias de conhecimento geral (30) incluem legislação penal extravagante e legislação específica. Por fim, as de conhecimentos específicos (20) abarcam noções de direito constitucional, administrativo, penal e processual penal. Será reprovado quem obtiver nota inferior a quatro pontos na prova de conhecimentos básicos, a seis em conhecimentos gerais, a seis em conhecimentos específicos, ou obtiver menos que 21 no conjunto das provas objetivas. A parte discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, valerá 20 pontos e consiste em redação dissertativa de até 30 linhas e levará em conta conhecimentos específicos.


Os classificados serão convocados para testes de aptidão física, que serão realizados na seguinte ordem para homens: flexão de braço na barra fixa (mínimo de três repetições), impulsão horizontal e corrida de 12 minutos (distância mínima de 2,4 mil metros). Para as mulheres, os exercícios são: estático de barra (tempo mínimo de 15 segundos na posição correta), impulsão horizontal e corrida de 12 minutos (distância mínima de 2 mil metros). O certame contará ainda com avaliação médica, exame psicotécnico e avaliação de vida pregressa e investigação social. Haverá prova prática de digitação para o cargo de escrivão, no qual o interessado deve digitar um texto de 2 mil caracteres. Os nomeados serão submetidos a curso de formação profissional, de responsabilidade da Delegacia Geral da Polícia Civil de Goiás e, posteriormente, serão lotados em municípios do estado.


O que motiva o consultor de consórcios Hugo Háthila, 28 anos, a fazer o concurso para o cargo de agente de polícia é o desejo de seguir a carreira policial. “É mais pelo amor à profissão, pois o salário é um dos mais baixos do país”, observa o graduado em gestão de segurança pública, que mora em Formosa (GO), sobre a remuneração de R$ 1,5 mil. O jovem estuda oito horas por dia, faz um cursinho, assiste a videoaulas e revisa conteúdos no fim de semana, principalmente português e redação, áreas em que tem mais dificuldade. Morador de Brasília, o graduado em ciência da computação.
Rodrigo Freitas, 30, se prepara para trabalhar com segurança pública desde 2014. “Enquanto os editais de concursos como Polícia Legislativa e Polícia Federal não são publicados, não posso perder oportunidades como essa da Polícia Civil de Goiás”, diz. Candidato a agente, ele se baseia em apostilas eletrônicas, frequenta bibliotecas, resolve questões, além de não deixar os exercícios físicos de lado. “Desse modo, posso descansar a mente ao mesmo tempo em que me preparo para o teste físico.”

Para passar
Professora de língua portuguesa no IMP Concursos, Aline Rizzi explica que as habilidades exigidas pela corporação goiana não se diferem muito das cobradas em outros concursos. “Como serão elaboradas pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), as questões acabam por seguir um padrão. O candidato que estuda para passar no STF (Supremo Tribunal Federal), por exemplo, estará preparado”, diz. “A banca escolhida trabalha muito com a gramática aplicada ao texto, coloca itens de interpretação em que a fundamentação morfológica e sintática está na estrutura”, observa.


A parte da prova que abrange os aspectos étnicos, sociais, históricos, geográficos, culturais, políticos e econômicos do estado de Goiás pode apresentar certa dificuldade, pois não é cobrada em concursos de outras localidades. Doutor em geografia e professor associado do Instituto de Estudos Sócioambientais da Universidade Federal de Goiás (Iesa-UFG), Tadeu Arrais diz que podem cair questões sobre o cerrado, o meio ambiente, a situação da água, o processo de urbanização e o perfil da economia que é muito ligada a agropecuária. “Em um primeiro momento, é preciso ter uma visão mais horizontal, ou seja, que traga uma síntese do desenvolvimento regional. Posteriormente, o estudante pode procurar artigos em periódicos e livros de editoras como a da UFG (Universidade Federal de Goiás) e Cânone”, aconselha. O livro Produção do território goiano (editora UFG, 2013, R$ 20), de autoria de Arrais, é referência na área.


Filemon Félix, professor de português e especialista em redação, garante que a disciplina — única de caráter classificatório no concurso — deve ser priorizada. Segundo ele, é comum que a proposta venha acompanhada de textos de apoio ou situações hipotéticas. “Não se esqueça de abordar todos os tópicos propostos no enunciado e de usar o padrão formal do português: revise, observando, sobretudo, pontuação, acentuação e uso do sinal indicativo de crase — os erros mais comuns”, explica.

 

Passe bem/Geografia

O estado de Goiás possui uma rede hidrográfica constituída por um conjunto de rios que drenam o território goiano formando suas bacias hidrográficas. Esses rios, além de constituírem fontes de recursos hídricos para o abastecimento doméstico e industrial, muitas vezes servem ao papel político. Nesse aspecto, observa-se que
a) O rio Araguaia, com suas nascentes no sudoeste goiano, constitui o principal divisor geográfico entre Goiás e Mato Grosso
b) O rio Meia Ponte, formado pela junção dos rios dos Bois e Corumbá, foi o divisor entre a antiga província de Goiás e a província de Minas Gerais
c) O rio Paranaíba, cujas nascentes localizam-se no entorno de Brasília, constitui-se divisor geográfico entre Goiás, Minas Gerais e São Paulo
d) O rio Tocantins, formado pela junção dos rios das Almas e Paranã, serve como principal divisor geográfico entre Goiás e Bahia

Comentário:
As nascentes do Meia Ponte estão distantes do Corumbá. A única semelhança é que os dois rios vertem para o Paranaíba. Esse último, por sua vez, não é marco divisor entre Goiás e São Paulo. Já o rio Tocantins não divide Goiás e Bahia, já que o divisor mais comum, em grande medida, é a Serra Geral de Goiás.

Questão retirada do concurso para agente de Polícia Civil de Goiás de 2013, comentada por Tadeu Arrais

 

O que diz o edital

Polícia Civil do Estado de Goiás
Inscrições: até 31 de agosto em www.cespe.unb.br/concursos/pc_go_
Vagas: 500
Cargos: agente de polícia substituto e escrivão de polícia substituto
Salários: R$ 1,5 mil (para ambos os cargos)
Taxas: R$ 110 (para ambos os cargos)
Idade mínima: 18 anos
Datas das provas: 16 de outubro, no turno da tarde
Local das provas: Goiânia (GO)

publicidade

publicidade