SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

DF tem duas escolas entre as 50 melhores do país

As duas unidades do Colégio Olimpo alcançaram as posições mais altas em Brasília. Entre os estabelecimentos públicos, os que obtiveram as médias mais elevadas foram os dois militares

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/10/2016 11:00 / atualizado em 05/10/2016 10:19

Ana Paula Lisboa , Mariana Niederauer - Especial para o Correio

No rol das top 50 instituições com maiores médias no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, figuram duas unidades brasilienses: o Colégio Olimpo, em 11º lugar; e o Colégio Olimpo de Águas Claras, no 44º lugar. No ano passado, apenas o Colégio Olimpo, na 29ª posição, aparecia entre os 50 melhores do país. Os resultados foram divulgados nesta terça-feira (4) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

 

Entre as 100 melhores escolas do país, há três de Brasília: o terceiro melhor colocado no DF, o Pódion, figura no 82º lugar no ranking nacional. Em seguida, vem o Galois, em quarto lugar no DF e no 177º nacionalmente. Atrás vem o Sigma da Asa Sul, o quinto melhor do DF e o 211º do país. O melhor estabelecimento público da capital federal é o Colégio Militar de Brasília que, na lista local, figura na 17ª posição e, em competição com todas unidades do Brasil, fica na 967ª posição.

 

Foram publicadas as médias obtidas por 14,9 mil colégios do país - o que equivale a 58% do total de instituições com estudantes matriculados no 3º ano no país - nas provas objetivas de linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza e na redação. De Brasília, foram avaliados 185 colégios.

O Inep não divulga um ranking geral por escola, mas o Eu, Estudante fez uma média ponderada das notas nas cinco disciplinas para gerar uma lista de classificação. Para ter a nota divulgada, é preciso que, pelo menos, 10 estudantes da instituição tenham feito o Enem e que a taxa de participação - com relação ao total de alunos - seja de, no mínimo, 50%. Seguindo orientação do Inep, o Eu, Estudante adotou a média ponderada da prova objetiva e da redação para gerar a média de cada escola.

 

DF fica acima da média nacional em todas as redes

Tomando como base as notas da prova objetiva e da redação por escola, a pontuação média das escolas brasileiras no Enem de 2015 foi de 525 pontos. Entre os colégios públicos, o número ponderado nacional é de 492 pontos; e na rede particular, o valor é de 570 pontos. No geral, a média dos estabelecimentos de ensino brasilienses foi de 545 pontos - 20 pontos acima do valor nacional. A média brasiliense na rede pública foi de 506 pontos - 14 pontos acima do total ponderado da rede pública nacional. Na rede particular, a capital federal obteve 576 pontos - seis pontos acima da média nacional das escolas privadas.

 

Rankings gerados pelo Eu, Estudante

 

Média da prova objetiva e da redação*

Ranking geral do DF

Ranking das escolas públicas do DF

Ranking das escolas particulares do DF

 

Média apenas da redação

Ranking geral do DF

Ranking das escolas públicas do DF

Ranking das escolas particulares do DF

 

Média apenas da prova objetiva

Ranking geral do DF

Ranking das escolas públicas do DF

Ranking das escolas particulares do DF

 

Média do Brasil na prova objetiva e da redação

 

* Nesta reportagem, levamos em consideração o ranking que considera as médias da prova objetiva e da redação conjuntamente para estabelecer as posições dos colégios

 

 
Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Rede pública brasiliense

As melhores colocadas da rede pública foram o Colégio Militar de Brasília e o Colégio Militar Dom Pedro II que, no ranking geral do país, aparecem, respectivamente, no 967º e no 1.208º lugar. O próximo colocado é o CEM Setor Leste que, no ranking nacional, está na 4.242ª posição

 

Apenas duas escolas públicas aparecem no ranking das 50 melhores do Distrito Federal - considerando a média da prova objetiva (que inclui questões de linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza) e da redação no Enem de 2015. O Colégio Militar de Brasília (CMB), que é federal, figura na 17ª posição na lista de Brasília com média de 621,05 pontos, e o Colégio Militar Dom Pedro II, na 21ª colocação, com 612,36 pontos.

As duas instituições militares são, respectivamente, a primeira e a segunda melhores entre as públicas. Os Centros de Ensino Médio (CEM) Setor Leste (com média de 551 pontos, 74ª posição na lista geral), Setor Oeste (548, 78º lugar), Asa Norte - Cean (543, 84ª lugar), Taguatinga Norte (528, 99º lugar), Paulo Freire (527, 102º lugar), e nº 1 de Sobradinho (526, 103º lugar); e os Centros Educacionais (CED) do Lago (526, 104º lugar) e nº 1 do Cruzeiro (525, 107º lugar) completam a lista das 10 instituições públicas com melhor classificação.

A maioria conseguiu posições superiores no ranking geral de 2015 em comparação com o de 2014: o Setor Leste estava na 86ª posição; o Setor Oeste, na 84ª; o Cean, na 90ª; o CEM Taguatinga Norte, na 102ª; o Paulo Freire, na 120ª; e o CED 1 do Cruzeiro, na 133ª. As exceções que apresentaram queda foram o CEM 1 de Sobradinho, que saiu da 101ª posição para a 103ª; e o CED do Lago, que passou do 99º lugar para o 104º.


Minervino Junior/CB/D.A Press
Na base do ranking de 2015, está o CED 1 da Estrutural, com 457 pontos. No rol do Distrito Federal, ele aparece em 185º lugar e, no do Brasil, em 14.348º - entre as 650 piores escolas do Brasil. Em 2014, a instituição não fez parte do ranking. Em entrevista exclusiva ao Eu, Estudante, o secretário de Educação do Distrito Federal, Júlio Gregório afirmou acreditar que o resultado do CED 1 da Estrutural se deve ao fato de a escola ser de Educação de Jovens e Adultos (EJA), no turno noturno, por isso considerou até "impressionante" o fato de a instituição ter tido número de alunos suficiente fazendo a prova.

 

Apesar de não dar detalhes sobre o que será feito para melhorar o nível de escolas com mau desempenho no Enem, Gregório acredita que a reforma do ensino médio - proposta por meio de medida provisória pelo governo de Michel Temer - ajudará até mesmo nesses caso.

 

O secretário ressaltou ainda que, diferentemente do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), "o Enem não serve como instrumento de avaliação do ensino médio". No entanto, ele admite não ter ficado satisfeito com o resultado da rede pública do DF no exame e observa que é fundamental melhorar, já que "o Enem é uma porta de entrada para universidades em todo o país".

 
 
André Violatti/Esp. CB/D.A Press
Elite do ensino
Assim como em 2014, o primeiro colocado do DF no Enem de 2015 foi o Colégio Olimpo: na edição anterior, a instituição alcançou 713 pontos e, na mais recente, 733. A unidade de Águas Claras do Olimpo abocanhou o segundo lugar na lista de escolas da capital federal (uma posição acima da conquistada na edição anterior). O Colégio Pódion e o Colégio Galois subiram, cada um, uma casa em comparação com o Enem de 2014 e aparecem, respectivamente, no terceiro e no quarto lugares. O Colégio Seriös passou a oferecer ensino médio em 2015 e, já no ano de lançamento, passou a integrar a elite da capital federal, classificando-se na sétima posição.

Em alta
No Enem de 2014, o Sigma obteve a sétima (Asa Sul), a oitava (Asa Norte) e a 13ª (Águas Claras) melhores notas. No exame de 2015, o colégio ficou no quinto (Asa Sul), no sexto (Asa Norte) e no 12º lugares (Águas Claras). O Centro Educacional Leonardo da Vinci também apresentou ligeira alta: saindo da nona (Asa Norte), da 10ª (Taguatinga) e da 17ª (Asa Sul) posições para a oitava ( Asa Norte), a nona (Taguatinga) e a 13ª (Asa Sul) agora.

O Colégio Presbiteriano Mackenzie (que passou da 18ª posição para a 10ª, este ano) e o Centro de Ensino Candanguinho (que saiu da 19ª classificação para a 11ª) também têm o que comemorar. Em 20º lugar em 2015, o Centro Educacional Católica de Brasília subiu uma posição em comparação com 2014. O Colégio Dom Bosco subiu 73 casas e figura no 24º lugar em 2015. Já o Colégio Batista galgou nove posições para aparecer na 25ª posição em 2015.

Em baixa
No ano passado, o Colégio Ideal aparecia duas vezes na lista: na segunda (com média de 691,17 pontos) e na 28ª (com média de 598,29 pontos) classificações. Este ano, a escola tem apenas uma posição no ranking: a 19ª (com 619,38 pontos). Outro que apresentou forte variação negativa foi o Alub. No Enem de 2014, a instituição ocupou o sexto, o 14º, o 24º, o 39º, o 64º e o 65º lugares em diferentes unidades. Agora, está na 43ª, na 49ª, na 57ª, na 78ª, na 80ª e na 83ª colocações agora.

A rede Marista apresentou melhora na classificação apenas em um endereço. A escola conquistou a 11ª (unidade João Paulo II), a 16ª (Brasília) e a 29ª (Champagnat) classificações no Enem de 2014. No de 2015, ficou na 14ª (Brasília), na 18ª (João Paulo II) e na 22ª (Champagnat) posições. O COC saiu da 12ª colocação para a 15ª. O Colégio Sagrado Coração caiu uma posição e ficou no 16º lugar em 2015. O Ciman baixou três posições e ficou na 23ª classificação em 2015.
 

Percentual de participação

No geral, entre as escolas de Brasília, o número de participantes no Enem por escola foi alto. No Olimpo, o primeiro colocado, 73 alunos fizeram a prova, o que corresponde a uma taxa de 94,81%. No Olimpo de Águas Claras (segundo colocado), 100% dos 25 estudantes fizeram o exame. No Pódion (terceiro colocado), foram 90 participantes no Enem, uma taxa de 94,74%. No Galois (quarto colocado), 187 concluintes do 3º ano prestaram o exame, uma taxa de 91,67%.

 

Entre as 185 escolas do DF, houve apenas 11 com taxa de participação abaixo de 70%, todas públicas:

  • CED 4 de Taguatinga (157ª colocada) - 69%
  • CED 4 do Guará (183ª colocada) - 68%
  • CED 123 de Samambaia - 67%
  • CED 416 de Santa Maria (184ª colocada) - 67%
  • CED 15 de Ceilândia (182ª colocada) - 66%
  • CED Taquara (146ª colocada) - 66%
  • CEM 111 do Recanto das Emas (177ª colocada) - 64%
  • CED Professor Carlos Ramos Mota - 63%
  • CED 619 de Samambaia (178ª colocada) - 58%
  • CED Osório Bacchin (139ª colocada) - 57%
  • CED 1 da Estrutural (185ª colocada) - 52% 

 A escola com a mais baixa taxa de participação, o CED 1 da Estrutural, foi também a que teve pior desempenho no exame no DF; 23 alunos do colégio fizeram a prova.

 

publicidade

publicidade